Publicidade

Estado de Minas

Pratas da casa em ação

Com reservas e muitos jovens no time, Cruzeiro enfrenta o Bahia, na Fonte Nova, com a missão de sair da zona de rebaixamento do Brasileiro. Vitória simples garante o alívio


postado em 20/07/2019 04:14

Goleiro Rafael, que chegou à Toca da Raposa com 13 anos, é espelho para promessas como o armador Maurício (abaixo), que aos 18 vem tendo oportunidade no profissional(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 30/5/19)
Goleiro Rafael, que chegou à Toca da Raposa com 13 anos, é espelho para promessas como o armador Maurício (abaixo), que aos 18 vem tendo oportunidade no profissional (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 30/5/19)

Por causa da prioridade aos torneios de mata-mata, os titulares do Cruzeiro ganharão descanso visando ao jogo contra o River Plate, às 19h15 de terça-feira, em Buenos Aires, pelas oitavas de final da Libertadores. Enquanto isso, os reservas terão a missão de tirar o time da zona de rebaixamento do Brasileiro. Com vários jovens, a Raposa enfrenta o Bahia hoje, às 17h, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 11ª rodada da competição nacional.

Dos titulares escolhidos pelo técnico Mano Menezes, o mais novo é o armador Maurício, que completou 18 anos em 22 de junho. No empate por 0 a 0 com o Botafogo, domingo, ele esteve em campo durante todo o segundo tempo. Outros com idade Sub-20 são o zagueiro Cacá (20), o lateral-direito Weverton (20) e o volante Éderson (20). Em contrapartida, um dos experientes é o goleiro Rafael, de 30 anos. Ele chegou à Toca em 2002, quando tinha 13 anos, e subiu para o profissional em 2008, aos 19.

Pela vivência na transição da base para o profissional, o camisa 12 garante que os atuais pratas da casa têm melhores condições de se adaptar rapidamente ao grupo: “Estou aqui há 17 anos. No profissional, acredito que 11. E acho que, nesses 11 anos, muitas coisas mudaram em questão de relacionamento. Antigamente, quando alguém da base subia, o contato com os atletas do profissional era um pouco mais demorado. O distanciamento era um pouco grande. Hoje em dia, não. Vejo que a galera sobe da base e tem um acolhimento, a aproximação é grande desde o início. Todos aqui estão muito bem adaptados e confiantes. Tentaremos fazer o melhor, independentemente se um tem 500 jogos pelo profissional e o outro tem apenas dois”.

Rafael, que já substituiu Fábio em momentos cruciais, diz que as jovens promessas contam com o apoio dos mais experientes. “O que a gente tinha que passar para eles a gente passou há mais tempo, quando chegaram. Era mais essa questão de ambientação, de entrosamento, de amizade. O nosso grupo é muito bom”, destaca o goleiro, que completa: “Claro que dentro de campo temos de correr, nos orientar e nos ajudar ainda mais para que essa falta de ritmo possa ser compensada. Mas todos que estão aqui têm qualidade para entrar e ajudar o Cruzeiro.”

O exemplo de Rafael deve servir de espelho para os mais novos. Hoje, ele fará sua 111ª partida pelo Cruzeiro – marca expressiva se levada em consideração a hegemonia de Fábio, titular da meta estrelada desde 2005 e recordista absoluto em aparições, com 841 jogos.
 
 
Se na Copa do Brasil o Cruzeiro comemorou a vaga às semifinais eliminando o arquirrival Atlético, no Brasileiro o jejum é longo. A última vitória foi sobre o Goiás, em 5 de maio, no Mineirão, pela terceira rodada: 2 a 1. Depois, a Raposa contabilizou três empates e quatro derrotas, despencando para a 17ª posição, com nove pontos.

Caso vença o Bahia, o Cruzeiro sairá do Z-4 independentemente de outros resultados, pois Vasco (16º) e Fluminense (15º), também com nove pontos, fazem confronto direto às 11h, em São Januário. Às 19h, o Ceará, 14º com 11 pontos, recebe o líder Palmeiras (26), no Castelão, em Fortaleza.

MESMA ESCALAÇÃO No lado do Bahia, estão em tratamento na fisioterapia o zagueiro Ernando, o armador Guerra e o atacante Rogério. Assim, o técnico Roger Machado deve repetir o time que perdeu na quarta-feira para o Grêmio por 1 a 0, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Como também foi eliminado da Copa Sul-Americana para o Liverpool-URU, o Tricolor de Aço se concentra exclusivamente no Brasileiro, no qual aparece em 11º. O grande destaque da equipe neste ano é o centroavante Gilberto, autor de 17 gols em 33 jogos.


FICHA TÉCNICA
Bahia x Cruzeiro
Bahia: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Elton e Ramires; Artur, Élber e Gilberto
Técnico: Roger Machado
Cruzeiro: Rafael; Weverton, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Éderson, Ariel Cabral, Jadson, Maurício e David; Sassá
Técnico: Mano Menezes
11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Fonte Nova
Horário: 17h
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Bruno Salvado Rizo (SP)
VAR: Márcio Henrique de Góis (SP)
Cruzeirenses pendurados: Ariel Cabral, Rodriguinho e Thiago Neves
TV: Pay-per-view


Gre-Nal só com reservas 
Após confirmar vaga na semifinal da Copa do Brasil, Internacional e Grêmio se enfrentam hoje, às 19h, no Beira-Rio, pela 11ª rodada do Brasileiro. Com foco nas oitavas de final da Libertadores, as duas equipes não devem escalar força máxima. D’Alessandro, Guerrero, Rodrigo Moledo e Edenílson devem ser poupados no clássico pelo lado colorado. Com dor no joelho esquerdo, o volante Rodrigo Dourado preocupa para o duelo diante do Nacional, do Uruguai. Por sua vez, o tricolor gaúcho vai preservar, visando à preparação para a partida contra o paraguaio Libertad, Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann, Bruno Cortez, Maicon, Alisson, Jean Pyerre, Matheus Henrique, Everton e André. Mesmo assim, são esperados mais de 40 mil torcedores.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade