Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Inspiração nas veteranas para conseguir a vaga


postado em 16/06/2019 04:07

 A Seleção Brasileira treinou ontem no Stade Jean Jacques, em Lille, e o discurso entre as jogadoras é de um time bastante ofensivo contra a Itália, na terça-feira(foto: CBF/Divulgação)
A Seleção Brasileira treinou ontem no Stade Jean Jacques, em Lille, e o discurso entre as jogadoras é de um time bastante ofensivo contra a Itália, na terça-feira (foto: CBF/Divulgação)

 

Dois dias após a derrota para a Austrália, pela segunda rodada do Mundial Feminino de Futebol, a atacante da Seleção Brasileira Bia Zaneratto afirma que é hora de esquecer o revés e focar no jogo decisivo contra a Itália. Em entrevista coletiva ontem, em Lille, na França, a jogadora prometeu que a equipe será ofensiva na próxima terça-feira. Perguntada sobre como ela achava que seria a postura do time na terceira rodada do Grupo C, em Valenciennes, mesmo ainda sem saber qual a ideia do técnico Vadão, ela respondeu: “Sei que com certeza vai ser bem ofensivo, porque precisamos do resultado”.
Bia afirmou que acredita num jogo mais encaixado para o Brasil contra as italianas. “A Itália tem essa qualidade de jogar com posse de bola, não tem um jogo de velocidade, e acho que nesse ponto vai nos ajudar, pois também gostamos de jogar com a bola no pé e criar jogadas. Agora é tudo ou nada”, avaliou a atleta do Incheon Hyundai Red Angels, da Coreia do Sul.


A atacante ressaltou ainda a importância de passar de fase para continuar ajudando a aumentar a popularidade do futebol feminino no Brasil e, além disso, oferecer a chance de atletas como Formiga, Marta e Christiane, que devem se aposentar da Seleção depois do Mundial, continuarem a brilhar no torneio por mais tempo. “O pensamento de todo mundo é dar um passo à frente, sabemos da importância que isso tem para a modalidade e a gente com certeza vai fazer isso pela Formiga, que tem 41 anos. O quanto ela corre em campo é impressionante, e por todas as outras que possivelmente possam se aposentar após a Copa. Elas têm dado o gás e com um resultado positivo elas vão poder dar prosseguimento na competição e continuar nos ajudando”.


O Brasil encara as italianas às 16h (de Brasília) de terça-feira, pela terceira rodada do Grupo C do Mundial da França. Uma vitória praticamente assegura a Seleção Brasileira nas oitavas de final – a vaga pode ser concretizada até mesmo com um empate ou derrota, pois, além dos primeiros e segundos de cada chave, os quatro melhores terceiros colocados também se classificam.


Ontem, o Brasil treinou no Stade Jean Jacques, em Lille, mas apenas os primeiros 15 minutos da atividade foram abertos à imprensa. Neste duelo diante das italianas, o técnico Vadão não poderá contar com a meio-campista Formiga, que recebeu o segundo cartão amarelo na derrota por 3 a 2 para a Austrália e vai cumprir suspensão.

CLASSIFICADAS

 

Ontem, a Holanda se classificou às oitavas de final ao superar Camarões por 3 a 1, assumindo a liderança do Grupo E, com gols de Vivianne Miedema (2) e de Dominique Bloodworth, no Estádio de Hainaut, em Valenciennes, tomado pela fanática torcida laranja. As camaronesas chegaram a empatar com Gabrielle Aboudi Onguene, mas não suportaram a qualidade técnica das adversárias, ainda que tenham mostrado força física e velocidade.


Já o Canadá também garantiu sua classificação às oitavas ao ganhar da Nova Zelândia por 2 a 0, em Grenoble, e chegar a seis pontos no Grupo E. Fleming e Prince marcaram os gols canadenses. A derrota neozelandesa foi favorável ao Brasil porque a Nova Zelândia pode ser concorrente para ficar com uma das vagas entre as melhores terceiras colocadas. Agora, só pode chegar a três pontos se vencer na última rodada. O Canadá está em segundo lugar do grupo – perde no saldo de gols para a Holanda.


A Nova Zelândia é a última colocada, sem pontuar e com três gols negativos de saldo. O Brasil, por exemplo, já tem três pontos e leva vantagem no saldo de gols – dois contra três negativos. Caso não vença a Itália na rodada final, precisará se classificar entre as quatro melhores terceiras colocadas.


Hoje, mais dois jogos pelo Grupo F. Às 10h, em Nice, a Suécia tem pela frente a fraquíssima Tailândia e, às 13h, em Paris, os Estados Unidos encaram o Chile. As americanas lideram pelo saldo de gols, com as suecas em segundo (13 contra 2).


Publicidade