Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A maldição da camisa 9

Número mais famoso da Seleção depois da mítica 10 não faz gol nas Copas do Mundo e América desde Fred, em 2014. Tardelli, Jonas e Jesus alimentam jejum de 19 jogos


postado em 24/06/2019 04:06

"Não estou abalado, mas triste e chateado, sim. Óbvio que sempre quero fazer gol, às vezes, não dá. Venho buscando mais o gol, finalizando, aprimorando. Estou feliz com meu desempenho individual e coletivo" Gabriel Jesus, atacante (foto: Nelson Almeida/AFP)
 
 
São Paulo — Quarenta e oito minutos do segundo tempo no Itaquerão. Dono da camisa 9 da Seleção principal pela segunda competição oficial consecutiva, Gabriel Jesus é derrubado na área pelo goleiro peruano Gallese. Pega a bola, coloca na marca do pênalti, parte para a cobrança com um fardo nas costas e desperdiça a oportunidade de encerrar a via-crúcis. Jesus passou a Copa da Rússia inteira sem marcar, diante de Suíça, Costa Rica, Sérvia, México e Bélgica. Segue sem estufar a rede na Copa América após duelos com Bolívia, Venezuela e Peru.

O dedo indicador está apontado para Gabriel Jesus, mas a maldição da camisa 9 dura desde 23 de junho de 2014, quando Fred fez o terceiro gol do Brasil sobre Camarões, no Mané Garrincha, em Brasília, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa de 2014.  Desde então, Diego Tardelli usou a 9 na Copa América’2015; Jonas na edição centenária de 2016; Gabriel Jesus no Mundial da Rússia’2018 e nesta Copa América; mas o jejum dura 19 partidas.

Os dois números míticos da Seleção começaram o torneio com seus atuais donos sentados no banco — o 9 Gabriel Jesus e o 10 Willian. O armador entrou em campo no segundo tempo e marcou. O atacante terminou a goleada por 5 a 0 sobre o Peru agachado. Se pudesse, afundaria a cara no gramado de tanta vergonha. Tentava entender por que desperdiçou o pênalti em uma partida tão fácil, resolvida àquela altura.

“Não estou abalado, mas triste e chateado, sim. Venho treinando muito bem, focado nos pênaltis, não é à toa que sou o segundo cobrador (o primeiro é Philippe Coutinho, que havia sido substituído por Willian) num grupo de tanta qualidade. Óbvio que eu poderia ter batido melhor, mas não acho que foi um pênalti perdido, mas sim defendido. O goleiro foi muito bem”, lamentou Gabriel Jesus depois do jogo contra o Peru.

Apesar da falta de gol, Gabriel Jesus considera que tem feito bom papel na Copa América. “Óbvio que sempre quero fazer gol, mas, às vezes, não dá. Venho buscando mais o gol, finalizando, aprimorando. Estou feliz com meu desempenho individual e coletivo”, avaliou.

A responsabilidade de usar a 9 aumenta na Seleção e no Manchester City a partir da próxima temporada. Pep Guardiola decidiu que o brasileiro assumirá a camisa. Ele até comentou a escolha em entrevista às redes sociais do atual bicampeão inglês. “Será uma honra usar a camisa número 9 do City e farei isso com muito orgulho. É o número que uso com o Brasil”, lembrou o atacante.

BLINDAGEM Carinho não falta para que Gabriel Jesus tente outra vez exorcizar a maldição da camisa 9 nas quartas de final da Copa América, quinta-feira, às 21h30, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. “Fiquei triste por ele não fazer o gol, porque jogou muito. Tem que se orgulhar muito da forma como jogou. Estava torcendo por ele até individualmente. Não ia ser determinante para o resultado, mas torci pelo grande jogo que fez”, disse Tite.

Sombra de Gabriel Jesus desde a Copa da Rússia, Roberto Firmino atuou ao lado do concorrente no ataque desde o início do triunfo sobre o Peru e deu força ao companheiro: “Sabemos do cara que é o Gabriel, do grande jogador que é. Ele tinha que bater. Infelizmente, não saiu o gol, mas é bola para frente, tem que ficar tranquilo. No próximo jogo ele vai fazer”.

APROVEITAMENTO
16
gols tem Gabriel Jesus pela Seleção principal: sete por Eliminatórias e nove em amistosos

Jejum dos centroavantes

São 19 partidas sem gol em copas

» Copa do Mundo 2014
Fred: marcou apenas contra Camarões na terceira rodada da fase de grupos
28/6/14 – Brasil 1 x 1 Chile
4/7/14 – Brasil 2 x 1 Colômbia
8/7/14 – Brasil 1 x 7 Alemanha
12/7/17 – Brasil 0 x 3 Holanda

» Copa América 2015
Diego Tardelli: passou o torneio inteiro sem marcar
14/6/15 – Brasil 2 x 1 Peru
17/6/15 – Brasil 0 x 1 Colômbia
21/6/15 – Brasil 2 x 1 Venezuela
27/6/15 – Brasil 1 x 1 Paraguai

» Copa América 2016
Jonas: passou o torneio inteiro sem marcar
4/6/16 – Brasil 0 x 0 Equador
8/6/16 – Brasil 7 x 1 Haiti
12/6/16 – Brasil 0 x 1 Peru

» Copa do Mundo 2018
Gabriel Jesus: passou o torneio inteiro sem marcar
17/6/18 – Brasil 1 x 1 Suíça
22/6/18 – Brasil 2 x 0 Costa Rica
27/6/18 – Brasil 2 x 0 Sérvia
2/7/18 – Brasil 2 x 0 México
6/7/18 – Brasil 1 x 2 Bélgica

» Copa América 2019
Gabriel Jesus: ainda não marcou
15/6/19 – Brasil 3 x 0 Bolívia
18/6/19 – Brasil 0 x 0 Venezuela
22/6/19 – Brasil 5 x 0 Peru

Possíveis adversários nas quartas de final

Equador: enfrenta o Brasil se vencer o Japão, no Mineirão, por qualquer placar
Japão: enfrenta o Brasil se vencer o Equador, no Mineirão, por qualquer placar
Paraguai: em caso de empate entre Equador e Japão, cruza o caminho do Brasil pelo saldo de gols
Uruguai: só enfrenta o Brasil se perder para o Chile e o Japão vencer o Equador tirando diferença de oito gols no saldo


ENQUANTO ISSO...
Cássio no DM
A bruxa continua perturbando a Seleção Brasileira. Depois de cortar o atacante Neymar, administrar a contusão do volante Arthur e aguardar a recuperação do também meio-campista Fernandinho — favorito para substituir o suspenso Casemiro nas quartas de final —, ontem foi a vez de o goleiro Cássio dar um susto. O terceiro arqueiro do grupo deixou a atividade no CT da Barra Funda sentindo dor no quadril depois de uma queda. Tentou voltar, mas não conseguiu.  Os jogadores que entraram em campo na vitória sobre o Peru fizeram somente treino regenerativo.


Publicidade