Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Scaloni testa três alterações


postado em 27/06/2019 04:06



O técnico Lionel Scaloni fez três alterações na Seleção Argentina no treinamento de ontem, no CT do Fluminense, no Rio de Janeiro, visando ao jogo contra a Venezuela amanhã, às 16h, no Maracanã, pelas quartas de final da Copa América. Scaloni testou Juan Foyth na lateral direita no lugar de Renzo Saravia, que, segundo relatório médico, sofre com dores no quadril. O jogador escalado como titular nesta atividade tem apenas 21 anos e é zagueiro do Tottenham, mas já atuou algumas vezes na lateral em jogos do Campeonato Inglês.

Já Marcos Acuña substituiu Lo Celso no meio-campo, com a missão de intensificar a marcação e dar maior velocidade na saída de bola para o ataque. E a terceira mudança promovida no treinamento de ontem foi o retorno de Germán Pezella à zaga central, ocupando o lugar que foi preenchido por Foyth na vitória por 2 a 0 sobre o Catar, pela rodada final do Grupo B do torneio continental.

Scaloni não conseguiu repetir a mesma escalação nos três jogos disputados pela Argentina na Copa América. O único setor que deve permanecer sem alterações é o ataque, onde Lautaro Martinez se junta a Messi e Sergio Agüero. Martinez e Agüero, por sinal, marcaram os gols do triunfo sobre os catarianos. Dybala e Di María devem continuar no banco de reservas.

O vencedor do duelo entre Argentina e Venezuela vai enfrentar na semifinal o ganhador de Brasil x Paraguai.

ARMANI Franco Armani exigiu “muita atenção” da Seleção Argentina para o confronto contra a Venezuela. O goleiro alertou para o risco de sua equipe ser surpreendida. “Temos de adotar uma forte marcação para que não soframos nenhum tipo de surpresa”, disse.  “A Venezuela, sempre que obtém a bola, busca atacar com velocidade. Seus jogadores são muito rápidos e o centroavante protege bem a bola e se movimenta bastante”, afirmou o jogador do River Plate, referindo-se a Rondón.

Campeã 14 vezes da Copa América, a Argentina estreou com derrota (2 a 0) para a Colômbia e empate diante do Paraguai (1 a 1), jogo no qual Armani defendeu um pênalti. Na última rodada, a vaga nas quartas foi obtida com o 2 a 0 sobre o Catar.

Para Armani, isso é um sinal de que a equipe tem evoluído e chega em um bom momento ao mata-mata. “Arrancamos de baixo para cima nesta Copa, fomos ganhando confiança jogo após jogo e acertando a forma do time jogar. Chegamos muito bem a esta partida das quartas de final”, disse o goleiro. A Argentina não vence a Venezuela há três jogos. 


Publicidade