Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

''Queria fazer história aqui''


postado em 15/06/2019 04:08

(foto: Lachlan Cunningham/Getty Images/AFP)
(foto: Lachlan Cunningham/Getty Images/AFP)

 

Oakland – Contratado para esta temporada ao ser envolvido em uma troca com DeMar DeRozan, que foi para o San Antonio Spurs, o ala Kawhi Leonard tinha a missão de dar ao Toronto Raptors um status maior que um time que se satisfaz com a chegada aos playoffs da NBA. E ele conseguiu. Na noite de quinta-feira, a franquia do Canadá se tornou a primeira fora dos Estados Unidos a ser campeã da liga ao fechar a série final em 4 a 2 com a vitória sobre o Golden State Warriors, que detinha três dos últimos quatro títulos, mesmo jogando fora de casa.

 

Com tanto destaque, Kawhi foi escolhido o jogador mais valioso (MVP, na sigla em inglês) das finais. Ele se torna, assim, apenas o terceiro atleta na história da NBA eleito o melhor da decisão por times diferentes – em 2014, o ala ganhou o prêmio pelo San Antonio Spurs. Os outros dois foram o pivô Kareem Abdul-Jabbar (Milwaukee Bucks e Los Angeles Lakers) e o ala LeBron James (Miami Heat e Cleveland Cavaliers). No jogo 6 das finais, em Oakland, Kawhi foi até discreto, com 22 pontos, seis rebotes, três assistências, duas roubadas de bola e um toco. Mas na série ele teve médias de 28,5 pontos, 9,8 rebotes e 4,2 assistências e somou “double-double” (dois dígitos em dois fundamentos) em três oportunidades. Após a partida, Kawhi, normalmente discreto em suas emoções, comemorou muito a conquista. Perguntado sobre o seu futuro, já que será um “agente livre” a partir do próximo dia 30, o astro desconversou e disse que o momento é de curtir o título.

 

“O meu foco está no agora. Eu queria fazer história aqui e foi isso que fiz. Ainda estou jogando basquete, não importa o uniforme que visto. Os caras aqui (dos Warriors) estavam indo para os playoffs antes de eu chegar. Eu sei que eles formam um time talentoso. Eu vim pra Toronto com o pensamento certo: vamos entrar para ganhar jogos”, afirmou. O ala revelou que teve uma conversa inicial com Kyle Lowry antes do início da temporada, assim que aconteceu a troca com DeMar DeRozan, para falar sobre o que queria fazer em Toronto. “No dia seguinte à troca, eu mandei mensagem para Kyle dizendo: ‘Vamos fazer algo especial. Eu sei que seu melhor amigo partiu e que você está bravo. Mas, vamos fazer essa coisa funcionar. E nós estamos aqui hoje!’", disse. Klay Thompson As finais da NBA não foram nada boas para o Golden State Warriors. Não bastasse a perda do título para o Toronto Raptors e a grave lesão do ala Kevin Durant, que teve ruptura do tendão de Aquiles e passou por cirurgia, a franquia de Oakland confirmou que Klay Thompson sofreu ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, o que deverá afastar o astro por boa parte da próxima temporada da liga.

 

O problema aconteceu faltando pouco mais de dois minutos para o final do terceiro quarto da partida disputada na quinta-feira. Thompson tentou uma enterrada e sofreu falta de Danny Green, lesionando o joelho esquerdo. Tentou voltar ao jogo, mas não teve como continuar e saiu ovacionado pela torcida. Logo após a partida, foi submetido a exames emergenciais que revelaram a extensão da gravidade da lesão. Segundo seu agente, Greg Lawrence, a contusão pode tirar Thompson de quadra, pelo menos até fevereiro de 2020, quando a próxima temporada regular já estará na sua segunda metade. Pior aconteceu com Kevin Durant, que pode ficar de fora de todo o campeonato por conta da lesão no tendão de aquiles. A informação foi confirmada pelo técnico Steve Kerr. “O que importa é que Kevin Durant perderá a próxima temporada com uma lesão no tendão de aquiles. O que importa é que Klay (Thompson) sofreu uma lesão no joelho. Saberemos mais depois. Mas isso é brutal. São apenas brutais as coisas com as quais esses caras tiveram de lidar”, disse o comandante dos Warriors, em entrevista coletiva após a derrota de sua equipe para os Raptors. Lesões à parte, na próxima temporada a franquia de Oakland estará de casa nova. Será na vizinha San Francisco, mas a despedida da Oracle Arena não foi das melhores. A mesma veio com três derrotas nas finais da NBA. Essa é apenas a sexta vez na história que um time perde três jogos da decisão em sua arena.


Publicidade