Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mais organização, menos cartões

Desde que Rodrigo Santana assumiu o comando e mudou o sistema de jogo do time, jogadores têm sido menos advertidos pela arbitragem


postado em 10/05/2019 05:07

O equatoriano Cazares, que pode reaparecer no time domingo, não recebeu nenhum cartão na temporada e é o jogador mais disciplinado do Atlético até aqui(foto: Bruno Cantini/Atlético)
O equatoriano Cazares, que pode reaparecer no time domingo, não recebeu nenhum cartão na temporada e é o jogador mais disciplinado do Atlético até aqui (foto: Bruno Cantini/Atlético)


Ter conquistado a liderança isolada do Campeonato Brasileiro na rodada anterior não é o único motivo de comemoração do Atlético nos últimos dias. Vindo de quatro vitórias consecutivas, sendo a última na despedida da Libertadores, a equipe festeja o fato de ser a mais disciplinada da competição nacional, com apenas um cartão amarelo recebido em três partidas. E esse aspecto não é por acaso. Desde que Rodrigo Santana assumiu o comando de forma interina, o time alvinegro adotou sistema de marcação diferente, com linhas mais organizadas e mais compactação entre os setores.

Santana passou a dirigir o time alvinegro na primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro, diante do Cruzeiro, e, desde então, a equipe vem se mostrando mais equilibrada. Ele mudou o esquema tático de 4-2-3-1 para o 4-1-4-1 (o mesmo que Tite usa na Seleção Brasileira), ajustando os setores no campo. Sob seu comando, o Galo recebeu 14 cartões amarelos e um vermelho em sete partidas – desses 14, oito foram nos dois jogos da final do Mineiro, contra o Cruzeiro, que, naturalmente, é um jogo mais nervoso. Com o antecessor, Levir Culpi, a equipe se mostrava mais indisciplinada: foram 47 amarelos e três vermelhos em 22 partidas.

O atacante Ricardo Oliveira afirmou que o Galo tende a crescer no sistema de marcação a cada partida, o que permite menos advertências:“Tem os méritos do nosso treinador, que apresenta a ideia de jogo que tem para o time e nós seguimos as orientações. O baixo número de cartões se deve também ao fato de você encontrar um time que está junto e não está muito exposto em um contra-ataque. Às vezes, um jogador precisa matar uma jogada e leva o cartão amarelo. Mas um time quando está compacto, você tira os espaços sem ser sacrificado por isso e acaba por melhorar o sistema de marcação. É importante ressaltar que todos têm de participar da marcação, na fase defensiva e ofensiva, e isso leva aos resultados positivos”.

Neste ano, nenhum dos zagueiros titulares (Réver e Igor Rabello), ou mesmo o veterano Leonardo Silva, foi expulso. O único a receber dois vermelhos na temporada foi o volante Adílson, ambos no Estadual. O zagueiro Maidana (contra o Cruzeiro, na fase inicial do Estadual) e o volante Zé Welison (contra o Defensor, pela Libertadores) também saíram de campo mais cedo.

Para Ricardo Oliveira, os esforços de todo o conjunto permite que surjam destaques individuais na equipe: “Coletivamente, tudo está dando resultado. Acima de qualquer nome, o conjunto é forte. O que faz com que cada um se destaque são os resultados positivos. Quando o coletivo é forte, as individualidades aparecem. E isso nos deixa felizes e tranquilos, porque os resultados estão aparecendo”.

EQUATORIANO
Manter o equilíbrio, que tem sido a marca neste Brasileiro, é a missão dos atletas no difícil compromisso com o Palmeiras, domingo, às 16h, no Mineirão, pela quarta rodada. Pela primeira vez, Rodrigo Santana terá toda a equipe à disposição. O armador equatoriano Cazares acelerou o processo de recuperação de lesão na coxa esquerda e foi para o campo ontem à tarde, na Cidade do Galo. Hoje e amanhã, ele será testado na equipe para saber se poderá suportar os 90 minutos. Seu último jogo foi diante do Cruzeiro, em 14 de abril.

Cansados pela viagem de volta da Venezuela, aqueles que atuaram a maior parte do tempo contra o Zamora fizeram atividades mais leves na academia. O volante Elias, que não jogou neste meio de semana, fez atividades específicas na preparação física, mas deve estar em campo contra o Palmeiras.


OS CARTÕES


Por torneio

Competição    Jogos    Amarelos    Vermelhos
Mineiro            16          48               3
Libertadores     10          26               1
Brasileiro          3            1                0

Por treinador

Com Levir Culpi
22 jogos
49 amarelos
3 vermelhos

Rodrigo Santana
7 jogos
14 amarelos
1 vermelho

Os mais indisciplinados

Jair (7 amarelos)
Leonardo Silva (5 amarelos)
Adílson (4 amarelos e dois vermelhos)

Os mais disciplinados
Cazares (nenhum cartão)
Guga e Nathan (1 amarelo)


Publicidade