Publicidade

Estado de Minas

UFMG vai coordenar oito institutos nacionais de ciência e tecnologia


postado em 27/11/2008 18:36 / atualizado em 08/01/2010 04:00

 

A UFMG vai sediar oito institutos nacionais de ciência e tecnologia, do total de 12 que serão instalados em Minas Gerais. O anúncio da seleção foi feito no final da manhã desta quinta-feira, dia 27 de novembro, em Brasília, em solenidade reunindo o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, e o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marco Antonio Zago. Em todo o país, foram selecionados 101 institutos para ocuparem posição estratégica no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia.

A criação dos institutos, que terá investimento de cerca de R$ 523 milhões – valor considerado, de acordo com o CNPq, o maior disponível para uma chamada pública de apoio à pesquisa no país –, conta com parceria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), e das fundações de amparo à pesquisa do Amazonas (Fapeam), do Pará (Fapespa), de São Paulo (Fapesp), Minas Gerais (Fapemig), Rio de Janeiro (Faperj) e Santa Catarina (Fapesc), Ministério da Saúde, Petrobras e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Na Região Sudeste, serão sediados 63 institutos, sendo 35 em São Paulo, 16 no Rio de Janeiro e 12 em Minas Gerais, com recursos das parcerias com o Ministério da Saúde e diretamente com as Fundações de Amparo à Pesquisa dos três estados.

Os institutos coordenados por pesquisadores da UFMG receberão cerca de R$ 60 milhões. Segundo o pró-reitor Carlos Alberto Pereira Tavares, a participação da UFMG se estende a outros institutos: devido à estrutura de rede do programa, diversos professores participam de grupos coordenados por outras universidades. "Creio que os institutos vão gerar expressivo financiamento a longo prazo, além de demanda por maior planejamento das atividades na área, o que trará tranqüilidade e garantia na realização das pesquisas", comentou.

Tavares observa que os grupos selecionados terão importante papel na produção científica nacional, pois vão propiciar interação entre as instituições e a otimização de recursos públicos. Analisando o grande número de institutos aprovados para a UFMG, ele considera ser esse um reflexo da liderança da Universidade no estado. "Os Institutos devem consolidar e ampliar essa posição, pois sua produção, em diversas áreas, se tornará referência no país", refletiu.

Conheça a relação dos institutos da UFMG:

Instituto de Nanomateriais de Carbono

Unidade: ICEx (Departamento de Física)

Coordenação: Marcos Assunção Pimenta

Instituto de Tecnologia e Desenvolvimento de Vacinas

Unidade: ICB

Coordenação: Ricardo Tostes Gazzinelli

Instituto de Recursos Minerais, Água e Biodiversidade

Unidade: Escola de Engenharia

Coordenação: Virgínia Cimenelli

Instituto de Medicina Molecular

Unidade: Faculdade de Medicina

Coordenação: Marco Aurélio romano silva

Instituto de Nanobiofarmacêutica

Unidade: ICB

Coordenação: Robson Augusto dos Santos

Instituto de Pesquisa em Dengue

Unidade: ICB

Coordenação: Mauro Martins Teixeira

Instituto de Pesquisa na Web - Redes Complexas da Web

Unidade: ICEx (DCC)

Coordenação: Virgílio Augusto Fernandes Almeida

Instituto de Informação Genético-Sanitária da Pecuária

Unidade: Escola de Veterinária

Coordenação: Rômulo Cerqueira Leite


As informações são da UFMG.


Publicidade