Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tudo igual no Horto

Em jogo em que cada equipe dominou um tempo, Atlético e Santos empatam por 0 a 0 e deixam em aberto a disputa pela vaga nas quartas. Quem vencer em 6 de junho, leva


postado em 16/05/2019 05:07

O Peixe foi superior no primeiro tempo e o Galo teve as melhores chances no segundo. Placar sem gols chegou a ser decepcionante(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O Peixe foi superior no primeiro tempo e o Galo teve as melhores chances no segundo. Placar sem gols chegou a ser decepcionante (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

 


A expectativa era por boas jogadas e gols no Independência, mas Atlético e Santos se anularam, decepcionaram o público e não saíram do empate sem gols, ontem à noite, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Mais uma vez, faltaram pontaria e até ousadia ao ataque do Galo, que não balançou a rede pelo segundo jogo consecutivo como mandante – no domingo, o time foi derrotado pelo Palmeiras por 2 a 0, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

O prejuízo do empate em casa não foi tão grande tendo em vista que o Peixe tem exibido o melhor futebol do país, com grandes atuações no Nacional. Além disso, o alvinegro de BH teve o azar de perder três jogadores por lesão na partida (Fábio Santos, Geuvânio e Luan), o que impediu o técnico Rodrigo Santana de fazer substituições por questão tática. Como não há o critério do gol marcado fora de casa, o Atlético se classifica às quartas de final com vitória por qualquer placar na volta, em 6 de junho, inicialmente no Pacaembu – a diretoria santista estuda a mudança para a Vila Belmiro. Outro empate leva a decisão da vaga para os pênaltis.

Antes do compromisso pela Copa do Brasil, o Galo volta a campo pelo Brasileiro – o próximo desafio será contra o Flamengo, sábado, às 19h, novamente no Horto – e pela segunda fase da Sul-Americana, nos duelos com o Unión La Calera. A delegação atleticana embarca domingo para o Chile, pois na terça-feira fará o jogo de ida do torneio continental, na casa do adversário.

O Galo teve momentos em que poderia ter garantido o triunfo, principalmente no segundo tempo, mas não aproveitou as chances. A realidade é que a equipe – carente de peças no setor ofensivo – não teve qualidade para finalizar. “Faltou mais posse de bola para fazermos o primeiro gol e levar a vantagem para São Paulo”, afirmou o lateral Patric, que ocupou o lugar de Fábio Santos logo nos minutos iniciais do confronto, depois que o lateral-esquerdo pediu para sair por causa de contusão muscular na coxa esquerda. O camisa 6 já está vetado para o jogo contra o Flamengo.

O capitão Réver admitiu que o Santos foi superior, porém, acredita que o Atlético tem condições de voltar da capital paulista com a vaga: “Foi um jogo muito equilibrado, com domínio maior do Santos, mas não teve aquela emoção. As equipes criaram oportunidades. Demoramos para entender a partida e sofremos. Os jogos vão ser deste tamanho e precisamos de dinâmica para sair com a vitória. Está tudo em aberto. Temos condições de vencer em São Paulo e nos classificar”.

Chuva
O Galo tem a árdua missão de resgatar o prestígio com o torcedor. Mas não está fácil. Se a procura por ingressos nos dias anteriores à partida contra o Santos já não havia sido grande, a chuva desanimou ainda mais quem planejava ir ao estádio. Depois de críticas pesadas à postura de vários jogadores na derrota para o Palmeiras, aqueles que foram ao Independência tiveram mais paciência com a equipe atleticana. Alguns mais exaltados continuaram cobrando do time, com pedidos para a entrada do equatoriano Cazares, que começou no banco de reservas.

O Atlético já esperava o Peixe atuando em seu campo de ataque e dominando a posse de bola, com transições em velocidade. Mas a saída de Fábio Santos demorou a ser assimilada pelo time, apesar de Patric ter mostrado boa disposição. Em meio ao baque de perder o experiente lateral, o alvinegro de BH custou a entender a estratégia e a postura do adversário, que tomou a iniciativa de atacar pelos lados em direção ao meio. Na etapa inicial, o Galo só assustou em chutes de fora da área, com Luan, Patric e Chará, todos sem direção.

