Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Comando de respeito

Finalistas da Superliga Feminina, Minas e Praia contam com treinadores de prestígio no cenário nacional e internacional


postado em 20/04/2019 05:06

Stefano Lavarini, técnico minas-tenista(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Stefano Lavarini, técnico minas-tenista (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)



A decisão da Superliga Feminina de Vôlei, entre Minas e Praia – que terá o primeiro jogo da melhor de três amanhã, às 11h, no Mineirinho –, coloca frente a frente treinadores consagrados. Na equipe da capital mineira, o italiano Stefano Lavarini, que chegou ao clube há dois anos e o levou ao bicampeonato sul-americano, ao título da Copa do Brasil e ao vice-campeonato mundial, no ano passado. No time do Triângulo, Paulo Coco, que é auxiliar técnico de José Roberto Guimarães na Seleção Brasileira e participou do bicampeonato olímpico, em Pequim’2008 e Londres’2012.

Lavarini é hoje um técnico cobiçado. Comandará a Coreia do Sul no Pré-Olímpico Feminino de Vôlei, que começa em agosto, e, depois, segundo informações ainda extraoficiais, vai dirigir o italiano Busto Arsizio. Embora não confirme sua saída, ele já fala em tom de despedida: “Ganhar a Superliga seria fechar com chave de ouro a minha passagem por Minas Gerais e pelo Minas”.

O treinador do MTC afirma não se apegar a estatísticas do passado. “Falam muito sobre o Minas não conquistar este título há 17 anos. Mas eu não sei o que é isso. Não estava aqui. O brasileiro é que é assim, muito sentimental, apegado às coisas do passado. Por isso, não sinto qualquer pressão para a final. Mas acho bom este sentimento da torcida, das jogadoras. É positivo.”

O Mineirinho é um lugar especial para ele, tanto, que o italiano chama o local do primeiro confronto da série melhor de três da final de “templo”. “Este ginásio foi o primeiro lugar que conheci quando cheguei. Os diretores do Minas me trouxeram aqui para assistir ao amistoso entre as seleções femininas de Brasil e Polônia. É um espaço fantástico. É lindo, gostoso jogar aqui. É um lugar de grandes eventos”, afirma.

MOMENTO DIFERENTE Apesar de as equipes já terem se enfrentado várias vezes (o Minas venceu as decisões do Mineiro e do Sul-Americano em cima do Praia), Lavarini diz que os encontros pela final da Superliga serão diferentes: “Tanto nós evoluímos quanto eles. Ganhamos o Sul-Americano contra o Praia, mas o time cresceu de lá para cá. Encontrou equilíbrio. Vive ótimo momento. Serão jogos que exigirão muito da gente, em especial concentração e aplicação”.

Paulo Coco tem o mesmo pensamento: “São condições diferentes. É uma final. Vale o título. Muda até mesmo o ambiente. Em vez de ginásios menores, a decisão é em ginásios grandes, Mineirinho e Sabiazinho. Isso faz com que as equipes saiam do ambiente em que estão acostumadas”.

Mas o mais importante, segundo Coco, é que sua equipe está em evolução, na visão dele, melhor do que nas outras decisões. “Estamos mais entrosados. Além disso, temos uma equipe formada por jogadoras experientes, que estão acostumadas a decidir”, comenta.

O comandante do Praia busca seu segundo título de Superliga na carreira. O primeiro foi no ano passado, também com a equipe de Uberlândia. “Quase não dirigi equipes na Superliga por conta de minha função de auxiliar do Zé Roberto na Seleção. Somente há poucos anos passei a ter essa oportunidade”, explica. Curiosamente, antes de comandar o time do Triângulo Coco dirigiu, justamente, o Minas.


Ingressos

Cerca de sete mil dos 11 mil ingressos colocados à venda para o primeiro jogo da melhor de três que decide o título da Superliga Feminina de Vôlei já estão nas mãos de torcedores. Apesar de ser domingo de Páscoa, último dia de um feriado prolongado, a diretoria do Minas acredita que os quatro mil restantes se esgotarão. As entradas estão à venda pelo site www.eventim.com.br e na bilheteria da Arena Minas e no Minas II (até hoje, das 10h às 18h). No Mineirinho, a comercialização será apenas amanhã, a partir das 9h.Os valores são: R$ 40 (arquibancada) e R$ 60 (cadeira), com meia-entrada para os dois setores (R$ 20 e R$ 30, respectivamente). Existem também ingressos para o Espaço Premium, que custam R$ 100 (preço único), com direito a open bar e open food, liberados a partir das 10h.


Publicidade