Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Chegam os seis primeiros

Com um goleiro, dois volantes e três atacantes o técnico Tite começa a preparação da Seleção Brasileira para a disputa da competição. Grupo deverá ficar completo só em 4 de junho


postado em 23/05/2019 04:07

Os atacante Richarlison e David Neres fizeram testes físicos ontem na Granja Comary(foto: Fotos: Lucas Figueiredo/CBF)
Os atacante Richarlison e David Neres fizeram testes físicos ontem na Granja Comary (foto: Fotos: Lucas Figueiredo/CBF)


Ainda sem bola no campo e vários dos convocados de Tite ausentes, a Seleção Brasileira teve ontem o primeiro dia de preparação para a Copa América em solo nacional. Com vários dos campeonatos europeus em andamento, somente o goleiro Ederson, os volantes Casemiro e Fernandinho e os atacantes Gabriel Jesus, Richarlison e David Neves participaram das atividades na academia da Granja Comary, em Teresópolis.

A perspectiva da comissão técnica é de que Tite esteja com o grupo completo para o primeiro amistoso de preparação para a competição, contra o Catar, em 5 de junho, em Brasília. O atacante Neymar, por exemplo, só chega ao Brasil no dia 28, como o lateral-direito Daniel Alves e os zagueiros Marquinhos e Thiago Silva, todos do PSG. Já o goleiro Alisson e o atacante Roberto Firmino disputarão pelo Liverpool a final da Liga dos Campeões contra o Tottenham em 1º de junho e começarão os treinos a partir do dia 4. A estreia na Copa América será diante da Bolívia, dia 14, no Morumbi.

Depois de boa temporada pelo Everton, Richarlison foi o primeiro a chegar em Teresópolis. O jogador passou uns dias descansando no Rio após ser eleito em votação popular o melhor jogador jovem da temporada inglesa. O ex-americano se mostra ansioso para disputar sua primeira competição pela Seleção Brasileira: “Dá um frio na barriga. Quero logo ir para o campo e começar a treinar. Estou muito feliz de estar aqui com a Seleção. É um momento único. É esperar que os jogos da competição cheguem logo”.

A Copa América será uma oportunidade a mais para os que fracassaram na Copa do Mundo da Rússia recuperem o prestígio na Seleção. Criticado por falhas individuais nos últimos dois Mundiais, o volante Fernandinho, de 34 anos, decidiu adiar a aposentadoria com a equipe verde-amarela para apagar tudo de ruim que ficou para trás: “Tinha conversado com o Tite ano passado, também este ano. Estava previsto ser convocado para os amistosos de março, mas, devido à minha lesão no final de fevereiro, acabei não sendo relacionado. Agora, estou coroando minha temporada com essa convocação. Estou orgulhoso e sem dúvida nenhuma com muita vontade, com muita gana de me preparar bem e tentar ajudar meus companheiros da melhor maneira possível”.

Apesar de a CBF propor renovação pós-fracasso na última Copa, Tite mantém a base de 2018 com a intenção de se beneficiar do entrosamento e do esquema de jogo 4-1-4-1 já consolidado. Dos 23 convocados, nove não estiveram na Rússia: Alex Sandro, Daniel Alves, Éder Militão, Allan, Arthur, Lucas Paquetá, David Neres, Everton e Richarlison.

JOVENS NO GRUPO
Mesmo sem o grupo completo, a ideia da comissão técnica é não deixar os jogadores sem atividade por vários dias seguidos depois de temporada desgastante na Europa. Tite chamou 10 atletas até 20 anos para completar os treinos, com destaque para o lateral-direito Weverton, do Cruzeiro. Eles participarão dos treinos táticos e coletivos até que a equipe fique completa.


Fifa mantém 32 Seleções no Catar

A Fifa, que pretendia aumentar de 32 para 48 o número de seleções a partir da Copa do Mundo de 2022 no Catar, sediando alguns dos jogos em países vizinhos, anunciou ontem que renunciou ao projeto. A entidade, que apresentou em maio um estudo de viabilidade para essa proposta, havia colocado o aumento do número de seleções na Copa do Mundo como pauta de seu próximo congresso, em junho em Paris, mas explicou que, “nas circunstâncias atuais, tal proposta não poderia ser colocada em prática”.


Publicidade