No segundo tempo, Rodrigo Santana ouviu os apelos dos torcedores e trocou Geuvânio por Cazares. Sem atuar desde o mês passado, o equatoriano levantou a torcida em dois chutes de longa distância, bem defendidos por Everson. O Galo foi ligeiramente melhor, principalmente depois que o Peixe trocou seus atletas de frente. Mas faltou uma chance precisa.

O volante Elias pediu pênalti em lance em que a bola bateu no braço de Felipe Aguilar, contudo, o árbitro Rodrigo D’Alonso Ferreira não marcou infração. A partir daí, o jogo caiu de ritmo, e o placar não saiu do zero, frustrando os pouco mais de 11 mil presentes no Horto.

FICHA TÉCNICA
Atlético 0 x 0 Santos

Atlético: Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos (Patric 3 do 1º); Zé Welison, Elias, Geuvânio (Cazares 13 do 2º), Luan (Nathan 24 do 2º) e Chará; Ricardo Oliveira
Técnico: Rodrigo Santana
Santos: Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas, Jean Mota (Eduardo Sasha 26 do 2º) e Jorge; Rodrygo (Cueva 32 do 2º) e Derlis González (Soteldo 17 do 2º)
Técnico: Jorge Sampaoli
Jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil
Estádio: Independência
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva e Kléber Lúcio Gil (SC)
VAR: Héber Roberto Lopes (SC)
Cartão amarelo: Zé Welison e Elias
Público: 11.176
Renda: R$ 178.476


ATLETICANAS...
ROUPA NOVA

O Atlético e a Le Coq Sportif lançam hoje, no espaço de eventos Sua Sala, no Ponteio Lar Shopping, às 20h, o novo uniforme da equipe. O desfile será transmitido ao vivo pela TV Galo, canal do clube no YouTube. A estreia da camisa será no sábado, contra o Flamengo. Ela vai custar R$ 260 e deve estar nas lojas do Galo já amanhã. O clube assinou contrato de dois anos com a empresa francesa de material esportivo, que substitui a Topper.

GUGA NA SELEÇÃO

Tanto na partida da volta contra o Santos, tanto no segundo confronto com o La Calera, pela Sul-Americana, o Atlético não terá o lateral-direito Guga. Ele deve ficar fora do time, ainda, de três rodadas do Brasileiro – contra CSA (em casa), Santos (fora) e São Paulo (em casa). Guga é um dos 22 convocados pelo técnico André Jardine para disputar o Torneio de Toulon pela Seleção Brasileira Olímpica. Chamado pela primeira vez para vestir a camisa verde-amarela, o jogador embarca para a Europa no dia 27. A diretoria alvinegra não definiu se
pedirá a dispensa de Guga.

Luan no DM
O atacante Luan sofreu torção no tornozelo direito ontem e o Departamento Médico do Atlético informou que avaliará melhor a situação do jogador ao longo desta semana. Luan deixou o campo, após a partida, sem a chuteira do pé direito e conversando com o médico Felipe Kalil. “Torci sozinho, deu um estalo, mas creio que está tudo bem. É só um traumazinho. É recuperar porque vai ter uma sequência muito pesada agora”, disse o atacante, que foi substituído aos 24min do segundo tempo para a entrada de Nathan.

CBF muda data

A CBF alterou, ontem, a data do confronto entre Grêmio e Atlético, pela sexta rodada do Brasileiro. Inicialmente marcada para o dia 26 (domingo), às 16h, a partida foi antecipada em um dia: será no sábado (25), às 19h, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Segundo a entidade, a mudança foi feita para“respeitar o intervalo regulamentar entre partidas do Galo em competições distintas”, que é de 72 horas. No dia 28 , às 21h30, o alvinegro fará, em BH, o duelo de volta da segunda fase da Sul-Americana, contra o Unión la Calera, do Chile.


Publicidade