Publicidade

Estado de Minas

Pentágono anuncia intenção de vender equipamentos militares ao Brasil


postado em 13/06/2014 09:34

WASHINGTON - O Pentágono notificou o Congresso dos Estados Unidos a intenção de vender ao Brasil pacotes de modernização de veículos blindados de transporte e tanques no valor de US$ 241 milhões, informou a instituição nesta quarta-feira.

"A venda proposta contribuirá para a política externa e a segurança nacional dos Estados Unidos, ao ajudar a melhorar a segurança do Brasil, que foi e continua sendo uma importante força regional de estabilidade e progresso econômico na América do Sul", anunciou o Pentágono em um comunicado.

Os Estados Unidos venderiam ao Brasil 434 equipamentos de atualização de veículos blindados M113, usados para o transporte de tropas e armamento, por US$ 131 milhões.

Em outra venda diferente, as forças armadas brasileiras obteriam equipamentos para modernizar 40 tanques M109A5, no valor de US$ 100 milhões.

A principal fabricante dos equipamentos é a americana BAE Systems.

A atualização dos veículos blindados M113 dotará o Brasil de "uma capacidade de mobilidade de infantaria mais confiável, ágil e eficaz", enquanto os tanques reconfigurados servirão para "ampliar a interação" entre as forças armadas americanas e brasileiras, segundo o comunicado.

"O Brasil não terá dificuldades em absorver este equipamento em suas forças armadas", indicou o Pentágono.

O Congresso americano tem agora 30 dias para decidir se há alguma objeção.

A comercialização dos equipamentos é a segunda operação que o Pentágono planeja com o Brasil em um mês, após ter anunciado, em maio, a intenção de vender ao país 16 mísseis AGM-84L Harpoon Block II, assim como quatro mísseis da mesma série para treinamento aéreo, além de contêineres, peças e suporte.

Em dezembro, o Brasil deu um enorme passo no processo de modernização de sua capacidade militar, ao anunciar que o caça sueco Gripen NG foi o vencedor de uma licitação multimilionária por 36 aeronaves e toda tecnologia que os compõem.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade