Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO BRASILEIRO

Cruzeiro atropela o Santos na estreia de Ceni

Na estreia de Ceni, Cruzeiro vence o líder, quebra o jejum de 11 partidas sem triunfar, deixa a zona de rebaixamento e ainda vê Fred voltar a balançar as redes após 16 jogos


postado em 19/08/2019 04:00 / atualizado em 18/08/2019 21:42

Thiago Neves e Fred garantiram o 2 a 0 da Raposa sobre o Santos: esquema ofensivo e expulsão de adversário no começo foram fundamentais(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
Thiago Neves e Fred garantiram o 2 a 0 da Raposa sobre o Santos: esquema ofensivo e expulsão de adversário no começo foram fundamentais (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)


Era um cenário propício para a reação. Fim de tarde de sol, arquibancadas cheias, técnico novo e um jogador a mais em campo desde os 5min do primeiro tempo. A chance que o Cruzeiro precisava para deixar para trás os 11 jogos sem vitórias na Série A. E não desperdiçou. Na estreia de Rogério Ceni, bastante aplaudido pela torcida, venceu o líder, Santos, por 2 a 0, pela 15ª rodada do Brasileiro. Com o resultado, o time foi a 14 pontos, saindo da zona de rebaixamento, beneficiado pela derrota do Fluminense para o CSA por 1 a 0, no Maracanã. No próximo compromisso, os comandados de Ceni enfrentam justamente os alagoanos, domingo, às 19h, no Estádio Rei Pelé, já podendo mirar o pelotão intermediário da tabela.

Foi um dia de redenções. O primeiro gol foi marcado pelo atacante Fred, que amargava uma sequência de 16 partidas sem balançar as redes. Aos 43min, Thiago Neves tocou para o centroavante, que ajeitou e chutou forte e cruzado para vencer Éverson. No segundo tempo, foi a vez de Fred retribuir a assistência ao armador, que teve o nome gritado no segundo tempo pelos torcedores. “O Fred e o Fábio são as duas referências. São os jogadores que servem de espelho para muitos. Então, fico feliz pelo gol do Fred, ele precisava desse gol. Espero que a porteira esteja aberta”, comentou Thiago Neves.

O que se viu foi uma Raposa ofensiva como há muito o cruzeirense não acompanhava. Foram 19 finalizações, sendo 10 certas. “A minha filosofia de jogo, nos meus três anos de trabalho, é ser o mais agressivo possível, para que a gente mate o jogo”, comentou Ceni após a vitória. “Os grandes protagonistas foram os jogadores. Qualidade existe, a gente só precisa que eles coloquem em prática. Vamos sair dessa situação jogo a jogo”

A vitória dá tranquilidade para o treinador, que chegou ao Cruzeiro terça-feira e teve menos de uma semana para preparar o time que enfrentaria o líder, do técnico argentino Jorge Sampaoli. Ceni fez mudanças: para ganhar velocidade, optou por jogar sem centroavante fixo (Pedro Rocha foi o mais avançado); e Dodô foi para o meio-campo na vaga de Ariel Cabral.

Além de toda a pressão pelos resultados ruins, a vitória passou a ser uma obrigação logo aos 2min. Em lance de indecisão com o goleiro Éverson, Gustavo Henrique, último atleta da defesa, derrubou Pedro Rocha quase na entrada da área, em nítida chance de gol. O árbitro Anderson Daronco estava em frente ao lance, mas precisou consultar o árbitro de vídeo para aplicar o vermelho ao zagueiro. Com um a mais, o Cruzeiro passou a pressionar, chegou a ter 70% da posse de bola e assustou o goleiro adversário em chute de fora da área de Thiago Neves. Éverson tirou com a ponta dos dedos e a bola tocou no travessão antes de sair para escanteio. Depois de perder algumas chances, o gol de Fred ajudou o time a ir para o vestiário com mais tranquilidade.

VANTAGEM Para a alegria da torcida, o Cruzeiro ampliou logo no início do segundo tempo. Fred retribuiu a assistência e tocou para Thiago Neves, que acertou chute forte, de canhota, no canto esquerdo de Everson. Os minutos finais foram de tranquilidade – a ponto de as torcidas passarem a prestar mais atenção no duelo de bandeirões, nas músicas e gritos de olé do que no próprio jogo.

Se havia promovido mudanças por razões táticas, Ceni teve de alterar por problemas médicos. Dedé sentiu lesão e deu lugar a Cacá, que formou zaga com Fabrício Bruno (substituto de Leo, que foi poupado por causa de desgaste muscular). “Pareceu câimbra, olhei para o relógio e, se forçasse muito, poderia agravar”, explicou Dedé, que falou sobre a volta das vitórias. “Nosso time precisava recuperar a confiança. Não que nosso técnico passado, Mano Menezes, não conseguisse, mas ele mesmo achou que nosso time não estava andando da mesma forma. Uma renovação com Rogério nos deu essa confiança. Ele trabalha 16 horas por dia para tirar o nosso melhor”, contou.

