Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Força máxima em ação

Atlético escalará o que tem de melhor na série decisiva de partidas pelo Estadual e pela Copa Libertadores. Vitória sobre Boa e Cerro Porteño será determinante para o alvinegro


postado em 05/04/2019 05:08

Recuperado de contusão, Maicon Bolt entrou na equipe e melhorou o rendimento do ataque alvinegro(foto: Bruno Cantini/Atlético - 1/2/19)
Recuperado de contusão, Maicon Bolt entrou na equipe e melhorou o rendimento do ataque alvinegro (foto: Bruno Cantini/Atlético - 1/2/19)


O Atlético vive momento decisivo na temporada. Depois da vitória (3 a 2) sobre o Zamora, da Venezuela, no Mineirão – primeiro triunfo do alvinegro nesta edição da Copa Libertadores –, o Galo tem pela frente jogos importantes em sequência, em que o êxito nas quatro linhas será determinante para aliviar a cobrança fora de campo. Domingo, a equipe comandada por Levir Culpi pega o Boa, pela semifinal do Campeonato Mineiro, e na quarta-feira visita o Cerro Porteño, no Paraguai, pelo Grupo E do torneio continental.

A ordem agora é colocar em ação o que o Galo tiver de melhor. Por isso, pelo menos até o fim da série de partidas decisivas (que pode ser aumentada caso o clube avance à final do Estadual), os titulares serão mantidos para dar mais entrosamento e conjunto à equipe. As mudanças devem ocorrer apenas em caso de suspensão ou contusão. De acordo com Levir Culpi, os jogadores já estão em condições de entrar em campo duas vezes por semana.

“Entramos na pré-temporada e os primeiros jogos são os mais difíceis. Então, tem muita mudança. Agora, já andamos um pedaço. Os jogadores já suportam partidas na quarta e no domingo, por exemplo. Mas a gente está sempre na alça dos fisiologistas, dos fisioterapeutas e dos atletas, principalmente. Às vezes, o cara está: ‘Estou firme, quero jogar’. E aí você põe”, disse o comandante alvinegro.

Apesar de projetar a equipe atleticana com força máxima, Levir ainda não tem a equipe completamente definida. A principal dúvida do treinador é no meio-campo. Adilson, Zé Welison, Elias e Jair brigam por duas vagas.

Na quarta, contra o Zamora, o treinador optou por escalar a dupla Zé Welison e Elias – que ganhou a vaga de Jair. Adilson, recuperado de lesão, voltou a treinar com bola nesta semana, porém, não foi relacionado. Pelo menos para o duelo de domingo, contra o Boa, a dupla está definida. Como Zé Welison e Jair terão de cumprir suspensão, Adilson e Elias estarão em campo. É a repetição da parceria que começou jogando nesta temporada.

OUTRAS POSIÇÕES O lado esquerdo do ataque do Galo, que vinha sendo o grande dilema da equipe em 2019, parece resolvido. Maicon Bolt, que se recuperou de lesão muscular na coxa direita, assumiu a titularidade. As atuações do atacante têm agradaram ao treinador e à torcida. Marcou dois gols (um deles contra o Zamora) e deu duas assistências.

Maicon Bolt explicou alguns dos conselhos recebidos para se firmar na posição. “O Ricardo Oliveira sempre fala muito comigo, o professor me cobra muito, para quando a bola vier cruzada, do Luan, do Guga, eu estar na área. Talvez vocês não conheçam esse meu ponto, mas tenho presença boa de cabeça. Às vezes não faço, mas até cabeceio bem”, diz o jogador, que dessa forma balançou a rede dos venezuelanos: “Fico feliz de ter feito esse gol, de ter ajudado. Espero que saiam mais gols assim”.


Boa confia na virada

A missão não é fácil. Para avançar para a final do Campeonato Mineiro, o Boa terá de vencer o Atlético domingo, no Mineirão. Empate dará a vaga para o alvinegro, pela melhor campanha na primeira fase da competição – terminou na liderança e garantiu a vantagem de passar à decisão em caso de igualdade no saldo de gols. No primeiro duelo, em Varginha, o placar não saiu do 0 a 0.

Os jogadores procuram demonstrar otimismo. O discurso é um só: é preciso entrar em campo acreditando na possibilidade de bater o Atlético dentro do Gigante da Pampulha. “Precisamos confiar em nós, para que possamos fazer um grande jogo diante do Galo”, destaca o zagueiro Fernando, que completa: “Acredito que a nossa equipe tem qualidade suficiente para jogar de igual para igual com qualquer um”.

Fernando acredita que a união do grupo é um dos trunfos do Boa: “Aqui, somos uma família. É um grupo muito jovem, mas a gente tem se abraçado desde o início dos trabalhos. Nosso grupo não tem vaidade. Quando ganha, ganha todo mundo. Se perde, perdem todos. Isso foi uma das coisas que fizeram com que chegássemos à semifinal”.

O atacante Jayme conclama a torcida a apoiar o time e afirma que ela pode esperar um resultado positivo: “A gente espera que os nossos torcedores acreditem porque a gente acredita”.

Para o lateral Tsunami, seria a concretização de um sonho: “Todo mundo quer chegar à final do Mineiro. É o primeiro estadual que disputo (em Minas Gerais) e sonho em estar na decisão”.

PATROCÍNIO
O Boa está capitalizando com a visibilidade que terá na segunda partida da semifinal do Mineiro, no Mineirão. A diretoria do clube de Varginha anunciou ontem o acerto de patrocínio pontual para o confronto na capital mineira. A equipe vai estampar na parte frontal e nas mangas da camisa a marca da empresa Krona – Tubos e Conexões.

O acerto vale somente para o confronto de domingo e, em caso de classificação para a decisão do Estadual, as partes terão de renegociar o contrato. O valor do patrocínio não foi divulgado.


Publicidade