Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Mais do que um duelo


postado em 11/07/2019 04:06


A expectativa é de que o Mineirão possa mais uma vez ferver com um confronto entre Cruzeiro e Atlético, hoje, às 20h, na abertura do confronto pelas quartas de final da Copa do Brasil. Mesmo que os tradicionais rivais estejam em momentos diferentes em 2019, a tendência é que as forças se igualem quando a bola rolar. Sem vencer há nove jogos e passando por caos político nos bastidores – ontem, o vice-presidente de futebol, Itair Machado, foi afastado pela Justiça de suas funções no clube, pelo menos temporariamente –, o time celeste aposta todas as fichas na base do time que o técnico Mano Menezes vem utilizando desde que assumiu, há quase três anos. Já o alvinegro tem a perspectiva de manter a fase positiva sob o comando de Rodrigo Santana, que deu padrão tático à equipe e conseguiu bons resultados no Campeonato Mineiro, na Copa Sul-Americana e na própria Copa do Brasil. No clássico desta noite, haverá também duelos dentro das quatro linhas que podem ser decisivos para definir o vencedor.


Só briga boa

Fred x Réver
Duelo que promete ser acirrado nas jogadas aéreas, pois ambos são bons de cabeça. Fred vive jejum de nove partidas sem marcar e terá trabalho, pois o defensor vem crescendo de rendimento
 
 
Alerrandro x Dedé
Confronto da juventude com a experiência. Com 13 gols em 2019, o atacante de 19 anos barrou Ricardo Oliveira e encara o forte zagueiro, que cometeu falha nos últimos jogos e precisa recuperar a confiança
 
 
Patric x Marquinhos Gabriel
Um dos destaques na final mineira, ganhando as jogadas em cima de Guga, hoje reserva, o atacante celeste agora desafia a boa fase do lateral atleticano, ovacionado pela torcida nos últimos jogos

Lucas Romero x Chará
O castelhano será o idioma deste duelo particular. Um dos melhores marcadores do Cruzeiro, o argentino tentará parar o atacante colombiano, herói da última partida da Copa do Brasil, contra o Santos

Cazares x Henrique
Além da responsabilidade de cobrir os laterais, o volante celeste não pode deixar espaço para o camisa 10 atleticano, perigoso na assistência aos atacantes

Thiago Neves x Zé Welison
Substituto de Adílson, o volante atleticano vai seguir de perto os passos do armador celeste, que foi bem na final do Estadual e precisa voltar a mostrar serviço para tirar a Raposa do jejum

Robinho x Fábio Santos
Embate de jogadores com muitos títulos no currículo. Não são velozes, mas se posicionam bem e se aproveitam da falha do adversário para ganhar os lances

Egídio x Luan
Dois atletas que são importantes taticamente para suas equipes, especialmente na recomposição, mas que vivem oscilação e encaram o clássico como chance de atingir mais regularidade
 
 
VAR foi decisivo na final do Mineiro

Uma das atrações – e motivo a mais de preocupação para as equipes – no confronto de hoje será a presença do paulista Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral no comando do VAR para solucionar eventuais dúvidas do árbitro de campo, Raphael Claus. A última disputa entre Atlético e Cruzeiro, em 20 de abril, na final do Mineiro, foi decidida a favor dos celestes por meio do uso da tecnologia, garantindo o placar de 1 a 1 no Independência.

Na partida, o árbitro de vídeo Leandro Pedro Vuaden assinalou toque de mão e pênalti de Leonardo Silva depois de cruzamento rasteiro de Pedro Rocha. Na cobrança, Fred empatou o jogo e deu a conquista ao Cruzeiro. Os atleticanos ficaram na bronca no primeiro clássico, no Mineirão, uma semana antes, quando Igor Rabello reclamou ter sido puxado dentro da área por Dedé, mas o VAR (controlado por Bruno Arleu de Araújo) não viu falta no lance.

O volante Ariel Cabral aconselha aos companheiros a tomar muito cuidado na confronto: “Uma coisa que aprendemos vendo os jogos da Copa América é que não tem jogo fácil. E vimos que não temos de ficar preocupados com VAR, com a arbitragem de dentro e de fora de campo. Temos de ter foco no jogo e no adversário”. Igor Rabello ainda guarda mágoa da final estadual. “No primeiro jogo, não teve um pênalti marcado em mim. No segundo, teve falta assinalada pelo VAR a favor do rival. O VAR não nos ajudou no primeiro jogo com pênalti claro. Isso interferiu no placar”.

Neste ano, Rodrigo Guarizo controlou o VAR em nove partidas, a última em 12 de junho, na vitória do Flamengo sobre o CSA por 2 a 0, pelo Brasileiro. Ele também trabalhou na goleada do Atlético contra o próprio CSA por 4 a 0, no Horto, mas não esteve em nenhum confronto do Cruzeiro.


Publicidade