Publicidade

Estado de Minas

Seleção em busca de treinador


postado em 23/07/2019 04:07

Vadão foi demitido ontem pela CBF. Nome da sueca Pia Sundhage é o mais comentado para o cargo(foto: CBF/Divulgação)
Vadão foi demitido ontem pela CBF. Nome da sueca Pia Sundhage é o mais comentado para o cargo (foto: CBF/Divulgação)


Um mês depois de a Seleção Brasileira Feminina de Futebol ter sido eliminada pela França nas oitavas de final do Mundial, o técnico Vadão deixou o comando da equipe nacional. O treinador, que estava em sua sua segunda passagem pelo cargo – reassumiu em 2017 – teve o seu novo ciclo encerrado pela CBF, que vinha sendo pressionada a decidir os rumos dos trabalhos na Seleção. A princípio, Marco Aurélio Cunha continua como coordenador de futebol feminino da entidade.

Antes mesmo do anúncio oficial da saída de Vadão já estava sendo especulado interesse da CBF na contratação da sueca Pia Sundhage, que atualmente dirige a equipe Sub-17 de seu país. Ela é bicampeã olímpica com os Estados Unidos e tem uma medalha de prata com a Seleção da Suécia.

“Após um ano e 10 meses, em sua segunda passagem pela CBF, o técnico Oswaldo Alvarez, Vadão, deixa o comando da Seleção Brasileira feminina”, informou a CBF em nota oficial, na tarde de ontem, lembrando a trajetória do técnico à frente da equipe nacional, inicialmente comandada por ele de 2014 a 2016. Vadão saiu do posto após a Olimpíada do Rio, mas foi reconduzido em setembro de 2017, com a demissão de Emily Lima.

“Vadão dirigiu a Seleção nos Jogos Olímpicos do Rio’2016, ficando em quarto lugar, e em duas edições de Copas do Mundo, no Canadá, em 2015, e na França, em 2019. Conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto’2015, além de duas Copas Américas, em 2014 e 2018, sendo que esta última garantiu a vaga no Mundial da França e na Olimpíada de Tóquio’2020”, completou o comunicado da CBF.

SEQUÊNCIA NEGATIVA Somando as duas passagens pela Seleção, Vadão comandou a equipe em 56 jogos, acumulando 35 vitórias, cinco empates e 16 derrotas. Nove dessas derrotas ocorreram em uma incrível sequência negativa que marcou o período de preparação do Brasil para o último Mundial, no qual o time de Marta e companhia encerrou a péssima fase ao superar a Jamaica por 3 a 0, na estreia da competição, na França.

Depois disso, o Brasil foi derrotado por 3 a 2 pela Austrália, superou a Itália por 1 a 0 para avançar às oitavas de final, mas acabou eliminado pela Seleção Francesa com o revés por 2 a 1 na prorrogação, em 23 de junho, em Le Havre.


Publicidade