Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Vitória da eficiência

Depois de o América ter gol anulado pelo VAR no início da partida, Cruzeiro não desperdiça as chances criadas, faz 3 a 0 e fecha o confronto contra o Coelho com duas vitórias. Agora, espera Galo ou Boa


postado em 07/04/2019 05:08

Artilheiro do Campeonato Mineiro, Fred marcou o segundo gol celeste e ampliou sua marca para 11, três a mais que Alerrandro, do Atlético. O atacante saiu no segundo tempo com dor no tornozelo, depois de receber um pisão do zagueiro Diego Jussani(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Artilheiro do Campeonato Mineiro, Fred marcou o segundo gol celeste e ampliou sua marca para 11, três a mais que Alerrandro, do Atlético. O atacante saiu no segundo tempo com dor no tornozelo, depois de receber um pisão do zagueiro Diego Jussani (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

 

O Cruzeiro fez valer o favoritismo e, empurrado por 51 mil torcedores, maior público do ano no Mineirão, confirmou vaga na decisão do Campeonato Mineiro ao golear o América por 3 a 0. O time celeste já havia feito 3 a 2 na partida de ida e, por ter melhor campanha, poderia perder por até um gol de diferença, o que deu toda a tranquilidade para atingir o objetivo.


Agora, a Raposa ficará esperando a definição do adversário na disputa do título, que sairá do confronto entre Atlético e Boa, que se enfrentam hoje, às 16h, também no Gigante da Pampulha. Mas antes de pensar novamente no Estadual, os cruzeirenses voltam a atenção para a Copa Libertadores, pela qual recebe o Huracán-ARG, quarta-feira, às 19h15, no mesmo estádio. Já o Coelho terá três semanas para se preparar para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.
“A gente tinha a vantagem e nos comportamos bem. Agora, é pensar na Copa Libertadores”, disse o armador Rafinha, que foi titular ontem, no lugar de Marquinhos Gabriel, e fez o terceiro gol.


Outro que ficou fora para descansar foi o volante Henrique, que deu lugar a Lucas Silva. “É importante fazer o rodízio para o time estar inteiro. E a chegada de novos reforços, como Pedro Rocha, deixa o time ainda mais forte”, afirmou o camisa 16, que sentiu a falta de ritmo e deixou o campo no segundo tempo sentindo câimbras, para a entrada de Ariel Cabral.
Como precisava da vitória, o Coelho começou mais animado e mandou a bola para a rede aos 7min, com Felipe Azevedo, depois de escanteio da esquerda. Porém, depois de consultar o VAR, o árbitro Leandro Pedro Vuaden anulou e marcou toque de mão.


Aos 15min, Lucas Silva pegou sobra na área e cruzou na medida para Leo executar Fernando Leal, aí, sim, abrindo o placar em favor da Raposa. A situação ficou ainda melhor quatro minutos depois, quando Edílson interceptou saída de bola de Marcelo Toscano e colocou na cabeça de Fred. O artilheiro não perdoou e marcou o 11º gol no Mineiro, do qual é o artilheiro.


O América demorou um pouco para voltar ao jogo. Mas em dois bons chutes de fora da área ameaçou – um com Marelo Toscano, para fora, e outro de Leandro Silva, que Fábio espalmou bem.

 


TRANQUILIDADE

Na etapa final o panorama pareceu não se alterar. Aos 4min, Christian obrigou Fábio a trabalhar em novo chute de fora da área.


Com muita consciência, o Cruzeiro passou a valorizar a posse de bola e até dar algum espaço para o adversário para explorar os contra-ataques. Na arquibancada, a torcida fez bonita festa com lanternas dos telefones celulares e muitas músicas, incluindo as que provocavam o rival, possível adversário na final.


A festa se completou aos 42min, quando Rafinha fez o terceiro gol. Robinho não desistiu de bola esticada, conseguiu recuperá-la e tocar para Rafinha fechar a goleada.


“Vamos Cruzeiro querido, de coração. Libertadores, ser campeão”, entoou o coro cruzeirense, mostrando que já pensa no compromisso de quarta-feira.


“Fizemos bom jogo, diante de um adversário de qualidade, que também fez um bom jogo. É que, na hora do vamos ver, temos jogadores mais decisivos, que aproveitam as oportunidades que surgem. Fizemos nossa obrigação, que é chegar à final do Campeonato. Agora vamos nos preparar para lutar pelo bicampeonato”, declarou o técnico Mano Menezes, que promete a equipe empenhada também na quarta-feira. “Acredito que teremos um público ainda maior e esperamos entregar o que ele espera.”


Já o comandante do América, Givanildo Oliveira, encarou a eliminação com tranquilidade. “Vacilamos em duas ocasiões no jogo passado e a vantagem do Cruzeiro ficou muito grande. Hoje (ontem) estávamos bem até tomar os dois gols. Não pode avançar um time que toma seis gols em dois jogos. Nosso maior pecado foi mesmo tomar tantos gols”, disse ele, que diz já ter algumas situações engatilhadas para reforçar o Coelho.


Publicidade