Publicidade

Estado de Minas

Cruzeiro busca laterais no mercado


postado em 09/05/2020 04:00

“Um grupo muito bom, muito qualificado.” Assim o diretor de futebol do Cruzeiro, Ricardo Drubscky, definiu a qualidade dos jogadores que o técnico Enderson Moreira tem à disposição para trabalhar visando ao retorno para a elite do Campeonato Brasileiro, quando o futebol no país for retomado. Ainda assim, o dirigente destacou que estar em busca reforços pontuais no mercado – as prioridades são as laterais.
“Estamos muito felizes com o que temos, além do Régis, do Patrick Brey e do Lucas França, vamos trazer mais dois, três jogadores”, disse Ricardo Drubscky, em entrevista à rádio 98FM.
 
Ele relembrou as dificuldades enfrentadas pelo clube desde o início da temporada, com a necessidade de renegociar salários e remontar o grupo, e falou sobre os problemas financeiros da Raposa, que segue com salários atrasados. “Tem jogadores que nem estrearam, tem jogadores que começaram no último jogo. O Adilson (Batista, ex-treinador) sofreu por receber um jogador atrás do outro e não conseguiu encaixar todos. Além disso, estamos passando por problemas financeiros, temos que readequar salário dos jogadores, jogadores na Justiça, agora a pandemia.”

EXPECTATIVA Enquanto aguarda o fim da quarentena para se apresentar ao Cruzeiro, o meia-atacante Régis vê com expectativa a chegada ao novo clube. Contratado ao Bahia, por indicação de Enderson Moreira (com quem trabalhou no tricolor), ele está emprestado pelos baianos só até o fim deste ano e espera ter chance de mostrar seu valor.
 
Régis diz estar confinado em seu sítio em Turmalina, no interior paulista, e seguindo o protocolo de treinos físicos elaborado pela comissão técnica celeste. Aos 27 anos, espera chegar em boas condições à Toca da Raposa II: “Estou na minha cidade, pequena, Turmalina, com 2 mil habitantes. Treino todos os dias, é difícil, a vontade de voltar a jogar é muito grande. Desde que jogo futebol, ainda moleque, nunca fiquei tanto tempo assim sem jogar, é estranho. Mas o importante é a gente se cuidar, sabemos que o momento é complicado. Esperamos que surja alguma vacina que cure isso e que a gente volte a fazer o que mais ama”.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade