Publicidade

Estado de Minas

Ze Colmeia: de BH para o UFC


postado em 03/08/2019 04:07


O Ultimate Fighting Championship (UFC) tem novo representante brasileiro. Natural de Belo Horizonte, Rodrigo Nascimento, de 26 anos, conhecido como “Zé Colmeia”, assinou contrato com a principal organização das Artes Marciais Mistas na quarta-feira, depois de vencer uma luta do programa Dana Whites’s Contender Series, criado pelo presidente do UFC para revelar novos talentos. O Estado de Minas/Superesportes conversou com o novo lutador da categoria peso-pesado (até 120kg) da organização, que finalizou o tcheco Michal Martinek com um katagatame logo no primeiro round, em Las Vegas – o golpe rendeu aplausos de Dana White. Ele comentou o confronto e relembrou fatos importantes da carreira no esporte, como quando começou a lutar boxe no Bairro Santa Terezinha, na Região Pampulha, em BH, em 2010.
 
“Passou tanta coisa na minha cabeça… Passou um trabalho de quase 10 anos. Ttreino desde 2010, buscando esta oportunidade profissional desde 2012. Quando tudo começou, era só um sonho, algo muito longe, quase impossível de acontecer. Ainda mais vindo de onde venho, e estou aí hoje, graças a Deus, no maior evento do mundo de MMA. Vindo do ‘Santeba’, vindo de BH, sendo brasileiro peso-pesado, novo ainda. É uma nova geração dos pesos-pesados. Passou muita coisa, até as dificuldades que a gente tem ao longo desse tempo. Foi uma explosão de sentimentos”, disse o novo lutador do UFC.
 
Rodrigo começou a carreira no bairro onde ainda mora. Ele deu os primeiros passos na chamada ‘nobre arte’ por meio do treinador Éverton Rabelo de Andrade, também conhecido como Brow ou Tom. O professor, no entanto, foi assassinado a tiros no Conjunto Habitacional Santa Terezinha (Cojam) em 2012. Entre as dedicatórias da sétima e mais importante vitória profissional de MMA na carreira, Brow esteve entre os citados por Zé Colmeia, que é faixa roxa em jiu-jítsu e sem graduação nas demais modalidades.

família e amigos Rodrigo disse que, antes de retomar os treinos e se preparar fisicamente para a estreia no UFC, pretende rever família e amigos do bairro. “Daqui a pouco estou voltando para BH e preciso, primeiro, abraçar minha família, meus parentes, meus irmãos. Estou doido para chegar em casa, ver meu cachorro, ver meu computador, jogar um Fortnite. Adoro jogar Fortnite. Quando chegar no bairro, quero fazer aquela resenha com o pessoal, com um bom churrasco, estou com essa vontade. Depois desse rápido momento, é foco”.
 
O mineiro tem como objetivo principal agora “fazer uma luta no UFC, para ficar mais tranquilo, me estabelecer financeiramente e investir este dinheiro no meu camp. E, com isso, crescer. Meu próximo passo será entrar no top 10, top 5, e, se Deus quiser, chegar bem em uma disputa de cinturão se for possível, se Ele abençoar. Com cada um fazendo seu trabalho, a gente pode levar este cinturão para o Brasil, para Minas Gerais, para BH e para o ‘Santeba’”.
 
Muito feliz com o fruto do árduo trabalho de uma década, o também professor Rodrigo Nascimento, que dá aulas no Bairro Santa Terezinha, disse que vai aliar a rotina de treinos e aulas. “Isso é inacreditável. Tanta gente desacredita, fala que a gente não vai chegar, mas quem abre mão das coisas consegue chegar. Sair do ‘Santeba’, quem mora lá sabe, é um bairro bom demais, graças a Deus é um lugar bom, com pessoas boas, mas tem uns vacilões. Ficamos felizes demais, muito pelo Tom. Vou continuar dando aulas no bairro e, ao mesmo tempo, treinar e me cuidar”, finalizou o peso-pesado.


Publicidade