Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL MINEIRO

Dos testes à base celeste

Depois de variar escalações, espinha dorsal no meio e no ataque ajudou a Raposa a emplacar quatro vitórias seguidas


17/04/2021 04:00 - atualizado 18/04/2021 10:26

O meia Marcinho está entre os que ganharam a confiança de Felipe Conceição: %u201CAgora, é dar sequência, sabendo que o ano é muito difícil%u201D(foto: BRUNO HADDAD/CRUZEIRO %u2013 15/2/21)
O meia Marcinho está entre os que ganharam a confiança de Felipe Conceição: %u201CAgora, é dar sequência, sabendo que o ano é muito difícil%u201D (foto: BRUNO HADDAD/CRUZEIRO %u2013 15/2/21)

O técnico do Cruzeiro, Felipe Conceição, havia afirmado que, depois de período de testes no início da temporada, tentaria manter uma base da equipe e que os resultados iriam aparecer. E tem cumprido o prometido, pois depois da parada do futebol em função das medidas restritivas para conter o avanço da pandemia de COVID-19, o time não sabe o que é perder: foram quatro vitórias e um empate, este logo na retomada, em 1º de abril, contra o Tombense.

Algumas situações fugiram do controle do comandante, como a saída do zagueiro Manoel ou atletas cumprindo suspensão. Mas, do que teve à disposição, vem mantendo o time, principalmente do meio para a frente, setor em que parece ter se convencido da formação ideal com Adriano e Matheus Barbosa como volantes, Marcinho como armador e Bruno José, Aírton e Rafael Sóbis como atacantes.

Desses, apenas o experiente Sóbis nunca teve a titularidade ameaçada. Bruno José ganhou a concorrência com William Pottker para ser o homem pela direita, Aírton convenceu mais o treinador que Felipe Augusto pela esquerda e Marcinho se saiu melhor, na visão do chefe, que Claudinho.

Para eles, o importante é que o Cruzeiro saia vencedor, independentemente de quem jogue. “Estamos em um momento muito bom, com quatro vitórias seguidas, nos esforçando muito para alcançar nossos objetivos. Nesses jogos colocamos um pouquinho do que a gente vem fazendo nesses dois meses e pouco com o professor Felipe. Agora, é dar sequência, sabendo que o ano é longo, muito difícil. Vamos buscar resultados positivos nesses dois jogos que restam (primeira fase do Campeonato Mineiro) para a gente garantir a classificação e ir para o mata-mata. Depois, buscar ser campeão, que é o que a gente almeja”, diz Marcinho, um dos contratados para a temporada e que, como Matheus Barbosa e Bruno José, conseguiu a titularidade.

VAGA Amanhã, contra o Pouso Alegre, às 11h, no Manduzão, pela 10ª rodada do Estadual, os cruzeirenses vão procurar ampliar a boa sequência de vitórias. Se vencerem, garantirão a classificação, desde que a Caldense não ganhe do Athletic hoje, no Ronaldão.

“A gente tem de colocar em prática o que vem treinando. Cada jogo tem uma história e temos de procurar melhorar. Vamos em busca disso, e vencer sempre. O jogo mais importante é sempre o próximo. Então, é buscar os três pontos”, afirma Marcinho. “Nossa intenção é fazer um bom jogo e sair com a vitória. Aí, já encaminhamos a vaga (nas semifinais)”, declara o camisa 95, que foi titular nos últimos quatro jogos, assim como Bruno José – contra o Tombense, em 1º de abril, Aírton começou no banco, dando lugar a Felipe Augusto.

O Pouso Alegre vem de dois bons resultados em casa, tendo goleado a URT por 3 a 0 na URT e feito 3 a 1 na Caldense. Porém, perdeu para o Atlético e empatou com o Patrocinense, ambos fora, e tentará se impor para manter vivo o sonho das semifinais nesta volta ao Módulo I.

Estrelada
Salário readequado

Ontem, o clube anunciou a “readequação salarial” do zagueiro Weverton, de 18 anos, além da preferência de renovação até 21 de dezembro de 2025, “a critério exclusivo do Cruzeiro”. O atual vínculo vai até 29 de maio de 2024. Ele se tornou titular após a saída do experiente Manoel.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade