Publicidade

Estado de Minas

Lágrimas de campeão

Brasil leva ouro inédito no badminton, com o carioca Ygor Coelho. No surfe, modalidade estreante no evento, brasileira garante a vitória após se recuperar de um caldo no mar


postado em 03/08/2019 04:07

Ygor Coelho, de 22 anos, não se conteve de emoção depois de bater o canadense Bryan Yang, em Lima(foto: LUIS ACOSTA/AFP)
Ygor Coelho, de 22 anos, não se conteve de emoção depois de bater o canadense Bryan Yang, em Lima (foto: LUIS ACOSTA/AFP)

O Brasil conquistou ontem mais uma medalha especial nos Jogos de Lima. Ygor Coelho entrou para a história ao se tornar o primeiro brasileiro campeão pan-americano no badminton. Na final individual, ele derrotou o canadense Bryan Yang por 2 a 0 (21/19 e 21/10). Ao confirmar a vitória, arrancou aplausos dos presentes ao cair no chão e ir às lágrimas.“Estou muito orgulhoso de poder representar meu país e ainda mais em faturar uma medalha de ouro”, disse.
 
Ygor entrou na competição como um dos favoritos, por ser o melhor representante das Américas no ranking mundial. O carioca, de 22 anos, é considerado uma das revelações no continente – tem no currículo o bicampeonato Pan-Americano da modalidade, em 2017 e 2018. Mas o adversário, de 17, chegou à final como grande surpresa, pois havia eliminado os experientes Osleni Guerrero, de Cuba, campeão do último Pan de Badminton, em abril; e Kevin Cordón, da Guatemala, ouro nos Pans de Guadalajara’2011 e Toronto’2015.
 
Ygor confessou ter entrado em quadra preocupado. Desta vez, no entanto, o desfecho foi diferente. “Estava perdido depois da Olimpíada do Rio’2016, aí o COB me ajudou com estrutura, me deram uma treinadora e isso fez toda a diferença”, disse o campeão, que compete na Dinamarca, pelo Højbjerg: “O nível da liga dinamarquesa é muito alto, há atletas do mundo todo. Aprendi muita coisa. Minha técnica, concentração, como cuidar do corpo. Sou outro jogador agora.”

NO MAR Foi também dia de medalhas no mar. Lena Ribeiro tornou-se a primeira a conquistar o ouro no surfe (que estreou em Pans), na categoria Stand Up Paddle Race. Venceu a grande favorita, a norte-americana Candice Appleby, em um final de prova conturbado por causa das pesadas ondas em Punta Rocas, ao Sul de Lima. No masculino, Vinnicius Martins foi prata.
 
“A prova foi bem difícil. No começo, ainda consegui ficar com a Candice, que era a favorita porque, além de grande remadora, é uma grande surfista”, disse a brasileira. “A gente foi para a reta final com a porto-riquenha muito perto de mim. Vi a Candice indo pelo lado esquerdo e sabia que era um trajeto mais conservador”, conta Lena, que levou um caldo e, ao emergir, pensou estar lutando pela prata: “Veio uma onda muito grande e caí. Perdi a noção do que estava acontecendo. Não percebi que a Candice também tinha tomado um caldo. Até eu abrir o olho na linha de chegada, nem sabia em que posição estava. Para mim, ela já tinha chegado. Foi quando olhei para a água e vi que a prancha dela ainda estava lá, com ela ao lado”.

tênis Dois brasileiros estão na semifinal do Pan. Carolina Meligeni, sobrinha de Fernando Meligeni, entra em quadra hoje, às 12h (de Brasília). Às 14h, será a vez de João Menezes, mineiro de Uberaba, que ontem eliminou o favorito ao título em Lima: o chileno Nicolás Jarry, único top 100 do Pan – é o 55º do ranking da ATP, enquanto João ocupa a 212ª colocação.


Publicidade