Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Inspiração nos bons exemplos

Lucas Hernández, 12º uruguaio a vestir a camisa do Atlético, pretende seguir o caminho de nomes como Cincunegui, Mazurkiewicz e Olivera, que caíram nas graças dos torcedores


postado em 26/06/2019 04:08

Lateral, de 23 anos, poderá atuar por Brasileiro e Copa do Brasil, mas está vetado na Sul-Americana por já ter defendido o Peñarol na edição deste ano(foto: Bruno Cantini/Atlético)
Lateral, de 23 anos, poderá atuar por Brasileiro e Copa do Brasil, mas está vetado na Sul-Americana por já ter defendido o Peñarol na edição deste ano (foto: Bruno Cantini/Atlético)


Natural de Montevidéu, o lateral-esquerdo Lucas Hernández, de 23 anos, chega ao Atlético com a tarefa de repetir a caminhada de outros jogadores nascidos no Uruguai e que fizeram sucesso com a camisa alvinegra. Ele começou a treinar com os companheiros na segunda-feira, na Cidade do Galo, e foi contratado para ser uma sombra para Fábio Santos, que tem sido titular desde 2016 sem um reserva do mesmo nível.
 
A lista de uruguaios que fizeram sucesso no Galo começa pelo também lateral-esquerdo Héctor Cincunegui, que atuou no time de 1968 a 1973 e foi campeão brasileiro em 1971. Quem também teve passagem importante foi o goleiro Mazurkiewicz, entre 1972 e 1974 e que foi titular da Celeste Olímpica na Copa do Mundo de 1970. Já o zagueiro Olivera teve destaque nos anos 1980, com a conquista dos Estaduais de 1983 e 1985.
 
A relação do Galo com os uruguaios já tem mais de 30 anos e o ex-jogador do Peñarol será o 12º integrante da relação. Hernández admitiu ter noção da saga dos compatriotas no clube e afirma que seu objetivo é entrar na restrita lista dos que caíram nas graças da torcida: “Tenho conhecimento de vários uruguaios que aqui passaram, que entraram para a história tanto no clube quanto em nosso país. Eles foram importantes e representaram bem o Atlético. Quero também construir minha marca no clube”.
 
Ainda sem saber falar bem o português, ele conta com a ajuda dos colegas que falam espanhol, como o equatoriano Cazares, o venezuelano Otero, o também uruguaio David Terans e o recém-chegado paraguaio Ramón Martínez. “É muito importante ter companheiros sul-americanos, ainda mais uruguaios, para nos informar a respeito do clube. É muito bom para a interação com o grupo”, destaca Hernández.

NÍVEL TÉCNICO Com o titular Fábio Santos vivendo altos e baixos em 2019, a expectativa da diretoria alvinegra é de que o uruguaio possa elevar o nível técnico da equipe no Brasileiro e na Copa do Brasil – nesta temporada, ele não poderá atuar na Copa Sul-Americana, já que defendeu o Peñarol na competição.
 
Desde que Douglas Santos foi vendido ao Hamburgo, em 2016, o Galo tem sofrido para encontrar peças para a lateral esquerda no mercado. Por isso, para a reserva, tem se virado com os prata da casa, como Leonan e Hulk.
 
Hernández diz que a concorrência com Fábio Santos pode ser interessante para o time. Ele elogia a maneira com que o camisa 6 o recebeu na chegada: “Quando cheguei ao clube, ele (Fábio Santos) me cumprimentou e me recebeu da melhor maneira. Quero fazer o melhor, aprender com ele, que tem uma história grande no clube. Quero aprender e crescer na posição”.

Galeria dos uruguaios

Jogador Posição Período
Cincunegui lateral-esquerdo 1968 a 1973
Mazurkiewicz goleiro 1972 a 1974
Olivera zagueiro 1983 a 1985
Mario Lopes atacante 1989
Fernando Rosa lateral-direito 1993 a 1994
Kanapkis zagueiro 1993 a 1994
Percovich goleiro 1994
Gutiérrez zagueiro 2002 a 2003
Carini goleiro 2009 a 2010
David Terans armador 2018 a 2019
Martín Rea zagueiro 2018 a 2019


Publicidade