Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

De tirar o fôlego

Finais de Wimbledon têm Serena buscando recorde hoje, diante de Halep, e o duelo estelar entre Djokovic e Federer amanhã


postado em 13/07/2019 04:08

Confrontos de gigantes em Wimbledon. Hoje, Serena pode chegar ao 24º título de Grand Slam se vencer a romena Simona Halep. Amanhã, Federer tenta seu nono título em Londres e Djokovic, atual campeão, o quinto (foto: Daniel LEAL-OLIVAS/AFP)
Confrontos de gigantes em Wimbledon. Hoje, Serena pode chegar ao 24º título de Grand Slam se vencer a romena Simona Halep. Amanhã, Federer tenta seu nono título em Londres e Djokovic, atual campeão, o quinto (foto: Daniel LEAL-OLIVAS/AFP)
 
 
 
De um lado, a norte-americana Serena Williams, de 37 anos, em busca de se tornar a maior campeã de Grand Slams e empatar o recorde da australiana Margaret Court, dona de 24 títulos. De outro, Simona Halep, de 27, primeira representante da Romênia no mais tradicional torneio de tênis do circuito. Assim será a final feminina de Wimbledon, hoje, às 10h (de Brasília), com transmissão do Sportv 3. A decisão masculina, amanhã, promete ainda mais emoção: vai reunir o  número 1 do mundo, Novak Djokovic, e o maior campeão da história da competição londrina, o suíço Roger Federer.

Heptacampeã em Londres, Serena (10ª colocada no ranking da WTA) busca seu primeiro título desde que virou mãe. Ela deu à luz em setembro de 2017, voltou aos torneios em março do ano seguinte e atingiu finais em Majors na mesma temporada, sem, no entanto, erguer a taça. Ano passado, ela caiu diante da alemã Angelique Kerber na decisão de Wimbledon e da japonesa Naomi Osaka na polêmica final do US Open.

É a 11ª final de Serena no torneio londrino – é a finalista mais velha a atingir a final de Grand Slams na Era Aberta (desde 1968), aos 37 anos, 291 dias, superando a tcheca Martina Navratilova, com 37 anos, 258 dias em Wimbledon’1994. A americana já é campeã de Majors mais velha da Era Aberta, feito que realizou com a conquista do Aberto da Austrália, em 2017, aos 35.

HOMENS Aos 37, Roger Federer buscará, amanhã, seu nono título em Wimbledon  – chegou a 11 finais. Ele é também o recordista de títulos de Grand Slam: 20. Djoko, de 32, já esteve em cinco finais do torneio e busca a quinta conquista. É o terceiro maior vencedor de Grand Slam, com 15 troféus.

Para chegar à decisão, Federer, hoje o terceiro do ranking mundial e segundo cabeça de chave, derrotou ninguém menos que o espanhol Rafael Nadal. Ele precisou de três horas e muito sangue-frio para superar o rival, terceiro cabeça de chave, por 3 a 1 – 7-6 (7/3), 1-6, 6-3 e 6-4 – na quadra central do All England Club.

Foi o 40º duelo entre Nadal e Federer, e a primeira vez que o suíço venceu o espanhol em uma semifinal de Grand Slam. A vitória teve também sabor de vingança para Federer, pois no mês passado Nadal havia derrotado Federer nas semifinais de Roland Garros. O espanhol acabou conquistando seu 12º título no saibro de Paris.

Djokovic, por sua vez, garantiu a vaga para sua sexta final de Wimbledon ao derrotar o espanhol Roberto Bautista Agut, que jogava sua primeira semifinal de Grand Slam. Visivelmente incomodado com o jogo de Bautista, Djokovic precisou de 2h48min para vencer por 3 a 1 (6-2, 4-6, 6-3 e 6-2).

“Tive que ir buscar forças muito longe para ganhar. Agut jogava sua primeira semifinal, mas não se deixou abalar pela quadra, pelo acontecimento”, disse Djokovic depois do jogo.



Publicidade