Publicidade

Estado de Minas

Nova tecnologia permite que o ar se transforme em uma tela touch screen

A novidade da Disney poderia criar até mesmo objetos tridimensionais e texturizados literalmente no ar.


postado em 24/07/2013 12:59 / atualizado em 24/07/2013 13:11

Com uma série de dispositivos e sistemas alinhados para lançamento em 2014, desde o Motion Controller Leap até um Kinect reformulado para funcionar em Windows, não há dúvida de que o comando por gestos vai ser a peça chave quando o assunto é comando de computador e controle.

Mas ainda que essa capacidade de fazer tudo, de mudar de música a folhear as páginas de um jornal mexendo as mãos ou apenas colocando os dedos no ar, seja realmente impressionante, como os usuários saberão quando o gesto foi suficiente para executar a função? Afinal, o ar não oferece nenhum atrito ou resistência.

Mas a gigante do entretenimento Disney, cujo império inclui cinema, televisão, jogos de videogame e parques de diversões, encontrou uma maneira de dar ao ar o mesmo tipo de feedback tátil que nós associamos com a vibração nas telas touch.

Chamado de AIREAL, ele é um sistema que liga o ar em objetos táteis. Ele faz isso através do rastreamento de gestos de uma pessoa e dispara um vórtice de ar em sua direção. Quando o vórtice faz contato com a pessoa, o anel externo de quebras de ar liberam uma força, como uma rajada de vento focada e concentrada.

"O que faz disso particularmente interessante é que podemos criar esses efeitos literalmente no ar livre, sem a necessidade de que as pessoas usem luvas especiais ou coletes, tenham dispositivos táteis ou se sentem em cadeiras com acessórios", disse Ivan Poupyrev, cientista de pesquisa sênior da Disney Research, de Pittsburgh.

"A tecnologia para a criação desses efeitos é em escalas e relativamente barata, então podemos imaginar o uso do AIREAL para criar experiências mágicas, tanto para grandes grupos de pessoas, quanto para um indivíduo em sua sala de estar."

Esta característica de ter graus de escala também significa que um sistema pode ser construído em algo tão pequeno como um smartphone ou tablet quanto em uma casa, facilmente. E enquanto o uso em conjunto com interfaces de comandos por gesto de computadores é algo claro e a curto prazo para essa tecnologia, Rajinder Sodhi, o pesquisador principal do projeto, tem ideias muito mais ambiciosas. "Uma de nossas visões a longo prazo é criar formas 3D completas no ar", disse Sodhi. "Imagine manter a mão no ar e sentir o rosto de alguém. Isso vai realmente acabar com a fronteira entre o real e o virtual."

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade