Publicidade

Estado de Minas

Cautela, mas com ousadia

Cruzeiro enfrenta o River Plate em início de temporada e precisa trazer um bom resultado para confirmar a classificação às quartas da Libertadores no Mineirão


postado em 23/07/2019 04:07

Pedro Rocha e seus companheiros fizeram o último treino antes da partida no CT Casa Amarilla, do Boca Juniors(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Pedro Rocha e seus companheiros fizeram o último treino antes da partida no CT Casa Amarilla, do Boca Juniors (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)


Um dia depois de saber que fará o primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil, contra o Internacional, em casa, o Cruzeiro entra em campo hoje, às 19h15 (de Brasília), para a partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, contra o River Plate, em Buenos Aires. Diferentemente do mata-mata nacional, no qual será importante fazer o resultado como mandante, neste primeiro duelo eliminatório do torneio continental a estratégia permite ser um pouco mais cauteloso, trazendo a decisão para o Mineirão, terça-feira que vem.

Isso não significa que o time celeste jogará para empatar, mas até pela situação de alguns dos principais jogadores, não descarta a possibilidade de voltar com um ponto da capital argentina. Se o atacante Fred nem embarcou no domingo devido a labirintite, o armador Thiago Neves trata de incômodo na panturrilha direita que já o havia deixado fora do confronto com o Atlético, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil. 

“Vamos jogar como sempre, como fizemos nestes últimos jogos, com as características que temos fora de casa de estudar o adversário nos primeiros minutos. Mas não vamos ficar só atrás. Quando tivermos a bola no pé, vamos jogar usando a nossa característica, que é a velocidade”, diz o atacante Pedro Rocha, um dos destaques da equipe nas últimas partidas, quando ganhou a condição de titular.

Segundo ele, o Cruzeiro chega mais animado à disputa com o River pelas atuações e a classificação na Copa do Brasil. E também parece mais pronto que o adversário, que atuou apenas três vezes desde maio, sendo dois amistosos e um jogo pela Copa da Argentina, contra o Gimnasia y Esgrima, de Mendoza. “Eles estão voltando de férias e a gente pode tirar um pouco de proveito disso. Tivemos uma parada boa também, mas fizemos alguns jogos maiores e acredito que a nossa condição física esteja melhor que a deles.”

Um ponto em comum entre as duas equipes é o fato de terem comandantes há muito tempo no cargo. Enquanto Marcelo Gallardo é técnico do time argentino desde julho de 2014, Mano Menezes voltou à Toca da Raposa II dois anos depois. Ambos obtiveram conquistas importantes, mas falta ao brasileiro o título da Libertadores, que o rival obteve em 2015 e 2018.

“São duas equipes com ideias diferentes, mas igualmente claras. O River vem com o mesmo treinador há anos e conquistando títulos importantes em função da manutenção das ideias de seu técnico e da execução desse jogo. Vamos estar preparados para enfrentar esse adversário. Será um jogo de intensidade. Temos de exigir tudo da equipe e por isso optei por tirar os principais jogadores contra o Bahia”, explica Mano Menezes.

O jogo de hoje marca a volta do zagueiro Dedé a Buenos Aires. Na partida de ida das quartas da Libertadores’2018, o defensor ficou marcado por um choque com o goleiro Andrada, do Boca Juniors, que fraturou o maxilar. Acabou expulso, mas não precisou cumprir suspensão na volta porque o Comitê Disciplinar da Conmebol considerou o lance involuntário. Em BH, porém, Dedé voltou a receber o vermelho, na noite em que a Raposa foi eliminada – a  derrota por 2 a 0 na ida acabou sendo determinante e deve servir de lição agora. O Cruzeiro voltou à capital argentina contra o Huracán na estreia na Libertadores deste ano (vitória celeste por 1 a 0), mas o zagueiro cumpriu suspensão automática pela expulsão no Mineirão, e não entrou em campo.

PRATTO NO BANCO Não bastasse a falta de ritmo de quem disputou apenas uma partida oficial desde que voltou das férias, o River Plate não deverá contar com um de seus principais jogadores: o atacante Lucas Pratto. O ex-jogador do Atlético foi relacionado, mas não está 100% fisicamente após se recuperar de lesão na parte inferior da coluna. 

A última partida do centroavante foi em 30 de maio, quando o time argentino venceu o Athletico por 3 a 0, no Monumental de Núñez, na finalíssima da Recopa Sul-Americana, com um dos gols dele. O camisa 9 não atuou nos amistosos de pré-temporada, contra os mexicanos Chivas e América, nos EUA, nem no único jogo oficial desde o fim de maio, a vitória nos pênaltis sobre o Gimnasia y Esgrima, depois de empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, na estreia de ambos na Copa da Argentina.

Brasileiro O Cruzeiro foi beneficiado pela goleada do São Paulo sobre a Chapecoense por 4 a 0, ontem à noite, no Morumbi, no encerramento da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram de Antony, Toró, do ex-cruzeirense Raniel, que estreava, e de Vitor Bueno. Com o resultado, a Raposa continua fora da zona de rebaixamento, em 16º lugar, com 10 pontos, um à frente do Fluminense (17º), dois a mais que a Chape (18º), a quatro do CSA (19º)  e a cinco do lanterna, Avaí.
 
  
FICHA TÉCNICA
River Plate x Cruzeiro
River Plate: Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Angileri; Nacho Fernández, Enzo Pérez, Palacios e De la Cruz; Alvarez e Suárez
Técnico: Marcelo Gallardo
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero (Orejuela), Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Robinho, Thiago Neves e Marquinhos Gabriel (Sassá); Pedro Rocha
Técnico: Mano Menezes
Jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores
Estádio: Monumental de Núñez
Horário: 19h15
Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)
Assistentes: Christian Schelmann e Claudio Urrutia (CHI)
VAR: Piero Maza (CHI)
TV: SporTV


Palmeiras em busca da reação

Além de River Plate x Cruzeiro, outros dois jogos abrem as oitavas de final da Copa Libertadores, hoje, só que às 21h30 (de Brasília). Time de melhor campanha na fase de grupos, o Palmeiras vai a Mendoza enfrentar o Godoy Cruz-ARG. Com apenas uma vitória em quatro jogos depois da parada para a disputa da Copa América e tendo amargado eliminação na Copa do Brasil para o Internacional, o técnico Luiz Felipe Scolari vai escalar força máxima em busca de reação. Já em Quito, a LDU-EQU recebe o Olimpia-PAR, no estádio Casa Blanca.


Publicidade