Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Para levantar a taça de novo

Atlético conta com a experiência do zagueiro Réver, que volta ao time após se recuperar de pancada no tornozelo esquerdo. Bom rendimento do ataque é o grande trunfo do Cruzeiro


postado em 20/04/2019 05:06

Capitão nas conquistas do Estadual de 2012 e 2013 com o Galo, Réver tenta repetir o feito nesta tarde(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Capitão nas conquistas do Estadual de 2012 e 2013 com o Galo, Réver tenta repetir o feito nesta tarde (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Uma das novidades do time do Atlético na partida de hoje contra o Cruzeiro, às 16h30, no Independência, conhece bem a rivalidade que envolve o clássico e o sentimento de levantar a taça do Campeonato Mineiro. Aos 34 anos, o experiente zagueiro Réver voltou ao clube nesta temporada com o desejo de reviver os bons tempos em que foi capitão alvinegro e particiou das conquistas estaduais de 2012 e 2013, além da Copa Libertadores, também em 2013. Mesmo que a equipe dependa dos atacantes para ser campeã, as funções do defensor não serão menos importantes: anular o forte ataque celeste e explorar as bolas aéreas na área adversária.

Réver retorna ao time atleticano depois de ficar em tratamento de pancada no tornozelo esquerdo, sofrida nas semifinais contra o Boa. Ele voltou aos treinos com o grupo somente na quarta-feira e correu contra o tempo para recuperar o condicionamento físico e o ritmo de jogo, para estar 100% na decisão. Nesta temporada, o zagueiro esteve em campo em 13 partidas e balançou as redes duas vezes – uma no Mineiro e outra na Libertadores.

A volta de Réver é vista como bem oportuna pela comissão técnica, pois é garantia de maior equilíbrio emocional graças à experiência, sendo importante na orientação aos companheiros e na cadência da equipe, especialmente diante da obrigação de vitória.

O técnico Rodrigo Santana destacou que um dos trunfos do alvinegro é contar com atletas maduros, acostumados a duelos de grande repercussão: “Esse grupo tem um cognitivo muito alto. Com jogadores inteligentes e experientes, conseguimos compactar bem o time e armar boas estratégias. Quando se treina um grupo de qualidade, tudo fica mais fácil”.

O treinador ressalta a tarefa do Galo nesta tarde e os perigos que o time pode encontrar: “Dentro dos 90 minutos, a gente tem que estar muito consciente do que precisamos fazer, dos riscos que podemos correr. De forma nenhuma a gente pode sair atrás no placar. Precisamos desse equilíbrio, temos que propor o jogo, ter mais a posse da bola, mas sem nos expor. E no último terço, temos que ser mais agressivos”.

INCÓGNITA
A presença do equatoriano Cazares ainda é incerta. Em tratamento de dor na coxa esquerda, o armador apareceu no campo no último treino preparatório para o clássico, na manhã de ontem, mas dificilmente terá condições de atuar. A tendência é que Vinícius seja o titular – Geuvânio corre por fora. O volante Adilson, expulso no último jogo, dará lugar a Zé Welison.


Publicidade