Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO MINEIRO

Agora é tudo ou nada

Segundo finalista do Estadual será definido hoje entre América e Cruzeiro para enfrentaro Galo


09/05/2021 04:00 - atualizado 08/05/2021 22:45

Para o atacante americano Rodolfo, time tem de manter ofensividade: %u201CVamos tentar jogar, marcar e sair forte para jogo%u201D(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS %u2013 24/11/20)
Para o atacante americano Rodolfo, time tem de manter ofensividade: %u201CVamos tentar jogar, marcar e sair forte para jogo%u201D (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS %u2013 24/11/20)

América e Cruzeiro decidem hoje, às 16h, no Independência, quem enfrenta o Atlético na decisão da edição 2021 do Campeonato Mineiro. Por ter feito melhor campanha na fase de classificação e vencido o jogo de ida, no Mineirão, há uma semana (2 a 1), o Coelho pode perder por até um gol de diferença para ir à final. À Raposa só resta partir para o ataque para mostrar a força de outras temporadas, quando conquistou resultados considerados difíceis.
No caso dos americanos, o melhor é manter a calma, como fizeram contra o próprio rival em 2016, última vez em que se sagrou campeão estadual. Nas semifinais, fez 2 a 0 no primeiro confronto, como mandante, gols de Adalberto e Victor Rangel, segurando o empate sem gols no duelo de volta, no Mineirão, e se garantindo para encarar o Atlético na final.

No ano passado, o Coelho também foi muito forte fazendo a segunda partida em casa, mas na Copa do Brasil. Desde a terceira fase, quando enfrentou a Ferroviária-SP, em Araraquara, foi garantindo bons resultados como visitante nas disputas de ida. Assim, passou por Ponte Preta, Corinthians e Internacional (nos pênaltis), antes de cair diante do Palmeiras, que acabaria campeão.

A missão, segundo os americanos, é manter aquele nível de concentração para chegar à final. “A gente não segurou nenhum resultado na Copa do Brasil, não deixamos nunca de jogar. O que fizemos foi manter nosso padrão, que é marcar forte e ir forte ao ataque. Então, vamos tentar manter isso, jogar, marcar e sair forte para jogo”, afirma o atacante Rodolfo.
Já o volante Zé Ricardo está bastante entusiasmado com a chance de disputar a decisão mineira pela primeira vez na carreira. Ele subiu para o profissional justamente em 2016, mas não chegou a participar dos jogos contra Cruzeiro e Atlético nos mata-matas.

“Temos como objetivo chegar à decisão e manter viva a chance de voltar a dar um título mineiro à torcida. Estamos muito focados, treinamos forte e esperamos colocar em campo o que o técnico Lisca tem nos passado. A gente sabe da dificuldade de enfrentar o Cruzeiro em mais um clássico, mas estamos prontos pra outro grande duelo”, diz o jogador.

EM ABERTO

Pelo lado azul, a promessa é de muita entrega para, no mínimo, conquistar a vitória, ainda que a classificação não venha. Afinal, o principal objetivo de 2021 é voltar à Série A do Campeonato Brasileiro. Chegar à decisão do Estadual seria um grande incentivo nesse sentido.

“A expectativa é positiva pelo desempenho que tivemos na primeira partida. Fomos superiores ao adversário na maior parte do tempo, fizemos outro bom jogo dentro desse nosso crescimento que estamos construindo. Pensando em processo e no objetivo principal do ano, estamos no caminho certo. Em dois confrontos contra equipes de Série A, vencemos um e perdemos outro, mas poderíamos ter ganho também, mostramos muita força quando tivemos tempo suficiente. Isso vem ao encontro do trabalho dos atletas e da preparação para a Série B”, afirma o técnico Felipe Conceição, que tem conseguido boa evolução desde que assumiu a equipe, em fevereiro.

Entre os jogadores o pensamento é bem parecido. “Nosso desempenho no primeiro jogo foi muito bom, mas o resultado não foi tão legal. Mas a gente fica feliz por ter dominado a partida quase todo o tempo. Infelizmente, em cinco minutos de desatenção, acabamos sofrendo dois gols. Mas a gente trabalhou bem e vamos fazer uma grande partida”, promete o atacante Aírton, que destaca o crescimento da equipe celeste, que vem fazendo bons jogos. “É fruto do trabalho da comissão técnica e dos jogadores. Esperamos crescer cada vez mais.”

Tendência é de só uma mudança nas escalações


Em termos de formações, as duas equipes não devem ter grandes mudanças em relação ao jogo passado. Afinal, tanto o comandante americano, Lisca, quanto o cruzeirense, Felipe Conceição, saíram do Mineirão no domingo elogiando o comportamento de suas equipes.
No Coelho, a grande dúvida é quanto ao aproveitamento do atacante Ademir. Depois de ir para a reserva enquanto aguardava desfecho de transferência para o Palmeiras, que acabou frustrada, ele entrou durante o jogo de ida e marcou o gol da vitória no fim do segundo tempo. Resta saber se, caso seja titular, quem será sacado pelo treinador, podendo ser o armador Bruno Nazário ou o atacante Felipe Azevedo.
Isso também altera a configuração tática. Afinal, Bruno Nazário, recém-contratado pelo alviverde, atua um pouco mais recuado, enquanto tanto Felipe Azevedo quanto Ademir são bem mais agudos.

Pelos lados da Raposa, Felipe Conceição também não deve promover mudanças significativas. Apesar de ter todos os atletas à disposição, a tendência é manter a formação com Rômulo como armador, Bruno José e Aírton pelos lados e Rafael Sóbis centralizado no ataque. William Pottker, que vem entrando bem nas partidas, tenta convencer o comandante de que pode ser titular novamente.


Novidade no  banco azul e no alviverde


Os bancos de reserva do Independência terão novidades neste segundo jogo das semifinais do Campeonato Mineiro. Pelo lado do América, que é mandante, o auxiliar Cauan de Almeida assume o lugar do técnico Lisca, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Já a área reservada aos celestes terá pela primeira vez o atacante Guilherme Bissoli, apresentado na semana passada e cujo nome foi publicado no Boletim Informativo Diário (BID) na quinta-feira.

Havia dúvida se o comandante americano poderia ir ao estádio, baseado no Regulamento Geral das Competições (RGC) da CBF. Porém, o artigo 66 do regulamento geral da Federação Mineira do Futebol (FMF) permite que membros da delegação suspensos estejam nos locais de competição, mas sem acesso ao campo de jogo.

O treinador foi pivô de muitas polêmicas no primeiro confronto, no Gigante da Pampulha, ao discutir com o atacante Bruno José, com o goleiro Fábio e ao provocar o banco do Cruzeiro após a virada do América. Ele alegou que foi insultado por integrantes da comissão técnica celeste, com a confusão se instalando depois do apito final, sendo necessária a intervenção dos seguranças dos clubes e do Mineirão.

Já Bissoli, de 23 anos, vinha atuando pelo Athletico e tem condições de entrar, caso seja desejo de Felipe Conceição. Quem ficou fora da lista de relacionados foi o experiente Marcelo Moreno.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade