Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo doido x Manobol: Quem vai para a semifinal?

Com a vantagem conseguida na ida, Raposa tentará esfriar a partida e ser cirúrgica nos contra-golpes. Já o Galo vai precisar sufocar o adversário e atacar com eficiência


postado em 17/07/2019 04:06

"Precisamos de muita profundidade, atitude. Esse foi o trabalho nos últimos dias para que possamos fazer bom jogo" Chará, atacante alvinegro (foto: Bruno Cantini/Atlético)


De um lado, uma equipe que tem como característica o futebol ofensivo e de muita intensidade, embalado pelo incentivo de uma torcida que simula um caldeirão. Do outro, um time que tem como virtude ser frio, saber se posicionar bem defensivamente, suportando a pressão, e com contra-ataque perigoso. Esses dois estilos diferentes ficarão à prova quando Atlético e Cruzeiro se enfrentarem hoje, às 19h15, no Independência, no jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Mais do que nunca, o time alvinegro, goleado por 3 a 0 no Mineirão, na semana passada, precisará pressionar o rival e ressuscitar o estilo “Galo Doido” para tentar passar de fase. Já os celestes, que se classificam até se perder por dois gols de diferença, tendem a se fechar e a esfriar o jogo, característica do técnico Mano Menezes já explorada em várias oportunidades e chamada pela torcida de Manobol.

Os rivais mantiveram o clima amigável de antes do primeiro clássico e evitaram apontar um desfecho precipitado em relação ao resultado da semana passada. Apesar da goleada, o discurso dos jogadores alvinegros e do técnico Rodrigo Santana é de não jogar a toalha antes da hora. Nesse sentido, a vitória dos reservas sobre a Chapecoense por 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro, ajudou a quebrar o ambiente ruim na Cidade do Galo. No lado celeste, os atletas e Mano Menezes valorizaram a vantagem, mas não falaram em classificação antecipada. Se o rival venceu pelo Nacional, a Raposa, jogando com os titulares, apenas empatou com o Botafogo por 0 a 0 no Mineirão.

O objetivo do Atlético nesta noite é evitar a apatia demonstrada no jogo de ida. Por isso, Rodrigo Santana projeta um time com mais mobilidade no meio-campo e profundidade nas pontas. Com o treinador, o Galo conseguiu o posto de terceiro melhor ataque do Brasileiro, com 16 gols em 10 jogos, e tem se destacado pela alta capacidade de criar chances de gol. “Conversamos sobre a maneira que tomamos os gols no jogo de ida contra o Cruzeiro. Acho que o time não acreditou nas coisas que trabalhou na semana passada. Precisamos de muita profundidade, atitude. Esse foi o trabalho nos últimos dias para que possamos fazer bom jogo”, avalia o atacante colombiano Chará, uma das principais armas de velocidade para que o Galo possa construir o placar positivo.

O gringo sabe que todo o time precisa de comprometimento tático para sair com a classificação: “Cada jogador sabe o que tem que fazer dentro do campo. É preciso muita conversa, trabalhar, orientar e saber o que estamos jogando. Os torcedores e todo o clube estão sendo muito otimistas. Então, os jogadores têm que representar bem em campo”.

Para este noite, o Galo contará com outras peças de velocidade como opção, casos de Luan, Otero, Geuvânio e Maicon Bolt. Os últimos treinos na Cidade do Galo priorizaram as jogadas trabalhadas desde o campo defensivo, com ênfase na finalização.
 
 
TIME COMPACTADO Sem a necessidade de tomar a iniciativa de atacar, o Cruzeiro apostará em sistema defensivo forte e compactado para evitar que o Atlético faça os gols. Foi desta forma que a Raposa conseguiu ser bicampeã da Copa do Brasil e do Mineiro em cima do próprio Galo: um time que preza pelo equilíbrio defensivo e que se mostra cirúrgico no ataque. A sintonia da dupla Leo e Dedé, além da boa fase de Henrique no meio-campo, é a aposta para que a equipe conduza a partida com tranquilidade e sem riscos para o goleiro Fábio, outro pilar celeste, que vive grande momento.

Leo valoriza a força do Atlético no Independência e afirma que será necessário jogar com muita atenção: “Temos uma certa vantagem, que construímos no primeiro jogo. No segundo, tende a ser geralmente muito mais difícil, com várias questões, um jogo bem competitivo, principalmente por ser no campo deles. A gente sabe que o Atlético é um time de qualidade, de força também. Mas esperamos manter o ritmo, foco e equilíbrio para conseguir nosso objetivo. Não tem nada resolvido. Sabemos que muitas coisas podem ocorrer em uma partida de futebol. Nosso foco é sempre buscar a vitória e o objetivo é passar de fase”.

O camisa 3 evita qualquer tipo de clima de “já ganhou”, algo que tem sido explorado pelos torcedores: “Estamos frisando e reforçando que será um jogo difícil, competitivo. Em um jogo de futebol, tudo pode acontecer. É ter atenção redobrada, motivação lá em cima, para que possamos buscar o nosso resultado. Em meio às dificuldades e problemas, temos que conseguir superá-los para fazermos uma boa partida”.


FICHA TÉCNICA
Atlético x Cruzeiro
Atlético: Victor; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Zé Welison (Jair), Elias, Cazares, Luan (Otero) e Chará; Alerrandro (Ricardo Oliveira)
Técnico: Rodrigo Santana
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Thiago Neves, Robinho e Marquinhos Gabriel; Pedro Rocha
Técnico: Mano Menezes
Jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil
Estádio: Independência
Horário: 19h15
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Manis e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Atleticano pendurado: Zé Welison
Cruzeirense pendurado: nenhum
TV: Pay-per-view


Publicidade