Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tropeço na estreia

América começa mal a caminhada para tentar retornar à elite. Em Ponta Grossa, é derrotado pelo Operário e terá de buscar a reação na terça-feira, quando recebe o Botafogo-SP em BH


postado em 27/04/2019 05:12

Coelho encontrou dificuldades no primeiro tempo e só equilibrou as ações no segundo, depois que saiu mais para o ataque. Mas não conseguiu balançar a rede(foto: Estêvão Germano / América)
Coelho encontrou dificuldades no primeiro tempo e só equilibrou as ações no segundo, depois que saiu mais para o ataque. Mas não conseguiu balançar a rede (foto: Estêvão Germano / América)

 
O América iniciou sua caminhada para tentar voltar à elite do futebol nacional com derrota fora de casa. Após percorrer 1.086 quilômetros, de Belo Horizonte até Ponta Grossa, no Paraná, o Coelho foi batido pelo Operário por 1 a 0, gol de Uilliam, aos 18min do segundo tempo. A equipe comandada por Givanildo Oliveira vai buscar a reação diante da torcida – na terça-feira, recebe o Botafogo-SP, no Independência.

O Coelho até conseguiu criar algumas oportunidades, principalmente no segundo tempo, e vendeu cara a derrota para o alvinegro paranaense. O destaque do time mineiro foi o armador Matheusinho, que protagonizou boas jogadas individuais, insuficientes, no entanto, para que os americanos voltassem para casa pelo menos com o empate.

Depois do jogo, Matheusinho disse que o América foi surpreendido pelo Operário. “A gente não conhecia o adversário”, afirmou o jogador, que listou as dificuldades encontradas pelo Coelho em Ponta Grossa: “Tentamos criar, mas o time deles é alto e a gente perdeu um pouco nisso também, na bola aérea. Assim que tomamos o gol. Então, é voltar para casa e corrigir os erros que a gente vem cometendo, para no próximo jogo ir com força total”.

Givanildo Oliveira, por sua vez, afirmou que o time paranaense atuou conforme o esperado. “Foi aquilo que a gente viu de dois jogos deles. Inclusive de um amistoso, a tônica foi essa aí que aconteceu na partida”, destacou o comandante do Coelho, que viu méritos no Operário: “Eles têm uma força grande, e isso dificultou, principalmente quando a gente dominava a bola. O Matheusinho ainda conseguiu sair. Mas, no primeiro tempo, eles tiveram mais posse”.

Para Givanildo, os melhores lances do América ocorreram quando o time saiu mais para o ataque: “No segundo tempo, resolvemos agredir mais, tomar mais atitude, e isso fez com que a gente jogasse melhor”.

DOIS TEMPOS O Coelho até teve maior posse de bola no início da partida, porém, pecou na troca de passes. Mas o time da casa melhorou e tomou o comando das ações. Tanto que a primeira finalização do América foi somente aos 29min, num chute rasteiro e fraco de Leandro Silva, que passou à esquerda do gol de Simão.

O jogo teve mais dinamismo na etapa final, com maior equilíbrio. Aos 18min, Allan Vieira levantou na área de pé canhoto. O lateral-esquerdo João Paulo não conseguiu cortar o cruzamento e Uilliam finalizou de pé direito. A bola ainda bateu no peito do goleiro Fernando Leal antes de balançar a rede.

Givanildo, então, mandou a equipe para o ataque, trocando o volante Juninho pelo atacante França. Mesmo com mais um homem de frente, o Coelho não conseguiu chegar ao empate.

* Estagiário sob supervisão da subeditora Kelen Cristina
 
 
FICHA TÉCNICA
Operário-PR 1 x 0 América
OPERÁRIO-PR: Simão; Leo (Sosa, intervalo), Alisson, Rodrigo e Allan Vieira; Chicão, Índio, Felipe Augusto (Dione 35 do 2º) e Xuxa (Jardel 25 do 2º); Uilliam e Bruno Batata
Técnico: Gerson Gusmão
AMÉRICA: Fernando Leal; Leandro Silva, Diego Jussani, Paulão e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho (França 28 do 2º) e Matheusinho; Jonatas Belusso, Felipe Azevedo (Ademir 34 do 2º) e Júnior Viçosa
Técnico: Givanildo Oliveira
1º rodada da Série B do Brasileiro
Estádio: Germano Krüger
Gol: Uilliam, 18 do 2º
Árbitro: William Machado Steffen (SC)
Assistentes: Eder Alexandre e Thiaggo Americano Labes (SC)
Cartão amarelo: Diego Jussani, João Paulo, França, Índio e Simão
Público: 5.581
Renda: R$58.7800
Próximos jogos: Botafogo-SP (c), Criciúma (f) e Sport (c)



Publicidade