Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Conquistando seu espaço

Mesmo sem preparo físico e ritmo de jogo ideais, Geuvânio tem se destacado nas últimas partidas do Atlético e recebeu elogios do técnico


postado em 29/04/2019 05:07

Geuvânio:
Geuvânio: "Agradeço pelo carinho que demonstram desde a minha chegada. Estou tentando demonstrar e retribuir o quanto eles estão me ajudando" (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 7/4/19)


Aposta do interino Rodrigo Santana para a final do Mineiro contra o Cruzeiro, Geuvânio voltou a jogar bem na estreia do Atlético no Brasileiro. Foi dele a jogada e a assistência para Ricardo Oliveira marcar o gol da vitória sobre o Avaí por 2 a 1, sábado à noite, no Independência, dando fim ao jejum de quatro jogos sem triunfo do Galo. Geuvânio e Luan foram dois dos poucos atletas poupados das críticas da torcida, que voltou a protestar com faixas e gritos de “queremos raça”.


Revelado nas categorias de base do Santos, o atacante chegou ao Atlético em março, vindo do futebol chinês, e vem conquistando seu espaço, embora ainda sinta a falta de ritmo de jogo. Sábado, ele demonstrou desgaste no fim do jogo e, segundo Rodrigo Santana, o camisa 49 foi para o vestiário e “não tinha forças nem de tirar a roupa para tomar o banho, de tão cansado que estava”.


“Estou feliz de estar correspondendo às expectativas. Passei por um momento em que não estava jogando muito, isso gera desconfiança. Tive minha cabeça focada no que queria e estou feliz. Isso é o mais importante”, disse Geuvânio que, em cinco jogos, marcou um gol, na goleada por 5 a 0 sobre o Boa, na semifinal do Mineiro.


Santana apostou em Geuvânio na partida de volta da decisão do estadual. O atacante desempenhou bem seu papel de ponta direita, mas o empate com a Raposa custou o título estadual. No meio de semana, ele voltou a ser destaque por desabafar em entrevista coletiva: “Quem não quiser, que saia”, disse, pedindo união do grupo para superar o momento difícil na temporada.
“Eu faço isso não é por marketing, é coisa minha. Está partindo de mim esse compromisso de correr, esforçar. Às vezes, sou muito sincero nas minhas entrevista. Nem gosto falar muito, porque às vezes falo umas verdades. Mas está partindo de mim. É um objetivo meu correr, me dedicar, dar meu máximo”, afirmou. “Se falo, não é para ganhar moral com a torcida. A gente sabe o quanto eles são importantes quando estão junto com a gente. Agradeço pelo carinho que demonstram desde a minha chegada. Estou tentando demonstrar e retribuir o quanto eles estão me ajudando”

ELOGIOS

Depois da vitória contra os catarinenses, Geuvânio foi elogiado. “É um cara muito agudo. E eu falei, ‘Geuvânio, você precisa explorar isso’. Porque são poucos jogadores que rompem a linha com a bola. Muitos acertam o passe ali por dentro da linha. A jogada do segundo gol foi dele. Ele rompeu no meio de dois jogadores com uma velocidade incrível”, afirmou o interino Rodrigo Santana. “É um jogador muito agudo que ainda sente a falta de ritmo, mas é um cara que vai crescer e ajudar muito o Galo. Ele tem a cara, tem o DNA do Galo. Tem vontade, chama a responsabilidade, não foge do jogo. Mesmo estando abaixo fisicamente”
Ainda sem nome do novo treinador definido, o Atlético treina hoje, às 10h, na Cidade do Galo. A delegação viaja amanhã à tarde para o Rio, onde enfrenta o Vasco quarta-feira, às 21h30, em São Januário. A expectativa é pela recuperação da zaga titular, Réver e Igor Rabello, que ficaram fora da estreia por lesão.


Publicidade