Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Para honrar o faro de gol

Além de tentar ajudar o Brasil a superar a Argentina no Mineirão, Gabriel Jesus terá de quebrar jejum de nove jogos oficiais. Artilheiro da Era Tite, ele mantém confiança


postado em 01/07/2019 04:09

"Não fui feliz na Copa do Mundo, não marquei ainda na Copa América... Vou continuar tentando. O jejum não me assombra, estou bem tranquilo. Sei que, às vezes, acontece. Estou trabalhando para melhorar sempre, sem desespero" (Gabriel Jesus) (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Artilheiro da Era Tite, com 16 gols, o atacante Gabriel Jesus ainda busca o primeiro na Copa América. Ele terá mais uma chance diante da Argentina, amanhã, às 21h30, no Mineirão, em jogo das semifinais da competição e que chama atenção do mundo inteiro para a capital mineira.

Além de ajudar a Seleção Brasileira a chegar à decisão, caso balance as redes o jogador do Manchester City vai colocar fim a jejum em jogos oficiais que dura desde antes da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. A última vez em que fez pelo Brasil em partida valendo três pontos foi na rodada final das Eliminatórias para o Mundial de 2018, em 10 de outubro de 2017, quando marcou os dois últimos na goleada sobre o Chile por 3 a 0, no Allianz Parque, em São Paulo. Desde então, foram nove gols, mas todos em amistosos.

Apesar de saber da importância de balançar as redes para um atacante, Gabriel Jesus garante não se sentir pressionado. “Sinceramente, óbvio que entro em campo pensando em fazer gol para ajudar minha equipe a vencer. Não fui feliz na Copa do Mundo, não marquei ainda na Copa América, tive oportunidade contra o Peru e não consegui. Vou continuar tentando. O jejum não me assombra, estou bem tranquilo. Sei que, às vezes, acontece. Estou trabalhando para melhorar sempre, sem desespero”, afirma o camisa 9, que teve a chance de marcar em pênalti contra o Peru, ainda na primeira fase da Copa América, mas parou no goleiro Galesse, quando o jogo já estava 5 a 0 para o Brasil.

Na decisão em penalidades contra o Paraguai, valendo a vaga nas semifinais, em que o Brasil venceu por 4 a 3, ele converteu a última cobrança, mas ela não é computada como gol.

Mesmo tranquilo, ele reconhece que se incomodou ao passar toda a Copa do Mundo da Rússia em branco, ainda que sendo titular. Por isso, buscou ajuda especializada, até para se sair bem também no Manchester City, pelo qual é bicampeão inglês e da Copa da Liga, além de ter ganho na última temporada a Copa da Inglaterra.

“Sempre busco a evolução profissional. Depois do que ocorreu na Copa (do Mundo), também passei momento complicado no City, não jogava muito. Mas, conversando com minha família, que me ajudou bastante, decidi contratar um preparador físico particular e ele tem sido fundamental. Estou finalizando mais, treino bastante para tentar aproveitar as chances que tenho nos jogos. Antes, chegava a sair dos jogos sem finalizar. Agora, isso dificilmente ocorre”, explica.

Páreo duro Por ter conseguido recuperar a condição de titular durante a Copa América, ele está bastante confiante em fazer um bom jogo no Mineirão. Mas sabe que do outro lado também há qualidade, inclusive de companheiros de clube, como o zagueiro Otamendi e o atacante Agüero.

“Brasil x Argentina é o maior clássico do mundo pela rivalidade, o histórico das duas seleções. Temos de estar bem preparados e vamos estar”, promete Gabriel Jesus, que espera contar com a ajuda dos companheiros para vazar a defesa adversária. “Conheço bem o Otamendi, treino todo dia com ele. E o Firmino também, por jogar contra. Vamos procurar aproveitar isso para ajudar o Brasil a sair vencedor.”


Publicidade