Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Carrasco argentino na Copa Libertadores


postado em 14/05/2019 05:08


No caminho do Cruzeiro rumo ao cobiçado terceiro título da Copa Libertadores estará um velho rival. Sorteio realizado na noite de ontem, na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, colocou a Raposa frente a frente com o argentino River Plate, nas oitavas de final do torneio continental. As datas serão confirmadas hoje pela entidade que comanda o futebol sul-americano, mas os jogos de ida estão marcados para 23 e 25 de julho, enquanto os de volta serão em 30 de julho e 1º de agosto. O primeiro confronto será no Monumental de Núñez e a vaga será decidida no Mineirão.

Os argentinos são adversários indigestos para a equipe celeste. A última vez que os cruzeirenses levaram a melhor sobre um hermano em mata-mata de Libertadores foi na final de 1976, ano da primeira conquista: curiosamente, do outro lado estava o mesmo River. Depois, caiu para o Boca Juniors em 1977 (final), 2008 (oitavas) e 2018 (quartas); para o Estudiantes em 2009 (final); para o San Lorenzo em 2014 (quartas) e de novo para o River em 2015 (quartas). É a 11ª vez que o Cruzeiro busca o tricampeonato da Libertadores. O segundo troféu foi garantido em 1997, quando bateu o Sporting Cristal, do Peru, na decisão.

Wagner Pires de Sá, presidente do clube, esteve no Paraguai, acompanhando o sorteio. Ele pregou respeito ao River, mas garantiu não temer o time argentino. “Não temos temor. É um clube que chega sempre à final, como o Cruzeiro. Quem quer ser campeão tem que ganhar, seja qual for o adversário. Em 1976, eu estava no Rio de Janeiro, mas já torcia para o Cruzeiro. Agora, como dirigente, espero fazer uma situação diferente”, disse, em entrevista ao SporTV.

ATÉ A FINAL O chaveamento até uma decisão também ficou definido ontem à noite. Caso avance, a Raposa poderá enfrentar San Lorenzo ou Cerro Porteño nas quartas de final. Se seguir, LDU, Olimpia, Athletico e Boca Juniors são adversários possíveis na semifinal. Se for à final, os rivais podem ser Godoy Cruz-ARG, Palmeiras, Emelec-EQU, Flamengo, Nacional-URU, Internacional, Grêmio ou Libertad-PAR.

Como o Palmeiras, dono da melhor campanha na fase inicial da Libertadores, ficou em chave diferente no sorteio, a equipe celeste terá a vantagem de decidir todos os duelos em casa até a semifinal. A decisão será em jogo único, marcado para 23 de novembro, no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile.


Publicidade