Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

De paredão a peneira

Para retomar o bom futebol que vinha demonstrando no início da temporada, Cruzeiro precisa reorganizar seu sistema defensivo. Já são 11 gols sofridos no Campeonato Brasileiro


postado em 23/05/2019 04:07

O gol marcado pelo atacante Luciano, do Flu, na goleada de 4 a 1 sobre o Cruzeiro, no Maracanã, pelo Brasileiro, foi classificado como
O gol marcado pelo atacante Luciano, do Flu, na goleada de 4 a 1 sobre o Cruzeiro, no Maracanã, pelo Brasileiro, foi classificado como "ridículo" pelo técnico Mano Menezes (foto: Lucas Merçon/Fluminense)


O Cruzeiro vem conversando para detectar o que precisa ser corrigido para a equipe voltar a vencer depois de três derrotas e um empate nas últimas quatro partidas. Uma coisa certa é que o time precisa recuperar a força defensiva, o que sempre foi uma qualidade sob o comando do técnico Mano Menezes.

A queda foi vertiginosa. Se teve média de 0,54 gol sofrido nos primeiros 24 jogos da temporada, o número subiu para 2,5 gol por partida nos últimos quatro – é a pior defesa do Brasileiro, ao lado do Vasco, com 11 gols sofridos em cinco rodadas. Os números só não são piores porque contou com a colaboração de adversários como D’Alessandro, do Internacional, que cobrou pênalti para fora no jogo pelo Campeonato Brasileiro de 10 dias atrás. Ou porque Maramoros, do Emelec-EQU, acertou o travessão em chute de fora da área, pela última rodada do Grupo B da Copa Libertadores.

Esse lance pela competição nacional, como outros, mostram que a culpa não é só da defesa. Em muitas vezes a Raposa está dando espaço desde a saída de bola adversária, que se aproveita para finalizar de fora ou para construir jogadas e entrar tocando na defesa celeste.

Para completar, é preciso maior concentração. Alguns gols foram sofridos porque não houve reação imediata dos atletas, falta de cobertura ou mau posicionamento.

Mano Menezes chegou a classificar alguns lances que resultaram com a bola na rede celeste de “ridículos” depois da goleada por 4 a 1 para o Fluminense, domingo, no Maracanã, pelo Nacional. E tem procurado trabalhar para sanar as falhas. “É hora de ouvir mais e falar menos”, disse ele.

Os jogadores também acreditam que é com trabalho que o bom desempenho vai retornar. Por isso, querem aproveitar o momento em que só vão jogar aos fins de semana para reencontrar o melhor futebol.

“Todos os clubes brasileiros passam por momentos como este que estamos passando. Nós mesmos, em 2013, 2014, 2017, 2018, passamos por momentos parecidos e terminamos conseguindo grandes conquistas. É importante você parar para reencaixar algumas coisas, retomar o foco, nos unir cada vez mais”, disse o zagueiro Leo, que soma 360 jogos pelo Cruzeiro e que nega desentendimentos no grupo como causa da má fase celeste. “Todos nós nos damos muito bem. Aí, aparece gente inventando história, falando de briga, de grupo rachado. Algumas vezes damos até risada, pois envolve jogadores que são grandes amigos, que dividem quarto na concentração. O que tem aqui é todo mundo se cobrando, mas também se apoiando bastante.”

Como os demais atletas, ele participou de reunião com a diretoria e a comissão técnica antes do treino de terça-feira. E se mostra bastante otimista. “Temos muita qualidade, nosso grupo é muito bom. A comissão técnica faz trabalho excelente. Então, a conversa com a diretoria, com todo mundo, foi ótima. Agora, é hora de colocar o trem nos trilhos novamente.”

EM CASA NO HORTO
A intenção de todos os cruzeirenses é buscar a reabilitação no domingo, quando recebe a Chapecoense, às 19h, pela sexta rodada do Brasileiro. Nem mesmo o fato de o jogo ser no Independência, devido à decisão da CBF de preservar o Mineirão para a organização da Copa América, tira o entusiasmo dos celestes.

“Temos boas lembranças recentes do Independência, onde conquistamos o título mineiro deste ano, que comemoramos bastante com os nossos torcedores que foram lá. É um estádio com características peculiares, mas vamos usá-las a nosso favor”, afirmou Leo.


MUDANÇA BRUSCA
Os 24 primeiros jogos da Raposa em 2019
18 vitórias
5 empates
1 derrota
50 gols marcados
13 gols sofridos

Cruzeiro nos últimos quatro jogos
0 vitória
1 empate
3 derrotas
4 gols marcados
10 gols sofridos


TRISTE GALERIA

8/5 Libertadores
Cruzeiro 1 x 2 Emelec-EQU

Depois de Rodriguinho perder bola no meio, Rojas chuta de fora, a bola bate no travessão e no ombro de Fábio antes de entrar
Em contra-ataque, Edílson derruba Angulo na área. O próprio Angulo converte o pênalti

12/5 Brasileiro
Internacional 3 x 1 Cruzeiro

Guerrero cobra falta, a bola toca na barreira, na trave e sobra para três colorados, livres na área. Nonato é quem marca
Depois de Fábio interceptar passe na área, jogadores do Inter finalizam três vezes até marcarem com Guerrero
Rafael Sóbis acerta o travessão e Rodrigo Moledo, novamente livre, pega o rebote e faz o terceiro

15/5 Copa do Brasil
Fluminense 1 x 1 Cruzeiro

No último lance do jogo, Matheus Ferraz ganha de Dedé, que reclama falta, e a bola sobra para João Pedro, livre na área, empatar

18/5 – Campeonato brasileiro
Fluminense 4 x 1 Cruzeiro

Nino sobe mais que Henrique e completa escanteio para a rede
Depois de Dedé travar finalização, ninguém alivia e Luciano aproveita para fazer o segundo
Com liberdade, Marcos Paulo avança pela esquerda e cruza para João Pedro, também livre, desviar para o gol
João Pedro pega sobra na entrada da área, deixa quatro cruzeirenses para trás e executa Rafael


ESTRELADAS...
Raposa nas quartas do brasileiro

O Cruzeiro confirmou seu favoritismo, voltou a golear o Pinheirense, do Pará, desta vez no Sesc Venda Nova, e assegurou vaga nas quartas de final do Campeonato Brasileiro Feminino A2. Com gols de Micaelly e Paula Vicenzo (dois), o time celeste bateu a equipe paraense por 3 a 0, ontem à noite – havia vencido em Belém por 4 a 1. Na luta por uma vaga nas semifinais, a Raposa vai encarar o Ceará. As partidas das quartas serão disputadas em julho.

Orejuela é operado

Quem está fora do jogo de domingo contra a Chapecoense é o lateral-direito Orejuela. Ele passou por artroscopia no joelho esquerdo para correção de lesão no menisco medial na noite de ontem e só deve voltar a atuar depois da parada para a Copa América, em julho.


Publicidade