Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Erros sem perdão

Misto do Atlético atua mal e é derrotado pelo modesto Unión La Calera. Para ir às oitavas de final da Sul-Americana, Galo terá de vencer em BH, terça-feira, por mais de um gol de frente


postado em 22/05/2019 04:07

Time chileno aproveitou vacilo da defesa alvinegra para fazer o único gol do jogo: foi o primeiro triunfo do La Calera, fundado há 65 anos, em um duelo internacional(foto: CLAUDIO REYES/AFP)
Time chileno aproveitou vacilo da defesa alvinegra para fazer o único gol do jogo: foi o primeiro triunfo do La Calera, fundado há 65 anos, em um duelo internacional (foto: CLAUDIO REYES/AFP)



Se há justiça no futebol, ontem ela esteve a favor do modesto Unión La Calera, no jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana, contra o Atlético. Numa noite de atuação burocrática, o time misto do Galo foi derrotado pelos chilenos por 1 a 0, fora de casa, na estreia na competição continental que dá ao campeão vaga na Copa Libertadores de 2020. O resultado foi histórico para os donos da casa, que obtiveram sua primeira vitória internacional em 65 anos de fundação.

Agora, o alvinegro vai precisar de triunfo a partir de dois gols de diferença no jogo de volta, na terça-feira, às 21h30, no Independência, para chegar às oitavas de final – o empate favorece o La Calera. Além da Sul-Americana, o Atlético disputa o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, o que obriga o técnico Rodrigo Santana a continuar revezando os titulares para evitar lesões musculares. O Galo volta a campo no domingo, contra o Grêmio, em Porto Alegre, com o retorno do goleiro Victor, do lateral-esquerdo Fábio Santos, do volante Elias e dos atacantes Luan e Ricardo Oliveira, preservados no Chile.

O capitão Leonardo Silva entendeu que a equipe atleticana não merecia a derrota fora de casa: “Acredito que fizemos bom jogo. Foi um primeiro tempo mais conservador. Defensivamente, conseguimos bloquear as ações. Infelizmente, numa bola alçada na área eles fizeram o gol. São apenas os primeiros 90 minutos. Agora temos um jogo em casa para buscar a classificação”.

Na visão de Rodrigo Santana, o Galo teve dificuldade por atuar num estádio com grama sintética: “Não conseguimos acelerar a partida, pois a bola parava muito e isso dificultou nossa saída da defesa. A gente não esperava ter tomado este gol. Queríamos ter feito um jogo mais seguro para sair com o empate. Mas não saio muito insatisfeito. Acho que temos equipe para buscar reverter o resultado diante da nossa torcida”.

CASTIGO Ao preservar parte dos titulares no Chile, o Atlético assumiu o risco de atuar com uma formação com menos entrosamento e qualidade técnica. A exibição foi ruim, o Galo não incomodou o adversário ao longo dos 90 minutos. O principal ponto negativo foi a falta de sintonia entre os jogadores de frente, o que dificultou a chegada da equipe ao gol do argentino Batalla. Com muita posse de bola, o Unión La Calera teve as melhores chances e construiu o resultado com consistência.

Depois de segurar os chilenos na etapa inicial, o Galo teve falha fatal na bola aérea no segundo tempo, decretando a derrota fora de casa. No cruzamento de Zuñiga da direita, o lateral Guga cochilou e permitiu que Lobos cabeceasse com precisão, no canto direito de Cleiton. Rodrigo Santana tentou melhorar a dinâmica do ataque com as entradas de Bruninho, Maicon Bolt e David Terans, mas não teve o retorno esperado de seus comandados.


FICHA TÉCNICA
Unión La Calera 1 x 0 Atlético

Unión La Calera: Batalla; Andia, Alvarado, Vilches e Wiemberg; Laba, Zuñiga (Lavarrete 32 do 2º), Leiva, Lobos e Walter Bou (Leyton 45 do 2º); Larrondo
Técnico: Francisco Meneghini
Atlético: Cleiton; Guga, Leonardo Silva, Igor Rabello e Patric; Adilson, Jair (David Terans 39 do 2º), Vinícius, Nathan (Bruninho 21 do 2º) e Chará; Alerrandro (Maicon Bolt 28 do 2º)
Técnico: Rodrigo Santana
Jogo de ida da 2ª fase da Sul-Americana
Estádio: Nicolás Chahuán Nazar
Gol: Lobos 19 do 2º
Árbitro: Roddy Zambrano (EQU)
Assistentes: Luiz Vera e Edwin Bravo (EQU)
Cartão amarelo: Walter Bou, Igor Rabello e Leiva


ATLETICANAS...

ARENA MRV

Oito dias depois de o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pedir a paralisação do processo de licenciamento para a obra de construção da Arena MRV, novo estádio do Atlético, o prefeito de Belo Horizonte e ex-presidente do clube, Alexandre Kalil (PHS), ressaltou a importância da obra para a cidade, mas afirmou que fará o que for determinado pela Justiça. “Se o MP pedir interdição da obra e mandar parar na Justiça, vamos parar. Ninguém vai fazer nada de errado nem para Atlético, América, e Cruzeiro nem pensar, né? (risos). Vamos aguardar, é a lei”, disse Kalil. “O equipamento é importante. Gera desenvolvimento para a cidade. É muito melhor do que o que está na mão de empreiteiro do outro lado, que ninguém sabe o nome, não tem dono e tem que pagar para usar”, complementou.

 

 

NOVIDADE NA BASE
Júnior Chávare (foto), de 53 anos, é o novo diretor da base atleticana. Ele chega para ocupar o lugar que era do ex-atacante Marques, hoje gerente de futebol do profissional. Com passagens por Grêmio e São Paulo, Chávare tem formação em matemática, com especialização em gestão de tecnologia da informação. Ele foi indicado pelo atual diretor de futebol alvinegro, Rui Costa, com quem trabalhou no tricolor gaúcho. Seu último trabalho foi numa empresa responsável pela coordenação de futebol do Tubarão-SC, que disputa a Série D do Brasileiro.


Publicidade