Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Inoperância castigada

Cruzeiro chuta só uma vez a gol, paga um alto preço por atacar pouco e deixa vitória escapar no Maracanã no último minuto. Mano Menezes admite insatisfação com fase ruim do time


postado em 16/05/2019 05:07

Faltou, sobretudo, poder de criação ao time celeste no Rio de Janeiro(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Faltou, sobretudo, poder de criação ao time celeste no Rio de Janeiro (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)


Em uma partida em que mais uma vez não jogou bem, o Cruzeiro saiu na frente, mas sofreu gol já nos acréscimos e estreou na Copa do Brasil com empate por 1 a 1 com o Fluminense, no Maracanã. Se para alguns o resultado é bom, pois vitória simples em casa, no jogo de volta, garante a Raposa nas quartas de final, para outros foi um castigo, pois a equipe celeste cedeu a igualdade quando estava com o triunfo praticamente assegurado.

A decisão da vaga será em 5 de junho, às 19h15, no Mineirão, e novo empate por qualquer placar levará à disputa de pênaltis. Antes, porém, os cruzeirenses voltam as atenções para o Campeonato Brasileiro, no qual ainda não embalou – são 6 pontos em quatro jogos – e pelo qual enfrentará o próprio Tricolor Gaúcho no sábado, às 18h, novamente no Rio de Janeiro.

“O resultado é bom. Óbvio que a vitória seria melhor. Mas, pela produção das equipes, não seria justo. Tivemos poucas oportunidades, uma ou duas bolas durante os 90 minutos. Mesmo para mim, que sou acusado de priorizar a defesa, é pouco. Tivemos dificuldades de saída de bola, de aproveitar os espaços. Em termos de resultado foi bom, em termos de atuação, temos de apresentar mais”, reconheceu o técnico Mano Menezes, que, curiosamente, não viu o gol de empate do time carioca, pois desceu para o vestiário dois minutos antes.

O comandante celeste sabe que seu time está devendo: “Agora é levar para o nosso estádio em uma situação mais favorável. Caímos de rendimento e precisamos recuperar para estar em outras circunstâncias. Temos de dar resposta melhor para lutar pela vaga nas quartas de final”.

Ele tem razão. Ontem, o Cruzeiro conseguiu apenas uma finalização, a do gol, durante toda a partida. Já o Fluminense finalizou 20 vezes e teve 68% de posse de bola.

No primeiro chute do Cruzeiro a gol no jogo, só aos 12min da etapa final, Pedro Rocha abriu o marcador. Ele recebeu bola na medida de Robinho e bateu forte, vencendo o goleiro Rodolfo.

A vantagem deu tranquilidade para a Raposa esperar o adversário e contra-atacar, como tentou desde o começo. Ao tricolor restou tentar pressionar, mas com pouca objetividade. Uma das poucas chances foi aos 35min, quando Marcos Paulo, que havia acabado de entrar, acertou o travessão de Fábio.

O gol de empate saiu praticamente no último lance do jogo, aos 48min. Depois de escanteio, a bola pegou nas costas de Matheus Ferraz e sobrou para João Pedro finalizar de dentro da área, para desespero dos cruzeirenses.

“Se for olhar pela competição, foi um bom resultado. Mas, pelo jeito e o tempo em que tomamos o gol, considero uma derrota”, decretou o armador celeste Robinho.

MUDANÇAS Para o jogo de sábado, Mano Menezes adiantou que o armador Marquinhos Gabriel, recuperado de lesão muscular na coxa direita, retorna ao time. Só não está claro quem sairá.

Na lateral direita, Orejuela deverá ser mantido como titular, a não ser que reclame algum problema, pois também está voltando de contusão. Nesse caso, entra o volante Lucas Romero, pois Edílson está suspenso.

Ontem, o zagueiro Murilo foi convocado para a Seleção Brasileira Olímpica, que disputará o Torneio de Toulon, na França. Assim, ele está fora do jogo de volta contra o Flu, pela Copa do Brasil.


FICHA TÉCNICA

Fluminense 1 x 1 Cruzeiro

Fluminense: Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel (Ewandro 23 do 2º), Leo Artur (Marcos Paulo 30 do 2º) e Paulo Henrique Ganso; Luciano (João Pedro 37 do 2º) e Yony González
Técnico: Fernando Diniz
Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho (Jádson 22 do 2º) e Pedro Rocha (David 32 do º); Fred (Sassá 36 do 2º)
Técnico: Mano Menezes
Jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil
Estádio: Maracanã
Gols: Pedro rocha 12 e João Pedro 48 do 2º
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Émerson Augusto de Carvalho e Neuza Inês Back (SP)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Cartão amarelo: Paulo Henrique Ganso, Rodriguinho, Nino e Lucas Romero
Pagantes: 15.912 (16.806 presentes)
Renda: R$ 398.635


Busca de título no Sub-20


O time Sub-20 do Cruzeiro tenta repetir hoje, às 21h30, no Independência, a façanha da equipe principal, atual campeã da Copa do Brasil. A Raposa precisa da vitória sobre o Palmeiras – que venceu a primeira partida por 2 a 1, em São Paulo – para ficar com a taça. Em 2017, o clube foi campeão brasileiro ao bater o Coritiba na final, nos pênaltis. Para acompanhar a decisão, os torcedores devem trocar 1kg de alimento não perecível pelo ingresso, das 10h às 17h no Barro Preto e a partir das 14h no próprio estádio do Horto. “Contamos com o apoio de todos, sabemos da importância da torcida. Há dois anos, conquistamos o Brasileiro e a Supercopa jogando as finais no Independência, com a ajuda do nosso torcedor. Neste ano não vai ser diferente. Vamos correr e lutar com a torcida e, quem sabe, comemorar ao fim do jogo”, afirmou o armador celeste Marco Antônio (foto).


Publicidade