Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Façanha brasileira

Quarteto masculino bate a forte equipe dos Estados Unidos na final dos 4x100m do Mundial de Revezamentos, em Yokohama, e conquista inédito ouro. Ainda crava o melhor tempo do ano


postado em 13/05/2019 05:04

Jorge Vides, Paulo André Oliveira, Rodrigo Nascimento e Derick Silva comemoraram no mesmo palco onde a Seleção de futebol garantiu o pentacampeonato em 2002(foto: KAZUHIRO NOGI/AFP)
Jorge Vides, Paulo André Oliveira, Rodrigo Nascimento e Derick Silva comemoraram no mesmo palco onde a Seleção de futebol garantiu o pentacampeonato em 2002 (foto: KAZUHIRO NOGI/AFP)

O Brasil derrotou o forte time norte-americano e levou a medalha de ouro nos 4x100m no Mundial de Revezamentos, disputado em Yokohama, no Japão. Os brasileiros Rodrigo Nascimento, Derick Silva, Jorge Vides e Paulo André Oliveira cravaram 38s05, dois centésimos à frente do quarteto dos Estados Unidos, que têm como atleta principal Justin Gatlin, atual campeão mundial dos 100m rasos. Os britânicos anotaram 38s15 e completaram o pódio. O título foi conquistado em um palco já festejado por brasileiros – o estádio de Yokohama, onde a Seleção de futebol, liderada por Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo, foi pentacampeã da Copa do Mundo em 2002.

Além de garantir o ouro histórico, pois é o primeiro do país em uma competição de nível mundial – o Brasil foi prata na Olimpíada de Sydney’2000 e bronze em Atlanta’1996 e Pequim’2008, além de subir ao pódio em alguns Campeonatos Mundiais –, o quarteto brasileiro alcançou a melhor marca mundial nesta temporada.

“É muita alegria. Vocês não têm noção do que a gente passa para estar aqui. A gente merecia muito, muito mesmo. Somos campeões mundiais”, ressaltou Paulo André, atleta mais rápido do Brasil na atualidade e que foi responsável por fechar o revezamento, em entrevista ao canal SporTV. “Vem outro Mundial por aí. Viemos aqui buscar a vaga e conseguimos sair com o título”, completou, referindo-se ao Mundial de Doha, que será entre setembro e outubro.

OUTROS RESULTADOS Na disputa feminina do revezamento 4x100m, os Estados Unidos triunfaram. As norte-americanas ficaram com o ouro ao anotar o tempo de 43s27, apenas dois centésimos à frente da Jamaica. A Alemanha completou o pódio.

As brasileiras Ana Carolina Azevedo, Lorraine Martins, Franciela Krasucki e Vitória Rosa fizeram 43s75 e terminaram na quarta colocação. Ficaram perto do bronze quando Vitória Rosa pegou o bastão de Franciela em quinto lugar e quase conseguiu ultrapassar a alemã na reta final. “A gente fica triste porque o quarto lugar dói, fica perto da medalha. Estamos com uma equipe nova. É a primeira vez que a gente está correndo com esta formação e ainda temos muito a evoluir”, comentou Franciela Krasucki.

Na prova mista do 4x400m, que vai estrear nos Jogos Olímpicos em Tóquio’2020, o Brasil, com equipe formada por Lucas Carvalho, Tiffani Marinho, Cristiane Silva e Alexander Russo, fez o tempo de 3min20s71 e ficou em sexto lugar. Os EUA foram campeões da prova, que teve o Canadá no segundo posto e os quenianos em terceiro.

“Nossa expectativa de tempo era outra, mas a gente só tem a agradecer. Não dá para reclamar de nada”, disse Tiffani. “Conseguimos a classificação para o Mundial, o principal objetivo da equipe. Para Doha, vamos treinar mais ainda, entrosar mais ainda o revezamento, estar preparado para entrar e brigar por medalha”, complementou Alexander.

Na classificação geral, o Brasil terminou em sexto lugar, com 16 pontos, à frente de equipes tradicionais como China, Itália, França e Grã-Bretanha. Os EUA foram campeões gerais mais uma vez, com 54 pontos, seguidos da Jamaica e do Japão, ambos com 27.


Publicidade