Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Turbilhão celeste

Em Fortaleza, time do Cruzeiro tenta vencer para não correr o risco de entrar na zona de rebaixamento. Em BH, clube sofre com atraso nos salários e rompimento com a Minas Arena


postado em 12/06/2019 04:19

Zagueiro Dedé se diz otimista porque, apesar de não vencer há oito partidas, Raposa vem crescendo de rendimento nos últimos jogos(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Zagueiro Dedé se diz otimista porque, apesar de não vencer há oito partidas, Raposa vem crescendo de rendimento nos últimos jogos (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


O Cruzeiro entra em campo hoje, às 21h, para enfrentar o Fortaleza, na capital cearense, mas a situação ruim no Campeonato Brasileiro e o jejum de oito partidas sem vitória não são as únicas preocupações. Enquanto os comandados por Mano Menezes tentam voltar a triunfar para não correr risco de passar os próximos 31 dias na zona de rebaixamento do Nacional, a diretoria busca contornar os problemas financeiros que impediram o pagamento de salários no quinto dia útil deste mês e ainda precisa lidar com o rompimento unilateral de contrato por parte da empresa que administra o Mineirão.

Na parte esportiva, os atletas têm se mostram incomodados com o atual quadro. O time está há mais de um ano sem vencer fora de Belo Horizonte pelo Brasileiro, sendo que a última foi justamente em Fortaleza, mas contra o Ceará, em 3 de junho do ano passado, quando fez 1 a 0, gol de Sassá.

Para completar, o adversário desta noite é o primeiro na zona de rebaixamento e, caso vença, vai passar a Raposa na classificação. Dependendo de outros resultados, o time celeste pode até entrar na área de degola. Por outro lado, se vencer, a Raposa vai melhorar um pouco o aproveitamento – que hoje é de apenas 33,33% – e terá mais tranquilidade para trabalhar depois da folga de 10 dias que o grupo terá.

“Nossa confiança deu uma melhorada, nossa autoestima deu uma subida, pois estamos vindo de bons jogos. Sabemos das dificuldades de atuar aqui, contra o Fortaleza, uma pressão grande em cima da gente pelo tempo longe sem vencer, ainda mais sem vencer fora de Belo Horizonte. Então, será uma partida importante para nós antes da parada da Copa América. Depois, vamos trabalhar para voltar bem melhores”, afirma o zagueiro Dedé.

Fora de campo, os dirigentes não vivem situação favorável. O clube trabalha para pagar os salários de maio, que venceram na sexta-feira. Se por um lado o Cruzeiro tem valores a receber da segunda parcela da venda do armador De Arrascaeta ao Flamengo, que vence neste mês, de cerca de R\$ 13 milhões (metade vai para o empresário Pedro Lourenço, que tambem cobra quantia pela venda de Mayke ao Palmeiras, no ano passado), por outro o clube busca arrecadar com novas negociações.

Estão próximos de deixar a Toca da Raposa II os zagueiros Murilo e Fabrício Bruno. Eles interessam ao russo Lokomotiv e ao português Braga, respectivamente, e podem render, juntos, quase R\$ 20 milhões aos cofres cruzeirenses. Porém, a comissão técnica pretende ficar com pelo menos um deles – o outro reserva é Cacá, de 20 anos e que fez somente duas partidas como profissional.

VERSÕES Como depois de hoje o Cruzeiro só voltará a atuar em 10 de julho, quando faz o duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético, a diretoria terá tempo para se acertar com a Minas Arena para usar o Mineirão de acordo com o que foi estabelecido em contrato em 2013. Ontem, a empresa anunciou que rompeu unilateralmente o vínculo por falta de pagamento de dívida de cerca de R\$ 26 milhões.

Por meio do advogado Felipe Cândido, o Cruzeiro confirma ter sido notificado, mas fez uma contranotificação, pois vem depositando 25% das rendas líquidas de jogos no estádio, como determinado por decisão liminar. O valor já está na casa de R\$ 10 milhões.

Desde abril, a Minas Arena vem exigindo que o Cruzeiro pague de forma antecipada as despesas das partidas no estádio. “O Cruzeiro interpreta estas movimentações da Minas Arena como forma de pressão para forçar a celebração de acordo. O Cruzeiro não vai se sujeitar a qualquer tipo de pressão. O clube vai negociar com a Minas Arena dentro do melhor direito. Se for possível fazer acordo, tudo bem. Se não, o clube vai aguardar a esfera judicial”, argumenta o advogado.

A eleição do Conselho Fiscal, marcada para amanhã, foi adiada para 1º de julho. O motivo foi erro no primeiro edital.


FICHA TÉCNICA
Fortaleza x Cruzeiro
Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Nathan e Carlinhos; Felipe, Juninho, Marlon, Romarinho e Marcinho; Kieza
Técnico: Rogério Ceni
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Leo e Dodô; Henrique, Ariel Cabral, Robinho, Thiago Neves e Pedro Rocha (Marquinhos Gabriel); Sassá
Técnico: Mano Menezes
9ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Castelão
Horário: 21h
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Alex dos Santos e Éder Alexandre (SC)
VAR: Rafael Traci (SC)
TV: Pay per view
Cruzeirenses pendurados: Ariel Cabral, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho e Thiago Neves


Publicidade