Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Favorito fora do páreo

No terceiro jogo das quartas de final definido nos pênaltis, peruanos eliminam o forte Uruguai e vão encarar o Chile, quarta-feira, na luta por uma vaga na decisão


postado em 30/06/2019 04:08

Seleção Peruana surfa na boa fase: no ano passado, voltou a disputar uma Copa do Mundo após 32 anos de ausência. Ontem, cravou um lugar entre os quatro melhores do continente(foto: Juan Mabromata/AFP)
Seleção Peruana surfa na boa fase: no ano passado, voltou a disputar uma Copa do Mundo após 32 anos de ausência. Ontem, cravou um lugar entre os quatro melhores do continente (foto: Juan Mabromata/AFP)


De um ídolo, normalmente, se esperam lances de genialidade, gols antológicos, jogadas inesquecíveis. Ou, no mínimo, um pênalti cobrado com categoria e inteligência. Aos 32 anos, o bom atacante Luís Suárez falhou no último quesito e contribuiu diretamente para que o Uruguai, apontado como favorito ao título, deixasse a Copa América de forma surpreendente. Contra um Peru organizado defensivamente, a elogiada Celeste Olímpica não saiu do 0 a 0 no tempo normal e foi derrotada por 5 a 4 nos pênaltis, na Fonte Nova, pelas quartas de final, contando com a cobrança ruim do jogador do Barcelona, que foi defendida pelo goleiro Gallese.

Os peruanos enfrentarão o Chile nas seminais, quarta-feira, às 21h30, na Arena Grêmio. Voltam a figurar na briga por um título oito anos depois do terceiro lugar na Copa América da Argentina, em 2011. É a confirmação de uma ascensão que começou com o retorno à Copa do Mundo após 32 anos de ausência. A última conquista sul-americana dos peruanos foi em 1975, quando derrotou a Colômbia na final.

O jogo em si foi ruim, o que tem sido frequente nos duelos de mata-mata da Copa América – foi o terceiro empate sem gols nos quatro confrontos. A má qualidade do gramado da Fonte Nova dificultou o toque de bola de uruguaios e peruanos. Na decisão por pênaltis, Suárez foi encarregado de abrir a série, mas chutou mal e a bola foi praticamente na barriga do goleiro Galesse. A falha foi determinante, já que nenhum outro jogador desperdiçou as cobranças.

Camisa 9 do Internacional, o atacante Paolo Guerrero afirmou que sua seleção respondeu em campo as provocações dos uruguaios nos bastidores antes do duelo: “Muita gente disse disse que o Peru não tinha qualidade ou vontade. Tentaram desestabilizar o grupo, mas mostramos do que estes rapazes são capazes no campo. Vencemos nos pênaltis e mostramos garra. Agora, vamos pensar no Chile e nos preparar. O professor vai corrigir alguns erros, creio que será um jogo difícil, mas temos condições de ganhar”.

DECEPÇÃO O resultado deixou os uruguaios frustrados. Suárez ficou inconsolável depois da partida, indo às lágrimas. O capitão Godín reforçou que sua seleção era uma das favoritas ao título, mas fracassou antes mesmo da decisão: “Fomos eliminados nos pênaltis. Tentamos, mas faltou o gol durante os 90 minutos. Poderíamos ter feito pelo menos um e ido à próxima fase. Tínhamos muita vontade, e muitos apostavam em nós. Infelizmente, não foi assim. Fomos eliminados. Agradeço ao apoio dos torcedores que vieram ao Brasil para nos incentivar”.

O atacante Stuani reforçou que os uruguaios saem da Copa América decepcionados: “Tem um toque de sorte também quando há uma decisão por pênaltis. Houve essa fatalidade. Estamos tristes. O torcedor nos deu carinho, é uma competição importante. Quero dizer que demos tudo, mas não conseguimos passar”.

Uruguai 0 x 0 Peru 
4 a 5 nos pênaltis

Uruguai
Muslera; González, Giménez, Godín e Cáceres; Nández (Torreira), Betancur, Valverde (Stuani) e De Arrascaeta; Suárez e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez

Peru
Gallese; Advíncula, Zambrano, Abram e Trauco; Tapia, Yotún, Flores, Cueva (Ruidíaz) e Carrilo (Gonzáles); Paolo Guerrero
Técnico: Ricardo Gareca

Quartas de final da Copa América

Estádio: Fonte Nova
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (BRA)
Cartão amarelo: Godín, Valverde, Cueva e Zambrano
Pagantes: 18.083
Renda: R$ 3.134.820






Publicidade