Publicidade

Estado de Minas

Invasão retrô

Mario, Sonic, Prince of Persia, Alex Kidd, Arkanoid, Space Invaders, PacMan e Tetris estão de volta. São do século passado, mas marcam presença em relançamentos na internet e no celular


postado em 30/10/2008 11:36 / atualizado em 08/01/2010 04:08

-->
“Saudade, palavra triste quando se perde um grande amor”. Os versos de Herminio Gimenez, José Fortuna e Pinheirinho Jr. provocam identificação imediata em muita gente que ouve a melancólica canção Meu primeiro amor. Enquanto alguns se recordam da(o) namoradinha(o) da escola, não são poucos os que podem se lembrar, com aquele aperto no coração, do deleite garantido ao lado de amores como o Atari, o MegaDrive, o MasterSystem ou o Nintendo. Pode parecer exagero, mas a relação que as gerações de crianças e jovens criam com os jogos virtuais são, sim, dignas da mais pura nostalgia. A boa notícia é que os versos que encerram a canção na fossa, “É porque bem sei, quem eu tanto amei não verei jamais”– não fazem sentido quando os games são o amor em questão. Olhar para o passado é a nova moda no mundo dos jogos eletrônicos.

A tendência está em todo lugar. Em novembro chega o novo game do Sonic, herói da Sega que marcou época, contagiando gerações com seus velozes movimentos. Sonic unleashed será lançado para Xbox 360, Wii e PlayStation 2 e 3. Além dessa versão recauchutada com gráficos, sons e jogabilidade avançados, o ouriço azul e companheiros como Mario, Alex Kidd, Prince of Persia e PacMan podem ser encontrados, nas suas formas clássicas, em jogos gratuitos na internet. Tetris e Arkanoid também marcam presença. É possível tanto jogar on-line quanto baixar emuladores que rodam os games no computador.

Como se não bastasse, os personagens invadiram o celular, em versões adaptadas que prezam pela fidelidade ao passado e são campeões de vendas nos rankings das operadoras. O Orkut também se rendeu, com aplicativos que colocam os games nos perfis dos usuários. Novos produtos são lançados, trazendo embutido o espírito dos games antigos, como o Pegavision, console que é o próprio controle, ou as novas versões anuais do MegaDrive e do MasterSystem. Os dois videogames da Tectoy não chegaram a sair de linha, de acordo com a empresa, mas voltam a aparecer entre os preferidos em ocasiões como o Dia das Crianças.

Essa espécie de volta dos que não foram é um fenômeno de mercado, segundo Rosilane Mota, coordenadora do curso de jogos digitais da PUCMinas. “Hoje, a geração Atari, por exemplo, está no mercado de trabalho e tem poder aquisitivo para apostar nessas preferências. Os desenvolvedores estão atentos a isso”, explica. É raro o noticiário tecnológico olhar para trás. Em matéria de inovação, o que interessa, normalmente, são os surpreendentes avanços das indústrias rumo às realidades que mais parecem coisa de ficção científica. Pois não são só os museus que vivem de passado. Nesta edição do Informátic@, você vai saber mais sobre como voltar aos bons tempos dos heróis que fizeram história no mundo dos games.-->


Publicidade