Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Luan: "Vamos com tudo"


postado em 10/07/2019 04:08

Ricardo Oliveira, Alerrandro, Papagaio e Vinícius em treino na Cidade do Galo: mais variações para Rodrigo Santana(foto: BRUNO CANTINI/ATLÉTICO)
Ricardo Oliveira, Alerrandro, Papagaio e Vinícius em treino na Cidade do Galo: mais variações para Rodrigo Santana (foto: BRUNO CANTINI/ATLÉTICO)


Dentro das quatro linhas não há mistério: os torcedores do Atlético já sabem de cor os titulares que o técnico Rodrigo Santana escalará no clássico de amanhã com o Cruzeiro, no Mineirão, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Mas a estratégia a ser usada pela equipe para tentar vencer o jogo é guardada a sete chaves pelo treinador. No discurso dos jogadores, o objetivo é sair do Gigante da Pampulha com a vitória para facilitar a tarefa para o duelo de volta, quarta-feira que vem, no Independência. Isso significa que o time alvinegro pode se expor um pouco mais para tentar encaminhar a classificação à próxima fase.

Por mais que seja apenas o primeiro mata-mata neste mês – a equipe vai enfrentar também o Botafogo, pela Copa Sul-Americana –, o Atlético tem encarado o clássico com seriedade acima do habitual. Tanto é que a concentração dos jogadores começou ontem à noite, depois do treino na Cidade do Galo. Esse procedimento é usado habitualmente em decisões ou partidas de competições importantes como a Libertadores. E o grupo tem reforços na defesa, no meio-campo e ataque.

Luan prevê um jogo equilibrado e entende que o Atlético tem de errar o mínimo possível: “Perdemos uma final para o Cruzeiro. É difícil, por se tratar de um clássico, mas isso já passou. Esse jogo é o mais importante do ano para a gente. Todo mundo esperava por esse confronto. Creio que a cidade inteira vai parar para assistir a esse jogo. São duas equipes grandes, com muita qualidade. E o treinador do Cruzeiro é muito inteligente nessa força de mata-mata. Mas vamos com tudo. Temos jogadores que podem decidir a qualquer momento. Temos de encarar de igual para igual, sem desrespeito e sem achar que um é melhor que o outro. Mas, quando chegar lá dentro, é cada um dar o melhor de si. Quem errar menos será o classificado”.

Além da questão ofensiva, Rodrigo Santana tem se preocupado com a postura defensiva nas atividades. Desde segunda-feira, os trabalhos têm sido dedicados ao acerto do posicionamento dos jogadores de defesa e meio-campo para que a equipe esteja mais organizada taticamente e evitar sofrer com os contra-ataques do rival.

O treinador entende que o alvinegro precisa de equilíbrio nos confrontos com o Cruzeiro, mesmo que o objetivo seja sair com a vitória amanhã: “É uma decisão de 180 minutos. Não adianta a gente fazer um grande jogo no Mineirão e achar que está tudo bem. O adversário é uma grande equipe. Temos que ter cautela, bolar a melhor estratégia para esse jogo e decidir nossa vaga em casa”.

DIRETORIA Integrantes da alta cúpula alvinegra, o vice-presidente Lásaro Cândido da Cunha e o diretor de futebol Rui Costa acompanharam o treino de ontem e apoiaram o grupo. Quem também reapareceu na Cidade do Galo foi o médico Rodrigo Lasmar, que esteve com a Seleção Brasileira por mais de um mês durante a disputa da Copa América.
 
 
Noite de clássicos 
Três jogos abrem hoje as quartas de final da Copa do Brasil. Às 19h15, o Grêmio recebe o Bahia em Porto Alegre. Às 21h30, o Palmeiras encara o Internacional, na Allianz Arena. Na Arena da Baixada, no mesmo horário, o Athetico enfrenta o Flamengo, agora comandado pelo português Jorge Jesus, que deve promover a estreia do lateral-direito Rafinha. Pelo rubro-negro carioca, o atacante Bruno Henrique diz que o grupo já vem assimilando a filosofia do novo treinador. “A gente está conseguindo fazer o que ele pede.”  Atacante do Furacão, Marcelo Cirino afirma que uma das apostas é o fator casa. “Temos que impor o nosso ritmo e fazer valer o mando de campo”.


Publicidade