Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Para selar a vaga

Com 'reforço' no meio-campo, Seleção Brasileira garante presença nas quartas de final da competição se vencer a Venezuela hoje. Tite mantém ataque que goleou na estreia


postado em 18/06/2019 04:07

A velocidade do atacante Richarlison, revelação do América, é uma das armas do Brasil no duelo da Fonte Nova(foto: Lucas Figueiredo/CBF)
A velocidade do atacante Richarlison, revelação do América, é uma das armas do Brasil no duelo da Fonte Nova (foto: Lucas Figueiredo/CBF)
 

A vitória por 3 a 0 sobre a Bolívia pode não ter empolgado a torcida na estreia da Copa América, mas será fundamental para ajudar a Seleção Brasileira a garantir a classificação para as quartas de final se voltar a vencer hoje, em duelo com a Venezuela, em Salvador. A partida será às 21h30, na Fonte Nova. E a equipe entra com o ‘reforço’ do volante Arthur, recuperado de lesão no joelho direito. No outro duelo do Grupo A, Bolívia e Peru se enfrentam às 18h30, no Maracanã.

O meio-campista do Barcelona participou normalmente do último treino, ontem, no Barradão. Como choveu na capital baiana, o gramado do local da partida foi preservado, contraindo protocolo das competições organizadas pela Conmebol.

Embora Tite tenha permitido que a imprensa acompanhasse apenas o aquecimento dos jogadores, Arthur volta ao time titular. Na partida no Morumbi, o jogador foi poupado, substituído por Fernandinho. Nos outros setores não haverá mudanças. Richarlison, Philippe Coutinho, David Neres e Roberto Firmino terão a missão de furar a defesa venezuelana.

Enquanto o Brasil soma 3 pontos na tabela, a Venezuela figura com apenas 1, decorrente do empate sem gols com o Peru na estreia, na Arena do Grêmio. Buscando garantir sua classificação à próxima fase o mais breve possível, o time canarinho tentará fazer prevalecer seu amplo favoritismo sobre o adversário.

Mas se engana quem pensa que a Venezuela não oferecerá perigos à Seleção Brasileira. Em março, em amistoso no estádio do Atlético de Madrid, na Espanha, a equipe superou surpreendentemente a Argentina, de Lionel Messi, por 3 a 1.

ADVERSÁRIO O atacante Soteldo, que joga no Santos, é uma das armas da Venezuela, comandada pelo técnico Rafael Dudamel, para tentar superar o Brasil. Segundo ele, a seleção Vinotinto tem atletas com qualidade para vencer os brasileiros em sua casa.

“Estamos motivados para disputar a competição. O Brasil é uma seleção muito difícil, mas assim como eles têm jogadores que podem nos provocar danos, nós temos atletas para ganhar deles. O objetivo é o mesmo de sempre: ganhar o jogo, assim como é o do Brasil”, afirmou.

Ganhar do Brasil seria um feito histórico, já que em 24 jogos entre as seleções a Venezuela tem apenas uma vitória: 2 a 0 em amistoso em 2008, nos Estados Unidos. Pela Copa América, o melhor resultado foi o empate sem gols em 2011, na Argentina.


FICHA TÉCNICA
Brasil  x Venezuela
Brasil: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Casemiro, Arthur (Fernandinho), Philippe Coutinho, David Neres e Richarlison; Roberto Firmino
Técnico: Tite
Venezuela: Fariñez; Rosales, Chancellor, Villanueva e Feltscher (Osorio); Moreno, Hernández, Herrera, Rincón e Savarino; Rondón
Técnico: Rafael Dudamel
2ª rodada do Grupo A da Copa América
Estádio: Fonte Nova
Horário: 21h30
Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios (CHI)
Pendurado: Philippe Coutinho
VAR: Roberto Tobar (CHI)


Atual campeão larga bem
O Chile iniciou, com goleada, a busca pelo terceiro título seguido da Copa América – conquistou as edições de 2015 e 2016. Sem dificuldade, aplicou 4 a 0 no Japão, ontem à noite, no Morumbi, pela primeira rodada do Grupo C. Pulgar, no primeiro tempo, e Vargas (duas vezes) e Alexis Sánchez, no segundo, foram os autores dos gols. Vargas chegou ao 12 gols e ultrapassou o peruano Guerrero (tem 11) na liderança da lista dos artilheiros históricos do torneio que estão em atividade. A partida teve apenas 23 mil pagantes.


Publicidade