Publicidade

Estado de Minas

Aposta na experiência

Atletas como Thiago Neves são importantes para o duelo com o River Plate, amanhã, pela Libertadores, em que a estratégia será controlar o jogo para não deixar a defesa exposta


postado em 22/07/2019 04:15

Thiago Neves foi preservado nas últimas partidas por Mano Menezes para chegar inteiro ao confronto em Buenos Aires(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 3/9/19)
Thiago Neves foi preservado nas últimas partidas por Mano Menezes para chegar inteiro ao confronto em Buenos Aires (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 3/9/19)

Um time experiente, que saiba “sofrer” e aproveitar as poucas chances que aparecer. É dessa maneira que Mano Menezes quer ver o Cruzeiro diante do River Plate, amanhã, às 19h15 (de Brasília), no Monumental de Núñez, na abertura das oitavas de final da Copa Libertadores, naquele que é, possivelmente, o teste mais difícil da equipe em 2019. O objetivo da Raposa, que desde ontem está em território argentino, é segurar o ímpeto dos portenhos para trazer um bom resultado para Belo Horizonte.

Mano e os jogadores estão calejados quando o assunto é confronto com argentinos. No ano passado, a Raposa ficou pelo caminho após derrota para o Boca Juniors por 2 a 0, na Bombonera, e empate por 1 a 1, no Mineirão. Também no ano passado, na fase inicial, foi derrotado por 4 a 2 pelo Racing, em Avellaneda, na estreia. Nesta temporada, venceu o Huracán por 1 a 0, pela fase de classificação.

A estratégia do Cruzeiro será atuar com tranquilidade, cauteloso na defesa e sem afobação no ataque. Por isso, Mano vem preparando o armador Thiago Neves desde a semana passada para que esteja 100% fisicamente e em condiçõe de segurar a bola, para que a equipe celeste tenha maior posse. “É um jogo que vai exigir 110% de todo mundo. Sabemos o que vale. Não colocamos o Thiago contra o Atlético para tê-lo na terça-feira. Será importante contar com todos para enfrentar este grande adversário que é o River”, afirma o treinador.

O camisa 10 está longe de sua melhor forma e foi poupado contra Atlético (pela Copa do Brasil) e Bahia (pelo Brasileiro). Em 2019, o armador de 34 anos atuou em apenas 18 jogos – marcou seis gols. Ele sofreu com lesões musculares na panturrilha direita no início do ano e vem sentindo a falta de ritmo, problema que a comissão técnica trata com total atenção.

VOLANTE Outro que recebe atenção especial do clube é o volante argentino Ariel Cabral. Diferentemente de Thiago Neves, Mano optou por lançar o jogador contra o Bahia (que teve formação totalmente reserva) para que ele ganhasse ritmo para encarar o River. O camisa 5 pode ocupar o posto de Lucas Romero, que está em vias de ser negociado com o Independiente.

Apesar de não descartar Romero, Mano admite que vem preparando Ariel para ser titular no Monumental de Núñez: “A ideia era tirar o Ariel conta o Bahia com 70 minutos, mas a partida ficou de um jeito que um jogador importante como ele era fundamental. Vamos pensar o River com Ariel ou Romero, porque temos que fazer grande jogo”.

Uma das novidades na delegação é o atacante Pedro Rocha, inscrito na segunda fase da Libertadores. Também foram incluídos o zagueiro Lucas Eduardo, o lateral-direito Weverton, o volante Adriano e o armador Maurício, todos da base – saíram Murilo, Rafinha, Lucas Silva, Renato Kayser e Raniel.
 
Fred de fora  

Artilheiro do Cruzeiro na Copa Libertadores, com quatro gols, o atacante Fred é o principal desfalque da equipe na Argentina. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, o jogador de 35 anos não viajou com a delegação em virtude de uma labirintite. Ele foi titular no clássico contra o Atlético, quarta-feira, mas teve atuação sem destaque e foi substituído na etapa complementar por David. Fred amarga jejum de 12 jogos sem balançar as redes. Seu último gol foi na vitória sobre o Deportivo Lara por 2 a 0, em 24 de abril, na Venezuela. Pedro Rocha e Sassá (com mais chance para o primeiro) brigam pela vaga de titular contra o River Plate. 


Publicidade