Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Neymar é Neymar. Não é Cristiano Ronaldo, nem Messi. E ponto!

Cada um com sua característica, sua personalidade, seus princípios e conceitos. Mais carinho com nosso craque, e mais respeito ao ser humano


postado em 01/05/2019 05:04



Já fiz críticas construtivas a Neymar. Algumas, duras! Jamais entrei em sua vida pessoal, como nunca entrei na vida pessoal de qualquer jogador. Não me compete, assim como não compete a eles me julgarem como pessoa. Eles podem me analisar como jornalista, e nada mais. Assim como posso analisá-los como jogadores, e ponto. Tenho uma carreira de 35 anos no jornalismo, dos quais 32 cobrindo a Seleção Brasileira. Convivi e convivo com os grandes gênios da bola, desde Zico, Falcão e Júnior, passando por Romário, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, entre outros. Me dou muito bem com todos. Sou amigo de alguns e respeito todos eles. Sei que sou querido por muitos. Intriga-me o fato de as pessoas criticarem Neymar ao extremo. Querem que ele seja um Messi, um Cristiano Ronaldo. Mas ele não é. Ele é Neymar, um cara família, menino de coração bom, incompreendido por muitos e que, como todos nós que um dia tivemos 27 anos, também erra. Erra em atos, atitudes, conceitos. Mas acerta também.

O último episódio – agrediu um torcedor ao ser xingado quando subia as escadas para receber sua medalha de vice-campeão, depois de perder o título da Copa da França para o Rennes – repercutiu mundialmente. Tudo o que Neymar faz repercute com a velocidade de um cometa. Não quero aqui julgar se ele está certo ou errado, pois ele mesmo já pediu desculpas publicamente. Mas não acho que ele deveria ter dado um soco ou um empurrão no cara. Só que o momento de cada pessoa é só dela. Se eu pudesse aconselhar Neymar, diria a ele para não se importar com provocações. Neymar é um vencedor, um astro do futebol que, na minha visão, pode dar mais do que está dando. Porém, sendo sempre ele mesmo, jamais Messi ou Cristiano Ronaldo. Ele é, simplesmente, Neymar.

É nosso único ídolo no momento. Um craque de talento raro. Então, por que os brasileiros torcem tanto contra ele? Será que é ele quem provoca tal reação? Será que não estamos exigindo mais do que ele pode dar? Será que estamos querendo que ele não seja o Neymar e sim o Messi ou o Cristiano Ronaldo? São perguntas que devemos fazer a nós mesmos, pois temos que ter mais carinho com o nosso ídolo, cuidar dele melhor. Imaginemos, cada um de nós, famosos, com milhões de dólares no banco, avião, helicóptero e o mundo aos nossos pés. O que faríamos? Não estou aqui defendendo Neymar, mas apenas fazendo constatações reais. Ele gosta de jogar bola, tem prazer. Exagera em determinados comportamentos em campo. Fora dele, não me interessa analisar. Talvez falte a ele um pouco mais de orientação em determinados momentos da carreira. Um ato impensado, uma atitude mais agressiva, embora ele estivesse com razão, pode acarretar comentários maldosos em cima do jovem. Garoto ele não é mais. Porém, com 27 anos, não é nenhum adulto resolvido e maduro o suficiente para gerir todas as questões. Nem a gente é. Erramos e levantamos todos os dias. Aprendemos com os erros. Por isso mesmo, não devemos julgar ninguém. Criticar e elogiar Neymar, por uma partida de futebol em que tenha jogado bem ou mal, sim. Fora isso, devemos nos limitar a respeitar a pessoa, o homem, o garoto, o jovem, o ser humano.

Precisamos de Neymar, pois não vislumbro uma Copa do Mundo sem ele. E digo mais: sozinho ele não vai ganhar. Nossa safra não é das melhores, mas vejo um horizonte aberto até 2022, com talentos como Pedro, Paulinho, Richarlison, Arthur, Militão, Vinícius Júnior, Rodrygo. Uma geração competente que, bem lapidada até a Copa do Catar, poderá fazer nosso craque brilhar ainda mais. Sem um gênio, um craque, não se ganha Copa do Mundo. Temos Neymar. Ele é nosso gênio, nosso craque, nosso talento. Que tal cuidarmos dele com mais carinho e menos arrogância? Que tal darmos mais amor e menos ódio? Se cada um de nós repensar um pouquinho mais, vai chegar à conclusão de que estamos exagerando nas críticas e nos comentários pessoais. Tenho a certeza de que uma mudança de comportamento da nossa parte fará com que Neymar repense sua carreira e também mude algumas atitudes. Peço uma trégua àqueles que não gostam do nosso maior ídolo. Não sou amigo dele, mas sempre o respeitei e fui bem tratado por ele. Fiz várias críticas, no campo de jogo, principalmente na Copa da Rússia. Porém, jamais de forma ofensiva ou pessoal. Tudo o que mais quero é ver Neymar levantar o caneco em 2022, transformando-se no maior jogador do mundo. O futebol só vale assim. Com amor, paixão e carinho. Se for diferente, não vale a pena. E que entendamos, de uma vez por todas, que Neymar é Neymar. Ele não é Messi, nem Cristiano Ronaldo. São pessoas diferentes. Cada um com sua característica, sua personalidade, seus princípios e conceitos. Mais carinho com nosso craque, e mais respeito ao ser humano.

APOSENTADORIA
Doutor Gilberto Corrêa, cardiologista, cuidou do coração de milhares de pacientes ao longo de 56 anos de carreira. Agora, resolveu se aposentar e curtir a mulher Jane, os filhos e netos. Uma carreira brilhante de um grande amigo que fiz ao longo da vida. Que Deus lhe abençoe meu querido Doutor Gilberto. Vá curtir sua linda família, pois ainda há muita vida pela frente. Parabéns pela bela e vitoriosa carreira.


Publicidade