O Santos chegou a crescer, atacou em lances com Lucas Veríssimo e Eduardo Sasha, mas não assustou Fábio. O Cruzeiro, por sua vez, continuou pressionando, teve chances com Marquinhos Gabriel, Thiago Neves e Fred, mas não ampliou.

RODADA Em outros jogos da rodada, o São Paulo venceu o Ceará no Morumbi com gol do lateral-direito estreante Daniel Alves, capitão da Seleção Brasileira. Na Fonte Nova, Bahia e Goiás ficaram no 1 a 1. Já Chapecoense bateu o Avaí por 1 a 0.
 
Rogério Ceni exaltou a postura ativa da equipe:
Rogério Ceni exaltou a postura ativa da equipe: "A minha filosofia de jogo é ser o mais agressivo possível, para que a gente mate o jogo" (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
 

Otimista com a Copa do Brasil, mas CSA na mira

Questionado sobre a Copa do Brasil, cujo duelo de volta da semifinal será em 4 de setembro, no Beira-Rio, o treinador disse que focará primeiro no Brasileiro, mas exibiu otimismo. “O Inter veio aqui, venceu por 1 a 0, tem uma vantagem. Jogar no Beira-Rio é difícil, o Inter ganha a maioria dos jogos em casa. Mas eu preciso pensar nesta semana. Antes temos o CSA, o Vasco”. Em suas projeções, a Raposa ganhará corpo. “Daqui a três semanas tenho certeza que nosso time vai estar fisicamente melhor, o entrosamento também. Eu quero ganhar, vou sempre em busca das vitórias”.

Se festejou seus jogadores pelo triunfo sobre o Santos (“Foram brilhantes no que a gente se propôs a fazer”), se preocupando em citá-los nominalmente, exaltou também o papel dos torcedores. “A torcida foi fantástica, bonito de ver. Boa parte do estádio cheio. Um time que iniciou a rodada em 17º lugar. Ver 45 mil torcedores... (presentes 43.604). Imagino o que a gente pode fazer tornando esse time mais competitivo e brigando por coisas maiores. É uma atmosfera incrível o Mineirão ao seu favor. Contra eu já conhecia, a favor é a primeira vez”.

Quanto à escalação de ontem, com mudanças surpreendentes, como a presença do lateral-esquerdo Dodô como volante, substituindo Ariel Cabral, ou Fred e Robinho no banco, Ceni preferiu uma saída diplomática. “Eu conto com a compreensão de todos, eles se dedicam muito no dia a dia”. “Egídio tive que tirar, pedi desculpas a ele, mas naquele momento se fazia necessário”.

Ainda que ofensivo, ele afirmou que não abre mão de uma formação compacta. “Time que joga muito espaçado normalmente sofre, principalmente contra times que tocam muito a bola, envolvem o adversário. Se você não estiver compacto, acaba sofrendo. Independentemente do setor do campo”.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 2 X 0 SANTOS
Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Dedé, Fabrício Bruno e Egídio (Fred 25 do 1º); Henrique e Dodô; Marquinhos Gabriel, Thiago Neves, David (Robinho 22 do 2º) e Pedro Rocha
Técnico: Rogério Ceni
Santos: Everson; Jorge, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique; Felipe Jonatan, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Alison 16 do 2º) e Evandro (Pará 9 do 1º; Luiz Felipe, intervalo); Derlis González, Eduardo Sasha e Soteldo
Técnico: Jorge Sampaoli
15ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão
Gols: Fred 43 do 1º; Thiago Neves 2 do 2º
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS)
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Cartão amarelo: Fred, Thiago Neves e Sampaoli
Cartão vermelho: Gustavo Henrique
Público: 36.975
Renda: R$ 629.491
Próximos jogos: CSA (f), Vasco (c) e Grêmio (c)

ESTRELADA...

Feminino é goleado

O Cruzeiro ficou mais distante do título da Série A-2 do Campeonato Brasileiro Feminino ao ser goleado pelo São Paulo, no Pacaembu, por 4 a 0. Bruna e Yaya, no primeiro tempo, e Valéria e Cris, na etapa complementar, marcaram os gols no duelo que abriu as finais. O time vem de campanha brilhante na competição, já tendo garantido acesso à elite, e agora precisará reagir na revanche, domingo, no Mineirão.


Publicidade