Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Invadindo a pista


postado em 08/07/2019 04:06

BH sediou qualificatório do skate que conta pontos para presença na Olimpíada(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
BH sediou qualificatório do skate que conta pontos para presença na Olimpíada (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)


A boa posição de atletas no ranking mundial e a entrada do esporte como modalidade olímpica vão impulsionar ainda mais o skate no Brasil, projeta a Confederação Brasileira de Skate (CBSK), em meio à disputa do Oi STU Qualifying Series, competição que conta pontos para definir classificação para os Jogos Olímpicos Tóquio’2020. A série foi disputada sábado e ontem no Parque das Mangabeiras, em Belo Horizonte. Já havia passado por Florianópolis e irá a Brasília, Lauro de Freitas (BA), Sapiranga (RS) e São Paulo.

Pelos registros da CBSK, esse é o segundo esporte mais praticado no país, atrás apenas do futebol. “São oito milhões de skatistas, isso antes de se tornar olímpico. Aliás, esse detalhe foi benéfico, pois fez com que o esporte deixasse de ser marginalizado”, avalia Jorge Kuge, diretor da entidade, um dos presentes ao evento na capital mineira.

Os brasileiros estão bem colocados no ranking mundial. No masculino há quatro atletas entre os 20 primeiros. No feminino, cinco. Mas, na prática, Kuge é mais otimista quanto às perspectivas para o Japão. “Hoje podemos considerar que temos seis atletas no masculino e seis no feminino em condições de competir na Olimpíada de Tóquio”, projeta.

Kuge elogiou a infraestrutura para a prática do esporte na capital mineira. “Em Belo Horizonte estão as melhores pistas de skate do país”. Em sua avaliação, a do Parque das Mangabeiras já era considerada uma das mais completas antes mesmo de ser revitalizada. “Melhorou ainda mais depois da reforma. Nenhuma outra capital tem um espaço como esse. Esperamos que isso sirva de motivação para outras cidades.”

80 SELECIONADOS A Seletiva para os Jogos Olímpicos teve início em janeiro e vai até maio do ano que vem. De acordo com o regulamento do Comitê Olímpico Internacional (COI), são 80 vagas para a modalidade, sendo 40 no Street e 40 no Skateparks, sendo 20 para homens 20 para mulheres em cada uma. O país anfitrião terá um representante, haverá três para os medalhistas do Campeonato Mundial e as 16 restantes serão repartidas via ranking olímpico, sendo obrigatória a representatividade de todos os continentes – respeitando-se o limite máximo de três atletas por país em cada categoria.

Os três melhores posicionados na temporada 2020 dos campeonatos da World Skateboarding estarão automaticamente qualificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Dezesseis atletas serão selecionados por meio do ranking olímpico da World Skate (OWSR) e, em cada evento, um atleta do país-sede com a melhor colocação no ranking terá a classificação assegurada.

A contagem de pontos tem como referência competições do chamado período qualificatório, de 1º de janeiro de 2019 a 31 de maio de 2020. Entram na contagem os três melhores resultados em termos de pontos da temporada 2019 (1º de janeiro de 2019 a 15 de setembro de 2019). A estes serão adicionados as seis melhores performances em pontuação na temporada 2020 (16 de setembro de 2019 a 31 de maio de 2020).

Brasileiros no ranking mundial
Feminino
Atleta Posição Pontuação
Pamela Rosa 60.000
Jhulia Maia Mendes Leal 21.600
Letícia Bufoni 17.280
Virgínia Fortes Águas 13ª 1.630
Isabelly Ávila da Silva 16ª 1.190
Masculino
Kevin Hofler 26.480
Felipe Gustavo 14.850
Ivan Monteiro 11º 5.570
Carlos Ribeiro 17º 2.330


Publicidade