Publicidade

Estado de Minas

Mais um desastre em casa


postado em 27/07/2019 04:14

Derrota para o Atlético-GO foi a sétima do América no Independência: com o tropeço, equipe mineira caiu para a lanterna(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Derrota para o Atlético-GO foi a sétima do América no Independência: com o tropeço, equipe mineira caiu para a lanterna (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)


E o sofrimento continua. Em noite que parece ter confirmado o divórcio entre a torcida e o time, com a arquibancada mais uma vez vazia (1.241 torcedores), o América voltou a perder: 1 a 0 para o Atlético-GO. A sétima derrota pelo Campeonato Brasileiro da Série B – quarta no Independência – empurrou o Coelho para a lanterna, já que o Guarani venceu o São Bento por 2 a 1.

O jogo no Horto foi decidido num gol aos 44min do segundo tempo. A equipe chegou à quinta partida sem vitória – o último e único triunfo foi o 3 a 1 sobre o CRB, em Maceió, em 8 de junho, pela sétima rodada.

Até parecia um repeteco da partida de terça-feira, o 0 a 0 com o Oeste, tanto no gramado quanto nas cadeiras. Poucas pessoas presentes e a charanga da Avacoelhada com apenas cinco instrumentistas, um terço do total. A da Barra Una, em litígio com o alviverde, assim com Seita Verde e Vale Verde (com faixas ao avesso), nem sequer foi ao estádio. Das organizadas, somente Avacoelhada e Batom Verde não participavam do protesto.

E assistir a jogo do América e procurar entender a forma de jogar da equipe é como tentar resolver uma difícil equação matemática. Com três volantes, não há nenhum jogador de armação no meio de campo. Por consequência, a bola só chega ao ataque em chutões, a maioria a partir dos zagueiros. Matheusinho, o único com características de armador, acaba isolado no setor ofensivo. No intervalo, foi sacado para a entrada de Neto Berola, de perfil mais agudo, quer raras vezes foi acionado. O sistema acabou se virando contra o próprio América, que pouco foi à área adversária.

E a falta de vitórias, de gols, de criatividade, fazendo do Coelho um time apático em campo, gerou mais protestos da torcida a partir da metade do segundo tempo. Os poucos americanos começaram a gritar: “Ô, Ô, Ô, queremos treinador...” A ira não se atém só ao técnico Felipe Conceição, que assumiu há apenas três rodadas, substituindo o demitido Maurício Barbieri. A cada jogada errada, vaias principalmente para William Maranhão, um dos volantes.

O alviverde até teve chance de abrir o placar logo no começo do duelo, mas Jonatas Belusso desperdiçou cobrança de pênalti sofrido por Juninho, defendida pelo goleiro Kozlinski. “Se não vencer hoje, vou ficar um bom tempo sem vir ao campo ver o América”, dizia Fernando Vieira Torres, antes de o jogo começar. Ao término, prometeu: “Vou cumprir”. Ronaldo Andrade enxerga uma explicação para o desastre. “A ansiedade é tanta, que tá parecendo o sub-15 finalizando.”

Para buscar a reação, o América agora vai a Campinas enfrentar a Ponte Preta, sexta colocada, na terça-feira.

FICHA TÉCNICA
América 0 x 1 Atlético-GO
América: Jori; Leandro Silva, Paulão, Ricardo Silva e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho e William Maranhão; Matheusinho (Neto Berola, intervalo), Jonatas Belusso (Júnior Viçosa, 20 do 2º) e Felipe Azevedo (Rafael Bilu, 32 do 2º)
Técnico: Felipe Conceição
Atlético-GO: Kozlinski; Jonatan, Lucas Rocha, Lucas Oliveira e Nícolas; André Castro, Moacir e Jorginho; Mike (Jarro, 35 do 2º), Pedro Raul e Matheus (Hector, 20 do 2º)
Técnico: Wagner Lopes
12ª rodada da Série B do Brasileiro
Estádio: Independência
Gol: Jorginho (44 do 2o)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Júnior (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Bruno César Chaves Vieira (PE)
Cartão amarelo: Ricardo Silva, Matheusinho, Pedro Raul, Koslinski
Pagantes: 1.241
Renda: R$ 5.982



Publicidade