Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Bons ventos na linha do Equador

Cruzeiro se espelha em jornadas vitoriosas em gramados equatorianos, que ajudaram a levar o time à final do torneio, para buscar a terceira vitória consecutiva da edição deste ano


postado em 03/04/2019 05:08

Para o zagueiro Dedé, invencibilidade celeste na competição continental é fruto da seriedade com que a Raposa tem encarado os adversários(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 15/1/19)
Para o zagueiro Dedé, invencibilidade celeste na competição continental é fruto da seriedade com que a Raposa tem encarado os adversários (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 15/1/19)



O Cruzeiro tenta hoje, a partir das 21h30 (de Brasília), contra o Emelec-EQU, em Guayaquil, a terceira vitória em três jogos pelo Grupo B da Copa Libertadores, ficando muito perto de garantir a classificação às oitavas de final. O país que sedia a partida traz ótimas recordações ao clube celeste, que em três das quatro vezes em que chegou à decisão do torneio continental passou por território equatoriano durante a campanha.

A primeira partida da Raposa no Equador foi justamente no ano do primeiro título. Depois de se classificar em primeiro no Grupo 3, com cinco vitórias e um empate, a equipe então comandada por Zezé Moreira estreou nas semifinais justamente em Quito, contra a LDU, tendo vencido por 3 a 1. Foram mais três vitórias até a vaga para pegar o River Plate na decisão, em jogos memoráveis e a conquista histórica.

O Cruzeiro começou o ano seguinte excursionando pelas Américas, por 60 dias. Em fevereiro, passou novamente pelo Equador para dois amistosos contra a seleção local, tendo ficado no 1 a 1 em Cuenca e feito 2 a 0 em Guayaquil. Como campeão, entrou já nas semifinais da Libertadores e novamente foi à final novamente contra um argentino, o Boca Juniors, mas acabou derrotado.

Depois de perder para a Seleção do Equador em outro amistoso, em 1980, o time celeste voltou a atuar no país sul-americano em 1997, quando perdeu para o El Nacional por 1 a 0, no jogo de ida das oitavas. Fez 2 a 1 em casa e, com vitória nos pênaltis, chegou às quartas. Alcançou também as semifinais e final, na qual bateu o Sporting Cristal e finalmente conquistou o bi.

A passagem pelo Equador na Libertadores de 2001 foi dupla, tendo empatado sem gols com o próprio Emelec pelo Grupo 4, pela primeira fase, e batido o El Nacional por 2 a 1 no jogo de ida das oitavas. Porém, acabou caindo nas quartas de final diante do Palmeiras.

Em 2009, voltou a jogar em gramado equatoriano e mais uma vez chegou à decisão da competição continental. Ficou no 1 a 1 com o Deportivo Quito, pela segunda rodada do Grupo 5, tendo feito a melhor campanha. Depois, passou por Universidad de Chile, São Paulo e Grêmio. A queda foi dura, pois ocorreu dentro do Mineirão, diante do Estudiantes-ARG, após empate sem gols em La Plata.

Os celestes esperam que a jornada vitoriosa de outras ocasiões se repita e o time chegue à decisão e conquiste o título. “Estou usando óculos futuristas e enxergando o tri da Libertadores”, brincou o presidente Wagner Pires de Sá, em vídeo gravado pelo atacante Fred.

CONFIANÇA Apesar de esperarem um jogo difícil, os jogadores apostam no bom momento do Cruzeiro, único invicto entre os times das Séries A e B do Campeonato Brasileiro. “Estamos mantendo a invencibilidade por causa do trabalho, da humildade, do fato de estarmos encarando qualquer adversário. Isso faz com que o nosso time renda bem e saia com as vitórias”, disse o zagueiro Dedé.

Já o volante Lucas Romero atuou no George Campwell em 2013, quando defendia o Vélez Sarsfield-ARG. Acabou derrotado, o que o faz pregar respeito ao adversário, mas sem perder a forma de jogar. “Vamos tentar ser protagonistas sempre respeitando o Emelec”, disse o argentino.


FICHA TÉCNICA
Emelec x Cruzeiro

Emelec: Dreer; Caicedo, Jaime, Vega e Johnson; Quiñones, Arroyo, Arce, Cortez e Cabezas; Brayan Angulo
Técnico: Mariano Sosso
Cruzeiro: Fábio; Edílson, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Fred
Técnico: Mano Menezes
Terceira rodada do Grupo B da Copa Libertadores
Estádio: George Campwell
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carillo (PER)
Assistentes: Jonny Bossio e Victor Raez (PER)
TV: Globo e Fox Sports


ENQUANTO ISSO...
...Pedro Rocha até dezembro

O Cruzeiro anunciou ontem a contratação do atacante Pedro Rocha (foto), de 24 anos, que foi revelado pelo Grêmio – com o qual foi campeão da Copa do Brasil em 2016. O jogador foi emprestado pelo Spartak Moscow, da Rússia, até o fim deste ano. O valores não foram revelados, mas a negociação toda custaria R$ 10 milhões aos cofres celestes. Com isso, Everaldo, do Fluminense, que também estava na mira, não será contratado.

 

 

Huracán e Lara tentam a salvação

Derrotado pelo Cruzeiro na semana passada, o venezuelano Deportivo Lara recebe o Huracán-ARG, hoje, às 21h30 (de Brasília), buscando a reabilitação e também a primeira vitória no Grupo B da Copa Libertadores. Os times somam um ponto e quem perder ficará em situação complicada, principalmente os venezuelanos, que só terão mais uma partida em casa para fazer.

No mesmo horário, mas pela Chave D, o Flamengo tenta manter os 100% de aproveitamento recebendo o Peñarol, no Maracanã, que deverá estar lotado – são esperadas mais de 62 mil pessoas. O duelo marcará o retorno do técnico Abel Braga ao comando da equipe, depois de passar por procedimento médico para corrigir arritmia cardíaca. “O Peñarol é um time muito forte, de Libertadores. O jogador uruguaio luta por todas as bolas. Sabemos disso e vamos tentar confrontá-los de igual para igual, usando o que temos de melhor, que é a capacidade individual e coletiva”, comentou Abel.

Na atividade de ontem, no Ninho do Urubu, ele não só permitiu a presença da imprensa como não escondeu a escalação. Assim, o rubro-negro vai a campo com Diego Alves; Pará, Leo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar, William Arão, Everton Ribeiro, Diego e Bruno Henrique; Gabigol.

Outro brasileiro em ação hoje é o Internacional, que receberá o River Plate às 19h15, no Beira-Rio, pelo Grupo A. O clube gaúcho soma 6 pontos e quer manter os 100% e se aproximar das oitavas.

A principal novidade do técnico Odair Hellman é a volta do armador D’Alessandro, recuperado de edema na coxa esquerda e que entra no lugar de William Pottker, que sofreu contusão muscular também na coxa esquerda. Como tem forte ligação com o clube portenho, o argentino disse que não pretende comemorar se fizer gol.

Também hoje, duas partidas pelo C: Universidad Concepción-CHI x Godoy Cruz-ARG (19h15) e  Sporting Cristal-PER x Olimpia-PAR (23h).

Ontem à noite, pela Chave F, o Palmeiras foi derrotado pelo San Lorenzo por 1 a 0, no Nuevo Gasómetro, gol de Marcelo Herrera aos 5min do segundo tempo.


Publicidade