Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO BRASILEIRO

Hora da superação

Atlético faz hoje, contra o Goiás, o primeiro de dois duelos considerados decisivos pelos jogadores para afastar o alvinegro da zona de rebaixamento. Domingo, será a vez do Cruzeiro


postado em 06/11/2019 04:00 / atualizado em 05/11/2019 21:33

(foto: Bruno Cantini/Atlético)
(foto: Bruno Cantini/Atlético)

"A Massa precisa estar junto, que cante do início ao fim, que esqueça a vaia, não pegue no pé de um atleta ou outro, para que a gente possa estar concentrado. Juntos, vamos sair desta situação. É uma semana importante porque temos o Goiás e depois vamos para o domingo (clássico), que é especial também"

Patric, lateral atleticano


O Atlético terá que se superar hoje para vencer o Goiás, às 20h, no Mineirão, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além de deixar de lado as más lembranças que o Gigante da Pampulha traz nesta temporada, o time precisa melhorar o desempenho: são apenas duas vitórias nas últimas 16 rodadas. O Galo está na 13ª colocação, com 36 pontos – cinco a mais que o Fluminense, o primeiro na zona de rebaixamento. Segundo o departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o alvinegro tem 5,6% de chances de cair para a Série B.

Na Cidade do Galo, a semana é tratada como decisiva para buscar uma reviravolta no Brasileiro. Depois de receber o Goiás, o Atlético voltará a jogar no Mineirão na próxima rodada – domingo, a partir das 16h, o adversário será o Cruzeiro.

“O jogo contra o Goiás é extremamente importante para a gente. A Massa precisa estar junto, que cante do início ao fim, que esqueça a vaia, não pegue no pé de um atleta ou outro, para que a gente possa estar concentrado. Juntos, vamos sair desta situação. É uma semana importante porque temos o Goiás e depois vamos para o domingo (clássico), que é especial também”, avaliou o lateral-direito Patric, que deve ser titular nesta noite.

Guga, o “dono” da posição, não participou integralmente dos treinos durante a semana por ter se envolvido em um choque de cabeças com Carlinhos, durante o empate por 2 a 2 com o Fortaleza no sábado. Com isso, Patric será titular na direita, e Fábio Santos recupera a posição na ala esquerda.

No meio-campo, muito mistério. O técnico Vagner Mancini não permitiu a presença dos jornalistas no treinamento de  ontem. As principais dúvidas são sobre o substituto do lesionado Nathan e se David Terans seguirá na equipe. Destaques no segundo tempo contra o Fortaleza, os jovens Bruninho e Marquinhos podem ganhar oportunidade como titulares. Cazares, Elias e Vinicius são outras opções. Certo é que Luan e Otero (de volta após cumprir suspensão) estão confirmados no time.

Retrospecto no Mineirão

Palco de grandes atuações e títulos históricos do Atlético ao longo de mais de 50 anos, o Mineirão não tem dado tanta sorte em 2019. Nesta temporada, o alvinegro mandou oito partidas no estádio: foram cinco vitórias e três derrotas, o que corresponde a aproveitamento de 62,5%. O problema é o retrospecto nas partidas mais importantes.

Na fase de grupos da Copa Libertadores, o Galo ganhou apenas um dos três jogos disputados: 3 a 2 sobre o Zamora-VEN. Contra Cerro Porteño-PAR e Nacional-URU, derrotas por 1 a 0. O resultado contra os uruguaios culminou na eliminação do torneio continental. Meses depois, a equipe alvinegra perdeu nos pênaltis para o Colón-ARG (após triunfo no tempo regulamentar) e caiu na semifinal da Copa Sul-Americana.

No Brasileiro, o Atlético mandou apenas um confronto no Mineirão. Na quarta rodada, em partida que valia a liderança da competição, o alvinegro perdeu para o Palmeiras por 2 a 0. As outras três vitórias foram no Campeonato Mineiro: 3 a 2 sobre o América (primeira fase), 3 a 1 diante do Tupynambás (quartas de final) e 5 a 0 sobre o Boa (partida de volta da semifinal).

“Tenho pedido ao torcedor do Galo que vá (ao estádio), que incentive. Se ao término do jogo ele não gostar, tem o direito de vaiar e criticar, mas ele é muito importante para a gente. Jogando com o DNA do Atlético, a gente precisa do torcedor”, disse Vagner Mancini.


O ADVERSÁRIO

Rafael Moura é arma goiana

Empolgado por bons resultados recentes, o Goiás sonha com vaga na Copa Libertadores de 2020. E o grande destaque da equipe na arrancada recente é um ex-jogador do Atlético. Declaradamente alvinegro, Rafael Moura se firmou como titular no comando de ataque da equipe goiana. Foram três gols nos últimos três jogos do Brasileiro, diante de Athletico-PR, Flamengo e Avaí. “Tento me reinventar. Desde que virei titular, o aproveitamento do time cresceu muito. Espero melhorar ainda mais nesta reta final”, disse Rafael Moura, que também projetou o duelo com a equipe que defendeu pela última vez em 2017: “A torcida do Galo é muito vibrante. Cobra bastante, mas também apoia. O clube passa por um momento ruim e encara a partida como uma final. Estão perto do Z-4 e vendo o rival Cruzeiro chegar. Vai ser um jogo de muito embate, de muito calor em campo, mas a torcida não joga”. Para o jogo desta noite, o volante Gilberto volta ao time na vaga de Breno. Por outro lado, o zagueiro Fábio Sanches cumprirá suspensão e será substituído pelo estreante Lucão.

FICHA TÉCNICA
Atlético x Goiás
Atlético: Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison, Elias, Luan, Terans (Cazares) e Marquinhos (Otero); Franco di Santo
Técnico: Vagner Mancini
Goiás: Tadeu; Yago Rocha, Lucão, Rafael Vaz e Jefferson; Gilberto, Yago Felipe e Léo Sena; Michael, Leandro Barcia e Rafael Moura
Técnico: Ney Franco
31ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão
Horário: 20h
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Neuza Inês Back e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Amaral (SP)
Atleticanos pendurados: Di Santo, Igor Rabello, Maidana, Réver, Vinícius, Zé Welison, Leo Silva e Luan
TV: Pay-per-view





Publicidade