Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Ainda pode ficar pior

Derrotado pelo Fortaleza ontem, no Castelão, Cruzeiro precisa torcer por combinação de resultados hoje para não entrar na zona de rebaixamento. Já são nove jogos sem triunfo


postado em 13/06/2019 04:10

Atacante Sassá marcou o único gol celeste na noite de ontem, numa das poucas intervenções positivas do ataque cruzeirense na partida(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Atacante Sassá marcou o único gol celeste na noite de ontem, numa das poucas intervenções positivas do ataque cruzeirense na partida (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

O roteiro negativo do Cruzeiro nos últimos jogos se repetiu ontem, contra o Fortaleza, no Castelão, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Mais uma vez, a Raposa foi vítima dos erros de sua defesa e acabou derrotada por 2 a 1, chegando à nona partida sem vitória em 2019 – pior sequência de Mano Menezes no comando celeste. O prejuízo pode ser maior, já que o time pode entrar na zona de rebaixamento hoje: terá de torcer para que o Vasco não derrote o Ceará, às 19h15, em São Januário, e ainda para que haja vencedor no duelo entre Chapecoense e Fluminense, às 20h, em Chapecó, para não passar todo o período da paralisação do Nacional durante a Copa América entre os quatro últimos colocados.

Com a fase ruim, a parada de um mês será de ajustes e reflexões. Os jogadores entram de folga hoje e se reapresentam dia 24, na Toca da Raposa II. Além de ter de melhorar a posição no Brasileiro, o Cruzeiro precisa de uma postura muito diferente a partir de julho, pois está vivo na Copa do Brasil (encara o Atlético, pelas quartas de final) e terá o River Plate nas oitavas de final da Copa Libertadores. O clima político conturbado e o atraso dos salários de funcionários e jogadores ajudam a compor o cenário nebuloso.

O técnico Mano Menezes mostrou resignação em relação ao momento do time celeste. “A gente não tem muita explicação. Precisamos assumir os fatos como eles são”, disse, buscando justificativas para mais um revés: “Jogamos um tempo só, o nosso primeiro tempo foi muito ruim. Tomamos um gol no início e, quando poderíamos levar o empate para o intervalo, sofremos outro e tudo se complicou”.

Ele lamenta que a ascensão que vinha observando no desempenho da equipe tenha sido interrompida: “Tivemos um momento de queda brusca, muito acentuada, e foi muito difícil a retomada. Melhoramos em três ou quatro jogos, mas tornamos as coisas mais difíceis de novo. Encerramos esta primeira parte do Brasileiro com muita dificuldade. Não dá para transferir para os jogadores uma responsabilidade que é do treinador”.

O zagueiro Leo admite que o Cruzeiro está devendo muito no Brasileiro: “A gente conseguiu alguns objetivos, como nos classificar em primeiro na Libertadores, o título mineiro e passar de fase na Copa do Brasil. Vínhamos numa sequência de bons jogos, mas precisamos melhorar muito no Brasileiro. A equipe batalhou, porém, as coisas não saíram como esperávamos”.

Para o atacante Pedro Rocha, faltou mais sorte à Raposa: “É difícil explicar. Por mais que a gente lute e corra muito, as coisas não estão dando certo. Temos que botar a cabeça no lugar. Somos profissionais e sabemos que precisamos mudar o mais rápido possível”.

FALHAS Dois erros em jogadas aéreas foram cruciais para a derrota no Ceará. Com apenas dois minutos de jogo, o atacante André Luís contou com cochilo do zagueiro Leo para cabecear para o fundo das redes de Fábio após cruzamento de Carlinhos (ex-América). Depois que o Cruzeiro equilibrou e empatou a partida com o atacante Sassá, a defesa voltou a falhar. Em novo levantamento na área, o mesmo André Luís levou vantagem sobre Lucas Romero e voltou a vencer o goleiro celeste.

Mesmo com um jogador a mais desde o início do segundo tempo – o zagueiro Nathan, do Fortaleza, foi expulso depois de falta em Sassá –, faltou criatividade ao time mineiro e a derrota foi merecida.


FICHA TÉCNICA
Fortaleza 2 x 1 Cruzeiro
Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Nathan e Carlinhos; Felipe, Juninho, Dodô, Romarinho (Derley 30 do 2º) e Marcinho (Matheus Alessandro 15 do 2º); André Luís (Tinga 15 do 2º)
Técnico: Rogério Ceni
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Dodô (Marquinhos Gabriel 27 do 2º); Henrique, Ariel Cabral (Jadson, intervalo), Robinho, Thiago Neves e Pedro Rocha; Sassá (Raniel 19 do 2º)
Técnico: Mano Menezes
9ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Castelão
Gols: André Luís 2, Sassá 10 e André Luís 46 do 1º
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Alex dos Santos e Éder Alexandre (SC)
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartão amarelo: Leo, Ariel Cabral, Dodô (Cruzeiro), Dedé, Robinho* e Lucas Romero*
Cartão vermelho: Nathan
Pagantes: 16.6333
Renda: R$ 114.947
Próximos jogos: Botafogo (c), Bahia (f) e Athletico (c)
*Suspensos para o próximo jogo


Santos vence mais uma 
O Santos confirmou seu crescimento no Brasileiro ao vencer, ontem, o clássico com o Corinthians por 1 a 0, na Vila Belmiro, com gol de Eduardo Sasha. O resultado levou o Peixe momentaneamente à liderança – tem um ponto a mais que o Palmeiras, que recebe o Avaí hoje, às 20h , em São Paulo. De toda forma, a equipe da Baixada Santista assegurou pelo menos a vice-liderança. O Flamengo chegou ao grupo dos quatro primeiros ao derrotar o CSA por 2 a 0, em Brasília, com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, em um dos camarotes do Mané Garrincha. Vitinho e Gabriel marcaram para o rubro-negro. Com gols de Rodrigo Lindoso, D’Alessandro e Rafael Sobis, contra um de Fernandão, o Internacional bateu o Bahia por 3 a 1, no Beira-Rio. Já o Grêmio contou com gol de falta de Jean Pyerre para superar o Botafogo por 1 a 0, no Rio, se distanciando da zona da degola.
 
 


Publicidade