Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Trio faz a festa uruguaia em BH

O Uruguai fez as pazes com o Mineirão, onde não vencia uma partida desde 1966, e goleou o Equador por 4 a 0. Com grande atuação, Lodeiro se juntou à dupla de astros Suárez e Cavani


postado em 17/06/2019 04:07

Lodeiro, que ganhou a posição de Arrascaeta na Seleção do Uruguai, abriu o placar e participou das jogadas dos gols da dupla Suárez e Cavani em noite de show uruguaio no Gigante da Pampulha (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Lodeiro, que ganhou a posição de Arrascaeta na Seleção do Uruguai, abriu o placar e participou das jogadas dos gols da dupla Suárez e Cavani em noite de show uruguaio no Gigante da Pampulha (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

 

Boa parte dos 13.611 torcedores que estavam no Mineirão na noite de ontem foi para ver os uruguaios Cavani e Luiz Suárez. E eles não se decepcionaram, pois cada um balançou as redes uma vez. Para completar, ainda puderam aproveitar a boa atuação de um jogador não tão badalado e com passagem pelo futebol brasileiro, o armador Lodeiro, que fez um e participou de outros dois gols do Uruguai na goleada por 4 a 0 sobre o Equador, no primeiro jogo do Grupo C da Copa América. Além disso, protagonizou o lance que resultou na expulsão do equatoriano Quintero ainda com 20min de jogo, o que facilitou o caminho para a vitória Charrúa.


O ex-jogador de Botafogo e Corinthians, que atualmente defende o Seatle Sounders-EUA, mostrou que o técnico Óscar Tabárez acertou em preterir o ex-cruzeirense De Arrascaeta e escalá-lo. Além de participar ativamente da armação das jogadas e aparecer na área para finalizar, o camisa 7 se aplica bem mais na marcação que o jogador do Flamengo. Tanto que tomou cartão amarelo logo no começo da partida por cometer falta ao tentar desarmar um adversário.
“Era importante começar bem a competição, há sempre a preocupação de a ansiedade pela estreia atrapalhar um pouco. Felizmente conseguimos a vitória”, disse o jogador, revelado pelo Nacional-URU e que admitiu que ter ficado com um homem a mais ainda na metade inicial do primeiro tempo foi determinante para o resultado. “Depois da expulsão eles se abriram, nós dominamos e mantivemos a calma, fizemos um jogo seguro. Temos de seguir este caminho, fazer as coisas bem.”


Apesar da excelente estreia, com a vitória por maior diferença de gols desta primeira rodada, pelos excelentes jogadores que têm e por a comissão técnica estar trabalhando há 13 anos, os uruguaios rechaçam o favoritismo ao título na Copa América. De qualquer forma, foi bom para eles acabarem com jejum de 53 anos sem vencer no Mineirão – a última vez havia sido em 1966, quando fizeram 3 a 1 no Santos, no chamado Torneio Triangular.


“Falam que somos favoritos, mas não pensamos nisso.Vamos pensar jogo a jogo, temos de procurar melhorar a cada partida, mantendo a concentração”, afirmou Lodeiro. “Vão sempre falar disso, até porque o Uruguai é o maior vencedor da Copa América e tem grandes conquistas. Isso não vai mudar. A nós cabe trabalhar e procurar alcançar grandes coisas, deixando o futebol uruguaio ainda maior”, argumentou Cavani.


No que depender da torcida, porém, os comandados por Óscar Tabárez são, sim, fortes candidatos ao título. Se não eram tantos, certamente eram mais animados que os equatorianos, que também não estavam em grande numero no Gigante da Pampulha, mas ganharam o apoio dos brasileiros, que fizeram a clássica opção de torcer para a equipe mais fraca ou de menos tradição


O golaço de Lodeiro aos 5min, que deixou para trás Intriargo e Quintero, fez nossos vizinhos cantarem ainda mais. “Seremos campeões mais uma vez, como na primeira vez”, entoaram os uruguaios, referindo-se à conquista da primeira Copa América, disputada em 1916.


Mesmo com placar adverso, equatorianos e torcedores de outras nacionalidades começaram a apoiar o Equador. Chegaram a gritar “olé” para a troca de passes equatoriana, mas tiveram de parar para aplaudir o talento de Cavani, que pouco depois de quase marcar de calcanhar, fez de voleio, após tabela de cabeça de Lodeiro e Godín.


Aos 43min foi a vez de Luis Suárez deixar o dele. Novamente com participação de Lodeiro, que cobrou escanteio na esquerda, Cáceres desviou e a bola sobrou para ele só empurrar na pequena área.


Com o jogo definido, foi natural que o Uruguai diminuísse o ritmo no segundo tempo, o que desagradou à torcida, que pagou caro para estar no estádio. O quarto gol acabou sendo marcado contra, aos 33min, por Mina.

OUTRO JOGO

 

Hoje, às 20h, no Morumbi, em São Paulo, Japão x Chile fecham a primeira rodada da Copa América. O jogo é válido pelo Grupo C, o mesmo de Uruguai e Equador. Na quinta-feira, os uruguaios pegam o Japão, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, enquanto os equatorianos enfrentam o Chile na sexta-feira, em Salvador.


Publicidade