Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Pouca renovação e algumas contradições

Tite mantém 14 jogadores que participaram da campanha da Seleção Brasileira na Rússia e, apesar de negar, demonstra preocupação em vencer a Copa América para aliviar a pressão


postado em 18/05/2019 04:11

O técnico Tite, entre Cléber Xavier e Edu Gaspar, durante a coletiva na sede da CBF, no Rio(foto: Lucas Figueiredo/CBF)
O técnico Tite, entre Cléber Xavier e Edu Gaspar, durante a coletiva na sede da CBF, no Rio (foto: Lucas Figueiredo/CBF)


Sem Dedé, Geromel, Fabinho, Vinícius Júnior e Lucas Moura, o técnico Tite anunciou ontem, na sede da CBF, no Rio de Janeiro, a lista de 23 jogadores da Seleção Brasileira para a disputa da Copa América, que será realizada no Brasil de 14 de junho a 7 de julho. Segundo o treinador, a convocação mais difícil que já fez. O atacante David Neres, do Ajax, foi confirmado para a competição, assim como o volante Fernandinho, do Manchester City, de volta após ser muito criticado depois da derrota para a Bélgica na Copa do Mundo de 2018, e o lateral-direito Daniel Alves, do Paris Saint-Germain.

“Foi a lista mais difícil até hoje que tive para fechar. Eu não dormi. Nem minha esposa conseguiu me ajudar. São muitos jogadores jovens despontando como boas opções”, destacou Tite.

Apesar de a lista não mostrar tanta renovação, pensando no grupo que disputará a Copa no Catar em 2022, para o treinador, mais importante do que vencer será apresentar um futebol vistoso. “Não vou fugir da responsabilidade. Tem que ser agradável, ter alegria, jogar bonito. Tem que ter solidez”, afirmou Tite, para depois procurar afastar o peso da pressão em vencer a Copa América. “Eu me senti pressionado quando assumi o Guarany de Garibaldi no meu primeiro jogo. E vai continuar assim.”

Uma das surpresas da lista anunciada por Tite para a Copa América, Fernandinho  – que não tinha sido mais convocado desde o Mundial por pedido dele próprio – foi elogiado pelo treinador. “Ele é um cara muito transparente. Sabe da expectativa, da sua responsabilidade, do seu futebol, da condição técnica que ele tem”.

Além de Fernandinho, Tite chamou Allan e Casemiro para o setor, deixando de fora nomes como Fabinho, em grande fase no Liverpool, e Renato Augusto, do Beijing Guoan, que eram aventados.

O técnico da Seleção também preferiu convocar o zagueiro Thiago Silva, do PSG, que foi submetido a uma artroscopia no joelho direito há 12 dias, a chamar Dedé, do Cruzeiro, ou Pedro Geromel, do Grêmio, jogadores que estão em ótima fase nos seus clubes.

Neymar Em relação a Neymar, Tite foi bem evasivo nas respostas. Alegando “respeito e educação”, o treinador não quis comentar a agressão do jogador a um torcedor após a final da Copa da França. “Neymar errou, Neymar errou. Por educação, eu enquanto técnico da Seleção, vou ter uma conversa com ele. Assim como conversei com Douglas Costa e assim como vou conversar com Paquetá, por uma questão de conjunto”, disse Tite. Questionado quatro vezes na coletiva sobre o atacante, Tite evitou dar respostas diretas: “Eu não vou ficar aqui aventando possibilidades. Eu não quero falar, eu não vou falar, porque eu quero falar com o Neymar antes”, insistiu Tite. “Eu vou responder no momento oportuno.”

Indagado se os critérios de convocação de Neymar foram diferentes aos aplicados a Douglas Costa no ano passado – ele ficou de fora de uma lista após ter desferido uma cusparada num jogador adversário –, Tite demonstrou certo desconforto. “Quando foi colocado Douglas Costa, eu falei que isso não se fala por telefone. Tem que ter cuidado”, comentou. O treinador disse ainda que, à época, o jogador também vinha de lesão.

A Seleção Brasileira começa a se reunir na próxima quarta-feira, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), mas alguns jogadores se apresentarão depois por conta do calendário de seus respectivos times no Brasil e na Europa. Os atletas que estão na final da Liga dos Campeões, casos do goleiro Alisson e do atacante Roberto Firmino, do Liverpool , por exemplo, jogam a decisão contra o Tottenham, em Madri, em 1º de junho.

O Paris Saint-Germain é o clube que mais teve jogadores convocados. Além de Daniel Alves, são os casos de Neymar – recuperado de uma lesão no pé direito, mas bombardeado por críticas pela agressão a um torcedor após a perda do título da Copa da França –, Marquinhos e Thiago Silva.

O lateral-direito do PSG retorna à Seleção depois de mais de um ano longe – a última convocação foi em março de 2018. Não foi à Copa do Mundo por causa de uma grave lesão no joelho direito e voltou a ser chamado para os amistosos de março deste ano. Só que uma nova contusão o deixou de fora dos jogos contra Panamá e República Tcheca.

No ataque, David Neres, chamado pela primeira vez para as partidas amistosas há dois meses, ganhou a disputa contra Vinicius Júnior, que não teve tempo de mostrar no Real Madrid que está recuperado de uma lesão no tornozelo direito, e Lucas Moura, herói do Tottenham na semifinal da Liga dos Campeões com três gols contra o Ajax.

Apenas três jogadores que atuam no Brasil foram chamados: o goleiro Cássio e o lateral-direito Fagner, do Corinthians, e o atacante Everton, do Grêmio. De acordo com a comissão técnica da Seleção, os três deverão ser liberados para compromissos de seus clubes pela rodada de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.


Os 23 de tite

Goleiros

Alisson (Liverpool), Ederson (Manchester City) e Cássio (Corinthians)

Laterais
Daniel Alves (Paris Saint-Germain), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Alex Sandro (Juventus) e Fagner (Corinthians)

Zagueiros
Marquinhos (Paris Saint-Germain), Thiago Silva (Paris Saint-Germain), Miranda (Inter de Milão) e Éder Militão (Porto)

Meio-campistas
Alan (Napoli), Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City), Philippe Coutinho (Barcelona), Arthur (Barcelona) e Lucas Paquetá (Milan)

Atacantes
Neymar (Paris Saint-Germain), Roberto Firmino (Liverpool), Richarlison (Everton), Gabriel Jesus (Manchester City), Everton (Grêmio) e David Neres (Ajax)


E mais...

AMISTOSOS

A CBF já confirmou de forma oficial os dois amistosos preparatórios com a presença do VAR (árbitro de vídeo). No primeiro deles, em 5 de junho, às 21h30, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, o Brasil enfrentará pela primeira vez na história o Catar. Os adversários, convidados desta edição da competição sul-americana, são os atuais campeões da Copa da Ásia e serão o país-sede da próxima Copa do Mundo, em 2022. Quatro dias depois do primeiro amistoso, no dia 9, o estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, receberá pela 12ª vez um jogo da Seleção Brasileira. A partida será contra Honduras, às 16h. No último confronto contra os hondurenhos, em 2015, no mesmo local, teve vitória do Brasil por 1 a 0, com gol de Roberto Firmino. Cabeça de chave do Grupo A da Copa América, a Seleção Brasileira enfrentará Bolívia (14 de junho), no estádio do Morumbi, em São Paulo; Venezuela (18 de junho), na Arena Fonte Nova, em Salvador; e o Peru (22 de junho), na Arena Corinthians, também na capital paulista.


Publicidade