Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Setentões em campo


postado em 30/06/2019 04:08

Veteranos mostraram desenvoltura de garotos ontem, no campo da AABB, na Região da Pampulha(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Veteranos mostraram desenvoltura de garotos ontem, no campo da AABB, na Região da Pampulha (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Com qual idade uma pessoa deve parar de praticar esporte? Se depender do grupo reunido ontem, no campo de futebol da AABB, a resposta é nunca. Trinta e cinco jogadores disputaram uma animada pelada só de veteranos, com dois tempos de 35 minutos. Um deles, Buião, de 73 anos, ex-ponta-direita do Atlético. No fim, o time do organizador do evento, Francisco Fernandes de Araújo, de 83 (conhecido como Seu Chico), que atuou de branco, venceu a equipe azul por 3 a 0. O último goi foi marcado por Seu Chico, em cobrança de pênalti. Os outros foram de Ademir e Maradona.

Não faltou entusiasmo. A impressão que se tinha é de que no campo estava um grupo de meninos. Buião era um deles. “Olha, só não dá pra correr. Nem adianta lançarem. Antigamente, era fácil disparar em direção à linha de fundo, para cruzar, ou rumo ao gol. Mas, agora, tem ser no pé”, brincou.

Oragnizar a pelada exigiu muito trabalho. A princípio, como conta Seu Chico, ela seria limitada a jogadores acima de 80 anos. “Mas não consegui. Apareceram, além de mim, quatro jogadores. Baixei para 75, e mesmo assim não deu. Aí, consegui fechar na faixa de 70. Pena que algumas pessoas que convidei, como Raul, Piazza, Dirceu Lopes, Natal e Evaldo, não vieram. Seria muito bom se estivessem aqui, principalmente porque foram ídolos de todos nós, assim como o Buião.”

As atrações estavam dentro e fora do campo. Na torcida, por exemplo, Roberto de Castro, que foi jogador do América na década de 1960: “Esta é uma iniciativa fantástica. O futebol, o esporte, é fator de união. Aqui, todos estão se divertindo. São todos amigos”. Também o médico Ronaldo Nazaré, ex-Cruzeiro. “Fiquei lisonjeado com o convite e confesso que também fiquei curioso para ver como eles iriam se comportar. Para minha grata surpresa, vi jogadores de nível, que ainda sabem tocar a bola”, comentou.

No time branco jogaram Fernando Silva, Ademir, Antônio Carlos, Baiano e Dirceu; Francisco Dias, Geraldo Eustáquio e Seu Chico; Vavá, Ziraldo e Tatu, depois Pardal, Wagner Bolão, Maradona e Heleno. No azul: Ricardo Diniz, Agnaldo, Antônio Eustáquio, Divino e Fiel; Gil, Geraldo Alencar e José Rômulo; Magalhães, Valdison e Walker, depois Hudson, Braga, Vicente Pinto, Roberto e Carvalho. (ID)


Publicidade